Pesquisar este blog

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Noite de Autógrafos do Livro "A TV no Armário"

As Edições GLS e a Livraria Cultura Conjunto Nacional (SP) promovem no dia 1º de junho (terça-feira), das 18h30 às 21h30, a noite de autógrafos do livro A TV no armário, do professor e jornalista Irineu Ramos Ribeiro. Fruto de ampla pesquisa sobre a cobertura dada pela TV à questão da homossexualidade, a obra revela como as emissoras ainda se pautam pelo preconceito. Ao mergulhar nesse universo, o autor analisa a programação das emissoras e mostra a dificuldade e os equívocos que ocorrem quando precisam lidar com as diferenças sexuais na TV. O evento acontece no piso térreo da livraria, que fica na Av. Paulista, 2073

Na obra, o autor analisa diversos aspectos do tratamento dado aos gays na programação humorística, em telejornais e em novelas, demonstrando as diversas formas pelas quais o preconceito é estimulado. Baseando-se no pensamento de Michel Foucault e noções da teoria queer, ou teoria do estranhamento, o autor comprova que a televisão brasileira acaba transmitindo valores negativos, depreciativos e caricatos no que se refere aos gays. “Está na hora de mudar de rumo”, afirma Ribeiro, lembrando que a mídia tem um papel determinante na formação de identidade.

O autor discorre sobre o limiar dos gêneros, abordando questões como ambiguidade, identidade, sexualidade e formas de pensar. Fala sobre o desenvolvimento das identidades sexuais “proscritas” no decorrer do século XX e as relações de poder na mídia televisiva. Faz um breve histórico do movimento homossexual no mundo e de algumas de suas lutas até chegar à década de 1970, quando o gênero passa a ter uma conotação social ampla. “O conceito de gênero se refere à construção social e cultural que se organiza a partir da diferença sexual”, revela o autor.

O livro traz ainda um breve relato histórico do surgimento da TV no Brasil e o levantamento da cobertura jornalística televisiva da Parada do Orgulho Gay de São Paulo. Em seguida, o autor examina alguns programas humorísticos que tratam o gay com escracho, um game show que perde a oportunidade de esclarecer que a diferença é saudável e uma novela que acaba apelando para o sentimentalismo na hora de retratar o amor homossexual. “Procuro demonstrar as sutis abordagens em que o preconceito é estimulado e impede a existência de um mundo onde a diferença seja respeitada”, explica o autor.

“Ribeiro tem a rara capacidade de expor as inclinações preconceituosas e reforçadoras de preconceitos que as emissões de TV disseminam em relação aos homossexuais sem cair na tentação de enxergar nisso uma conspiração dos setores dominantes da sociedade. Ele entende a dinâmica da indústria cultural e não a acusa de intenções diabólicas”, afirma Carlos Eduardo Lins da Silva, ex-ombudsman da Folha de S.Paulo, que assina o prefácio da obra.

domingo, 30 de maio de 2010

Disponivel.com leva Dimmy Kieer e Serginho para a Parada Gay 2010


Dimmy Kieer e Serginho, participantes da última edição do BBB 10, da Rede Globo, são presenças confirmadas no trio do site de relacionamento Disponivel.com na 14ª Parada Gay de São Paulo, que acontece no domingo, 6/6. O site levará para a avenida o Demolidor 3, o maior trio-elétrico do país.

Mas este não é o primeiro ano de Dimmy com o Disponivel.com. A drag vermelhíssima é atração do trio desde 2004 e já marcou presença junto com o clã em cidades como Rio de Janeiro e Salvador, mas sua participação este ano é ainda mais especial porque "eles [Dimmy e Serginho] acabaram de sair de um programa que colocou os gays em evidência no horário nobre e fez com que a homossexualidade fosse assunto da família brasileira. Acredito que isso, a médio prazo, torne-se uma grande conquista para toda a comunidade LGBT", disse Bruno Niz, um dos produtores do trio.

O Demolidor 3 é maior trio-elétrico existente no Brasil, tem 120 m² de área e custou R$ 2,5 milhões aos cofres de Ivete Sangalo e da MB Produções, proprietários do veículo que começou a rodar pelo Brasil em 2009. Para receber confortavelmente os artistas, dois camarins decorados levando em conta o "feng shui" com sofás em couro vermelho, tela plana de 42", DVD, home teather, copa com frigobar e micro-ondas.

