Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Se eu Pudesse

Se eu pudesse rescrever a minha vida
Deixaria de lado as canetas vermelhas
Grifaria algumas nostalgia
Evidenciaria todas as magias

Se eu pudesse rescrever a minha vida
O livro seria um conto de amor
Não perderia tempo com o imaginário
Todas as prosas seriam reais de fato

Se eu pudesse rescrever a minha vida
Não começaria do ultimo capitulo
Viveria dia após dia
Esperaria o desabrochar de cada linha

Se eu pudesse rescrever a minha vida
No epilogo teria um manual de instruções
Não seria um best seller com milhares de leitores
Seria folheados por leitores movidos de amores

Se eu pudesse rescrever a minha vida
Abriria mão da capa e contracapa
Não me venderia com uma imagem publicitaria
Apresentaria na capa a vida narrada

Se eu pudesse rescrever a minha vida
Não faria milhões de rascunhos
Não editaria as paginas da vida
Aceitaria a sina de cada dia

Se eu pudesse rescrever a minha vida
Seria eu mesmo mais autentico
Não me colocaria no papel de figurantes
Nem me prostraria para os coadjuvantes

Se eu pudesse rescrever a minha vida
Seria o único autor de cada dia
Não me importaria com os créditos auferidos
Se eu pudesse rescrever a minha vida.

Marcos Freitas

2 comentários:

Maria Cristina disse...

Lindo poema, Marcos! Não sabia que vc era um poeta tão talentoso! E o seu blog é de muito bom gosto, parabéns!
Um abraço,

Maria Cristina

rodrigo disse...

poxa falar o que?!

uma obra prima ;sinceramente poucas vezes li coisas de tão bom gosto ;voce escreve com a simplicidade de uma criança e com palavras de um sabio vivido!

abraços meu camarada!