Este é o sétimo ano consecutivo de participação no evento e "este é um momento de confraternização, de comemorar o orgulho gay. Crescemos junto com a parada, desde o primeiro trio nós mais que quintuplicamos, entendemos que a Parada está para nós como um Réveillon, momento de comemorar e virar mais um ano de sucesso e bom serviço prestado", brinda Sergio di Pietro, diretor executivo.

Assim como nos produtos da empresa Infornet Business, proporcionar o que há de melhor é a premissa da empresa. "Nós só participamos se for levando o que realmente há de melhor em equipamentos, artistas e produção, assim como fazemos em nossos produtos", afirma Sergio di Pietro, diretor executivo do site, sobre a participação".

No comando das pick-ups e dos mais de 200 mil watts de som, os DJs Anderson Bressane, Augusto Rossi, Max Gaúcho, Mauro Mozart e Paulo Agulhari. Terá também a presença da simpática e carismática Alex Marie. Os gogo boys são uma produção dos clubes Megga e Bubu Lounge.

Serviço:

Parada Gay 2010 – Domingo, 6/6 – 12h
Av. Paulista, altura do número 900

sábado, 29 de maio de 2010

10ª Feira Cultural LGBT Terá Oficina Gratuita para Drag Queens Iniciantes

A 10ª Feira Cultural LGBT - que ocorre na próxima quinta-feira (03, feriado de Corpus Christie), a partir das 10h, no Vale do Anhangabaú – irá revelar doze novas drag queens. Isso porque uma das novidades dessa edição é a oficina gratuita “Linha de montagem: nasce uma drag”, ministrada pelas veteranas Dindry Buck, Sissi Girl e Lully Cow, e pelo ator Eduardo Moraes. Além da aula sobre todo o universo drag, os participantes se apresentam no palco da Feira, ganham ingressos para o Gay Day no Playcenter e desfilam na Parada em um dos trios elétricos oficiais. Inscrições vão até dia terça-feira (01).

Um dos maiores ícones da cultura LGBT, a drag queen é personagem indispensável para a diversão de uma boa festa, seja como hostess ou performer. Mas além do “bate-cabelo”, o mercado de trabalho para essa arte tem se ampliado, e a drag atualmente é cotada para os mais variados eventos, como casamentos, bailes de debutantes e confraternizações empresariais. A madrinha da oficina, a drag queen Dindry Buck, explica que competitividade desse cenário crescente exige maior preparação dos profissionais: “A drag queen tem por missão levar alegria, cor, diversão, irreverência e muito bom humor aonde quer que ela vá, mas o mercado a cada dia exige artistas mais gabaritados. Por isso, a oficina vem dar suporte a quem realmente tem vocação e talento”.

A oficina aborda história do movimento drag no Brasil e no mundo, técnicas de maquiagem e penteado, produção e confecção de figurinos, noções de postura, performance, presença de palco e projeção vocal. “É a preparação que muitas drags em início de carreira gostariam de ter”, conclui Dindry.

Serão apenas doze participantes selecionados, por isso, é necessário que os interessados façam inscrição prévia até o dia 1º de junho pelo e-mail oficinas@paradasp.org.br com assunto “Oficina de drag”, contendo no corpo do texto: nome, RG, telefone e breve histórico. No dia, os participantes devem levar um par de sapatos, peruca e, se desejar, figurino próprio, porém, as drags oficineiras irão emprestar suas produções.

A oficina “Linha de Montagem: nasce uma drag”, ocorre às 14h, na tenda 01 da 10ª Feira Cultural LGBT. Às 17h30, todas as participantes se apresentam no palco da Feira para cerca de 200 mil pessoas, e concorrem ao título de rainha da Feira. Cada uma também ganhará ingresso para o Gay Day (que acontece dia 05, no Playcenter) e acesso a um dos trios elétricos da Parada (dia 06, na Avenida Paulista).

A 10ª Feira Cultural LGBT é uma atividade integrante do calendário oficial do 14º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo e, pelo terceiro ano, ocupa toda a extensão do Vale do Anhangabaú, das 10h às 22h, com shows de música, teatro, performances, tendas de comércio, alimentação e oficinas. Além da oficina de drag, haverá a de DJ, fotografia, defesa pessoas e as tradicionais de cidadania, direitos, erotismo e saúde, todas com participação gratuita.

Para mais informações sobre a programação completa do 14º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo, que neste ano traz o tema “Vote contra a homofobia: defenda a cidadania!”, acesse: http://www.paradasp.org.br/.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Revista A Capa - Serginho e Diogo Rodrigues

Pela primeira vez a Revista A Capa vem com duas opções de capa, comemorando o mês o orgulho gay. De um lado Serginho, o polêmico participante do BBB10, do outro o modelo Diogo Rodrigues que faz qualquer um delirar em seu tanquinho esculpido com muita malhação.

Em entrevista ao editor Paco Llistó, Serginho abre o jogo sobre sexualidade, a vida após o BBB, novos projetos e esclarece que gosta “115% de homem”, sobre sua possível aproximação com a brother Fernanda.

Falando de relacionamentos, uma reportagem desvenda os mitos e verdades do relacionamento aberto e esclarece a realidade da monogamia. Um mergulho histórico na noite gay paulistana resultou em uma curiosa matéria sobre as estrelas dos anos 70 e 80 que sumiram.

O estilista Marcelu Ferraz ganhou um perfil e fala sobre sua dedicação exclusiva à moda. Em mês de orgulho gay, uma matéria sobre o tratamento que as grandes empresas dão aos consumidores LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais e trangêneros).

A revista atual é distribuída em cerca de 100 estabelecimentos como bares, restaurantes, saunas e clubes nos principais pontos de interesse gay de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Florianópolis a partir do dia 2 de junho. A revista dispõe de assinaturas semestrais que podem ser feitas por moradores de qualquer cidade brasileira com o custo de R$ 39,90, além da versão eletrônica com atualização diária em parceria de conteúdo do portal Vírgula/UOL


quinta-feira, 27 de maio de 2010

Dilma tem Medo de Aliar a sua Imagem ao Movimento Gay

A pré-candidata do PT ao Planalto, Dilma Rousseff, está analisando o convite de participar, no dia 6 de junho, da Parada Gay, em São Paulo. O convite foi feito pela ex-prefeita Marta (ex) Suplicy, considerada uma "madrinha" do evento que (des) prestigia todos os anos e dá um apoio meramente institucional.

Se por um lado à parada reúne mais de três milhões de pessoas na Avenida Paulista, que apesar de ignorado, também são eleitores (está entre os eventos turísticos mais lucrativos da cidade), a campanha da petista tem dúvidas se ela deveria ou não ir ao evento.

Um dos problemas é a repercussão que sua participação no maior evento gay do país teria entre o público religioso, um dos alvos de sua campanha. Dilma está com medo de aliar a sua imagem de boa moça, conquistada no seu tempo de guerrilheira, ocasião de participou de seqüestros, roubos a banco e atentados terroristas. Não posso falar em nome da comunidade gay, mas como gay, não quero a imagem da Dilma aliada a minha militância. A Parada LGBT é um movimento que luta por direitos humanos e apóiam tal ato, apenas políticos que estão de acordo com as nossas reivindicações e não tem vergonha ou medo do movimento.

Ps. (atualizado em 28/05/2010 às 07:24

Não estou desmerecendo o fato da Dilma ter lutado contra a Ditadura Militar, apenas estou ressaltando o fato dela renegar a sua história depois que vencer a tudo isso. Estudo na Escola de Sociologia e Política, um dos maiores alvos da Ditadura Militar, onde passaram por lá os maiores combatentes desse regime que tanto maltratou o Brasil. Hoje, fico triste em ver que uma importante candidata ao principal cargo do executivo do nosso país, está pouco se lixando para os movimentos sociais, para a luta e conquista dos direitos humanos. Uma mulher com esse histórico de luta, não deveria ficar fazendo sala para fundamentalistas e religiosos, uma pena ver que com o passar dos anos ela mudou de lado e hoje se alia aos atuais carrascos das minorias sociais.

Aproveito a oportunidade para comunicar que estou recolocando a enquête sobre intenção de voto a Presidência da República, tendo em vista que o PSC não concorrerá à presidência, como antes era especulado pela mídia. Peço aos que votarão, que registre novamente o seu voto. O sistema de enquête permite a mudança de voto a qualquer momento e como o sistema eleitoral brasileiro é dinâmico, no decorrer do processo muitos eleitores reavaliam a intenção de voto.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Programa Casarão Brasil

No dia 20 de maio foi iniciado as gravações do programa Casarão Brasil que fica na Rua Frei Caneca, 1057, Consolação.

O programa será gravado no Casarão, com a apresentação de Douglas Drumond, sempre um convidado envolvido com os projetos da ONG, indo ao ar hoje dia 26 de maio de 2010, pela TV Aberta, canal 72TVA e 9NET (HD),todas as quarta-feira à 00:00.

A veiculação será feita para a cidade de São Paulo, Vale do Paraíba e Belo Horizonte.

A proposta é informar o público sobre os trabalhos que envolve a ONG Casarão Brasil, de forma séria, objetiva e também um pouco divertida.

Foram gravados 4 programas que irão ao ar da seguinte forma:

1. Dia 26 de maio – Douglas Drumond (presidente) entrevista Douglas Magri o vice-presidente do Casarão Brasil, mostrando o espaço físico da ONG, falando das propostas realizadas e seu projetos futuros.

2. Dia 02 de junho – Léo Áquila – Fala um pouco sobre sua carreira, e sua pré-candidatura à deputada estadual

3. Dia 09 de junho – Deputado Carlos Diannazi – Fala sobre seus projetos de apoio aos homossexuais e da Parada Gay de 06 de junho, como convidado do trio Casarão Brasil.

4. Dia 16 de junho – Roberto Mafra – Fala um pouco da sua carreira e da Parada gay 2010.

A partir dia 20 de junho serão gravados mais 4 programas.

Serviço:

Estréia : PROGRAMA CASARÃO BRASIL
Dia: 26 de maio de 2010
TV Aberta, canal 72TVA e 9NET (HD)
Horário: A PARTIR DA MEIA-NOITE - TODAS AS QUARTAS-FEIRAS
Apresentação: Douglas Drumond

terça-feira, 25 de maio de 2010

Comunidade LGBT Entregará Praça Revitalizada para o Centro de São Paulo

A praça que homenageia Darcy Pentado (1926 - 1987), importante pintor, figurinista, coreógrafo, dramaturgo e ativista homossexual será totalmente revitalizada para os paulistanos no dia 29 de maio de 2010.

A iniciativa é uma parceria inédita, que conta com a colaboração da Secretaria de Participação e Parceria, Subprefeitura da Sé, Viva o Centro, Ação Local Ipiranga I, Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual, Conselho de Atenção à Diversidade Sexual e a casa noturna Love Story, farão o replantio e a conservação da praça.

O mutirão organizado pela comunidade LGBT trabalhará voluntariamente, limpando e plantando cerca de 2 mil mudas para presentear o centro da cidade com uma nova e reurbanizada Praça Darcy Penteado. A ação faz parte das comemorações do mês do Orgulho LGBT e acontece no sábado a partir das 9h.

A inauguração está prevista para acontecer às 14h com a presença de artistas, personalidades, autoridades e as famosas drags de São Paulo que irão animar os voluntários durante todo o dia. Quem quiser colaborar, será bem vindo. Faça parte dessa ação que tem como objetivo a conscientização ambiental e a construção de uma cidade mais inclusiva com a diversidade.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Pequenas Igrejas Grandes Negócios

O Trabalho é uma sátira bem humorada, vivida por apenas um ator. Maciel Oliveira faz uma gozação do programa dominical da TV Globo: “Pequenas Empresas Grandes Negócios”. A peça conta a história de um corinthiano que veio tentar a vida em São Paulo e se vê em dificuldades financeiras. Quando descobre que o melhor investimento a se fazer é fundar uma igreja, percebe que tem apenas trinta reais no bolso. Diante disso, funda uma associação chamada Pequenas Igrejas Grandes Negócios, onde pretende ter uma renda de trinta mil reais por mês a partir do dinheiro investido. Nesse momento, Edson deixa de ser o torcedor falido para se transformar no Pastor Edson. A partir daí, além do templo numa favela, surgem outros pela cidade inteira. Essa associação é composta por todos os tipos de religiões e, como o sujeito virou pastor, começa a receber seus adeptos para relatarem suas experiências de vida e comentarem como tudo mudou após a conversão à assembléia do Pastor Edson. São personagens vividos pelo próprio Maciel Oliveira. As figuras que o ator interpreta são: Elizabeth, uma ex-freira, Francisco, um ex–gay, Whatisyourname, um nordestino e ex-homem-bomba, entre outros...

O Grupo Botija foi criado no início de 2003, com o objetivo de se aprofundar no estudo teatral; dando preferência para autores brasileiros, principalmente os novos, porém não deixando de lado grandes dramaturgos como Shakespeare, Vitor Hugo, Tchekov, entre outros. A princípio o grupo se reunia uma vez por semana para estudo de texto. O projeto foi tomando corpo, reunindo pessoas com objetivos comuns. Por meio desse estudo, o Grupo Botija desenvolveu já em 2003, o projeto "Cenas de Doido", de autoria de Maciel Oliveira; em 2004 foi realizado o projeto da peça "Florbela", de Alcides Nogueira, dramaturgo da Rede Globo de televisão. Em 2005, o Grupo Botija, partiu também para uma proposta diferente, ou seja, para o Teatro Empresa, o qual tem se tornado parte integrante dos projetos do Grupo. Formado por atores profissionais, que já atuaram em Cinema, TV e Teatro.

Serviço:

Duração: 60 minutos.
Recomendação etária: 15 anos
Temporada: de 15 de maio a 4 de julho de 2010. Sábados às 20h e domingos às 18h
Local: Teatro Santo Agostinho (acesso para deficientes, café)
Rua Apeninos, 118 - São Paulo - Próximo a Estação Vergueiro do Metrô SP
Vendas de ingressos: (11) 4119-2441 ou 8179-8804.
Ingressos: R$ 40,00, estudantes, melhor idade e classe teatral R$ 20,00

domingo, 23 de maio de 2010

Cantora Amannda se Apresenta na Blue Space

A cantora brasileira de house-music Amannda, estreia seu novo show na Blue Space em São Paulo. A dona do hit “Can U Hear Me” prepara uma mega produção, com novo figurino e novos hits. Com dois bailarinos oficiais, o show tem a duração de 40 minutos e conta com a estrutura de produção da Blue Space, que inclui equipe de ballet, palco giratório e iluminação ao comando do LJ Fernando Mouschans. O show acontece no sábado, 29 de Maio, a partir das 23h00.

A noite ainda conta com o shows das melhores drag´s do Brasil, gogos e os DJ´s residentes Breno Barreto, conhecido do público pelos remixes de grandes estrelas do mundo pop e Robson Mouse que agita a pista com o melhores hits que são destaque nas principais boates do mundo. Com duas pistas, lounge, camarotes, quatro bares e uma das melhores iluminações de São Paulo, a noite promete ser marcante para o público. Amannda alcançou a 14ª posição no "Hot Dance Club Play" da revista americana Billbord.

A Blue Space de São Paulo está aberta desde março de 1996 e nesses 14 anos de atividade, a casa apostou nos shows de drag queen e tornou-se um icone no segmento. Os espetáculos são cuidadosamente produzidos pela equilo Blue Space e sempre conta com o maior elenco de top drags e humoristas do Brasil. Em novembro de 2009, a casa foi indicada pela revista "Época São Paulo", no especial "O Melhor de São Paulo 2009-2010", destacando a Blue como “A Melhor Casa Noturna com Shows de Drag Queens”.

Serviços:

Show especial Amannda + Drag´s
Rua Brigadeiro Galvão, 723 - Barra Funda – SP
Data: 29 de Maio
Dj´s: Breno Barreto + Robson Mouse
Horário: 23h00
Preços: R$ 18 (com flyer) e R$ 26 (sem flyer)
* Desconto somente para homens.
Informações: 11 3826 – 7157 / 11 3666 – 1616
http://www.bluespace.com.br/

sábado, 22 de maio de 2010

Aconteceu a I Marcha Contra a Homofobia

Sob os gritos “fora homofobia” e “homofobia, já chegou a sua hora”, milhares de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais de todos os estados do país participaram, em Brasília, da 1ª Marcha Nacional Contra a Homofobia. Além da luta pelo fim da aversão aos homossexuais, o movimento pediu a garantia do Estado laico — sem interferência de nenhuma religião —, combate ao fundamentalismo religioso, cumprimento do Plano LGBT, aprovação do projeto de lei que criminaliza a discriminação, e que o Judiciário decida a favor da união estável entre os casais homoafetivos e da mudança de nome dos transexuais.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, a marcha superou todas as expectativas. “Diferentemente das paradas gays, onde as pessoas vão festejar, conseguimos reunir pessoas politizadas e cientes da nossa causa. Também contamos com a presença de 50 parlamentares, vereadores do interior do país e de dois presidenciáveis, Plínio de Arruda Sampaio (PSol) e José Maria Eymael (PSDC).”

Diferente do que vemos nas paradas, onde o clima é de festa, em Brasília, a tonalide do evento foi extritamente política e a presente de humoristas irritou irritou os manifestantes. Carioca e Cesar Polvilho, do programa Pânico na TV!, foram "expulsos" da Esplanada dos Ministérios. “Eles estavam fazendo matéria jocosa. Perguntei para eles se sabiam quantos travestis são assassinados no Brasil e o porquê da realização dessa manifestação em Brasília”, disse a presidenta da Articulação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), Jeovanna Baby. Ela e outros participantes não deixaram os humoristas gravarem matéria que seria exibida no programa do próximo domingo.

Caracterizados dos ex-integrantes do Big Brother Brasil Dicesar (Carioca) e Sérgio (Cesar Polvilho), ambos homossexuais, a dupla não conseguiu concluir as filmagens da marcha. A dupla precisou sair do local com a ajuda de seguranças. Me senti 100% representados, temos que combater todo o tipo de homofobia e é uma afronta ao movimento gay que humoristas fazerem chacotas de gays no dia que foi reservado para dar um basta a homofobia. Parabéns aos militantes gays. Chega de homofobia, é com essa garra que vamos vencer o fundamentalismo que impera no nosso país. Abaixo imagens registradas pelo meu amigo Fabricio Viana que participou do evento.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Glam Party

Localizado próximo ao Via Funchal, na nata da noite paulistana, a Glam Party, é a proposta para suas noites de sexta-feira em São Paulo. Selecionamos profissionais capazes de proporcionar ao público uma opção para quem busca algo a mais que uma simples diversão, aliada a qualidade e bom gosto nos serviços oferecidos.

Com capacidade para 500 pessoas, com conforto, a casa conta com dois ambientes interligados: lounge com sofás , área VIP para aniversariantes e pista principal. Camarotes preparados para convidados, além do bar estrategicamente posicionado, oferecem para você uma das pistas mais completas da cidade.

Os DJs HARRY NETTO, DADDY SAN e ANDRÉ ROCC se encarregam do som comandando as pick-ups com o melhor do house progressive, tribal house e suas vertentes. Além de Gogo-Dancers e performances.

Recebendo os convidados, o carismático e querido host Marcus Macarroni.

Serviço:

Evento: Glam Party – 1ª Edição
Quando: 21 de Maio de 2010 – Sexta-feira
Horário: 23H30
Homens: R$ 50,00 (com Flyer/Lista) ou R$ 60,00 (sem Lista)
Mulheres: R$70,00 (valores consumíveis)
Pagamentos: Todos os cartões. Não aceita cheques.
Produção: Rodolfo Barilli
Promoção: Ahaza! e Equipe Shag
Local: Shag Club
End.: Rua Pequetita, 205 - Vila Olímpia - São Paulo/SP
INFONE: 11 6516.3444 – mr.barilli@gmail.com – 3842.1700

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Central de Informações Turista GLS

O líder do partido do prefeito Gilberto Kassab (DEM) na Câmara Municipal de São Paulo, reagiu ontem contra a criação da primeira central de informações turísticas para o público GLS do País. A CITGLS foi inaugurada nessa segunda-feira, 17/05, na sede do Casarão Brasil. Apolinário disse em plenário, com transmissão ao vivo pela TV Câmara, que o governo municipal transformou os gays em "uma categoria especial de pessoas". A fala do vereador não me surpreende, depois que o mesmo alterou a lei do silencio para beneficiar igrejas evangélicas, criou um projeto de lei que visa instituir o Dia do Orgulho Hétero e apresentou um projeto que pretende tirar a Parada Gay da Av. Paulista, não me espanto com absolutamente nada que venha desse vereador.

O parlamentar diz que o casarão no número 1.057 da Frei Caneca, o endereço que a Prefeitura pretende transformar no principal ponto de referência da cidade para se obter sugestões sobre bares, lojas e restaurantes especializados no público gay, também deveria informar os outros setores da sociedade. Ele diz que “não deveria ter um espaço exclusivo para gays. Tinha de ser para todos, para qualquer atividade, seja umbandista, evangélico, gay ou lésbica” argumentou Apolinário, que é líder da bancada evangélica. "Respeito os seres humanos que são gays. Agora, a Prefeitura destinar meia página do Diário Oficial, se glorificando por estar montando um espaço para dar endereço onde os gays podem se divertir, e não para os outros, é o que eu questiono”.

Apolinário também critica o decreto do prefeito que autoriza os órgãos públicos tratarem as transexuais pelo seu nome social e completa dizendo que ‘do jeito que as coisas estão indo, logo alguém vai apresentar um projeto transformando São Paulo na capital gay do País“. Com o plenário praticamente lotado, com 47 dos 55 vereadores, não houve fala de contraponto ou a favor do vereador. José Apólice Neto (PSDB), líder do governo na Câmara, entende que a criação da CIT GLS é uma iniciativa da sociedade que contou com o apoio e respeito do governo e completa dizendo que ‘o prefeito quis mostrar respeito e colocou uma empresa, a SPTuris, para intermediar a viabilização da central. Não vejo problema."

O Presidente da organização da Parada Gay, Alexandre Santos vê homofobia na reação do vereador do DEM. "Nós não queremos direitos diferentes de ninguém. Independentemente de partido, o governo municipal tem reconhecido nossas demandas e isso é um aspecto positivo que alguém homofóbico não consegue enxergar", afirmou. A CIT GLS é uma parceria da São Paulo Turismo (SPTuris), do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), da Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual (Cads), da Associação Brasileira de Turismo para Gays Lésbicas e Simpatizantes (Abrat-GLS) e do Casarão Brasil.

No ano passado, a Parada LGBT atraiu milhares de pessoas para a avenida Paulista, sendo cerca de 400 mil de fora da Cidade, o que significou uma movimentação de aproximadamente R$ 189 milhões na economia do Município, de acordo com o Observatório do Turismo da cidade de São Paulo, núcleo de estudos e pesquisas da SPTuris. A CIT GLS está sendo administrada pela Abrat-GLS e pela SPTuris que fornece o material promocional da Cidade e o treinamento aos dois atendentes bilíngües, o horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 10 às 19 horas. Com a implantação da CIT, o turista GLS irá ter mais informações de estabelecimento e eventos e sem sombra de duvidas ultrapassaremos os 189 milhões de reais que são injetados na economia durante a Parada LGBT de São Paulo.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Governo de São Paulo Firma Compromissos com os LGBTs até 2011

No mesmo dia da I Marcha Nacional LGBT, o Governo do Estado de São Paulo publica em Diário Oficial seu Plano Estadual de Enfrentamento à Homofobia e Promoção da Cidadania LGBT. O decreto assinado pelo governador Alberto Goldman (PSDB) prevê 59 metas e as ações necessárias para seu cumprimento a serem realizadas em 2010 e 2011.

O Plano envolve dez Secretarias de Estado (da Justiça e da Defesa da Cidadania, de Relações Institucionais, de Assistência e Desenvolvimento Social, do Emprego e Relações do Trabalho, da Segurança Pública, da Administração Penitenciária, da Educação, da Saúde, da Cultura e de Ensino Superior).

Entre as metas propostas, estão capacitações de agentes públicos, campanhas institucionais, promoção da Lei Estadual Anti-Homofobia (Lei 10.948/01) e do decreto que garante o tratamento pelo nome social para travestis e transexuais. Estão incluídas também a inclusão da temática da diversidade sexual no curso de formação de policiais, o levantamento de estatísticas a respeito de crimes homofóbicos no estado e a ampliação da DECRADI (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância).

Para o Coordenador Estadual do Diversidade Tucana - Núcleo de Diversidade Sexual do PSDB-SP, este plano é um importante marco nas políticas públicas para os LGBTs. "Esse governo mostra real comprometimento com a nossa população. Já criou uma Coordenação da Diversidade Sexual, Ambulatório para Travestis e Transexuais, implantou o nome social, e agora firma um compromisso público com os LGBTs de São Paulo. É uma demonstração de respeito a esse segmento", afirmou.

terça-feira, 18 de maio de 2010

+ Homofobia

A questão da homofobia coorporativa foi resolvida, porém, não foi aplicada a suspensão, e sim, uma demissão sem justa causa, apesar de ela merecer ser demitida por justa causa. Meus pais são empresários há mais de 15 anos e sempre adotaram como política a minimização de conflitos, a fim de evitar reclamações trabalhistas. Sabemos que por mais certa que seja a empresa, o ministério do trabalho sempre tem uma inclinação para o lado do empregado. Enfim, situação resolvida, entretanto é fantasia imaginar que a homofobia no Mundo está longo de ser extirpada.

Sábado, dia 15/05, dia que convidei amigos para sair e comemorar os meus 29 anos, eu fui ameaçado de morte. A situação foi tão inesperada, que quase estragou a confraternização, mas fui mais forte, aliás, fomos, pois o Douglas também foi ameaçado e a situação dele foi e ainda é muito mais delicada que a minha, porém, prefiro não comentar sobre o ocorrido com o Douglas e centrar apenas na minha versão da história. Ficamos mutio chateado com o ocorrido, a ponto do Douglas não querer mais me acompanhar na confraternização, só depois de muita conversa, convenci o Douglas a ir no “O Gato”, onde nos reunimos com aproximadamente 30 amigos que fizeram da comemoração de 2010, a melhor festa de aniversário que já tive. Fiquei muito feliz, pois mesmo concorrendo com a “Virada Cultural”, que teve uma programação excelente, meus amigos compareceram em peso.

Passada a confraternização, foi à hora de colocar a cabeça no lugar e pensar nos problemas e novamente fiquei surpreso com o posicionamento da minha família, que soube de tudo no mesmo instante que me avisaram da ameaça. Penso que nessas situações, temos que informar a todos, para no caso de a ameaça ser cumprida, as providencias cabíveis sejam tomadas. O mesmo acolhimento que tive da minha família, o Douglas também teve e mais uma vez a minha militância se fez valer, quando vi que barreiras de preconceito estão sendo quebradas dentro da minha casa e que hoje eles não enxergam mais o Douglas como um “melhor amigo” do filho gay e sim como o meu companheiro e cara que escolhi para ficar ao meu lado.

Decidimos que contra tudo isso, registraremos boletins de ocorrência no Distrito Policial de Arujá e no meu caso, ainda procederei com uma denuncia no Ministério Público para que os fatos sejam apurados e a punição cabivel seja aplicada. O crime de ameaça de morte é passível de 1 a 6 meses de prisão e o pagamento de multa por dano moral também pode ser aplicado. Situações como essa nos abalam, mas também nos deixa mais forte e valida a nossa luta por dignidade, por uma sociedade mais justa e igualitária aos cidadãos homossexuais. A ameaça não tem ligação alguma com o caso da ex-funcionaria, a pessoa que nos ameaçou faz parte do nosso convívio social, o que deixa a situação ainda mais delicada e a motivação da ameaça é fruto de homofobia e intolerância, a não aceitação que dois homens estão construindo algo juntos e se dando bem. É apenas uma fase, que superarei junto com o Douglas e servirá para firmar ainda mais os laços que temos.

sábado, 15 de maio de 2010

Encontro Literário Debate a Diversidade Sexual

A Câmara de Comércio GLS Brasil promove no dia 22 de maio (sábado), a partir das 14h, no Casarão Brasil, em São Paulo, um encontro de autores de temática GLS para debater a diversidade sexual. Batizado de “Como assim”, o evento literário contará com o apoio das Edições GLS e da Editora Malagueta. A programação inclui debate, palestra, leitura de textos e contação de história, com a participação de autores e artistas.

O debate, que acontecerá às 16h, terá a participação dos seguintes autores das Edições GLS: a professora Edith Modesto, fundadora do Grupo de Pais de Homossexuais e autora de Entre mulheres – Depoimentos homoafetivos, o psicólogo Klecius Borges, autor de Terapia afirmativa – Uma introdução à psicologia e à psicoterapia dirigida a gays, lésbicas e bissexuais, e a multimídia Claudia Wonder, autora de Olhares de Claudia Wonder – Crônicas e outras histórias. A publisher Laura Barcelar também comporá a mesa.

Às 19h, o professor e jornalista Irineu Ramos Ribeiro fará uma exposição do seu livro A TV no armário – A identidade gay nos programas e telejornais brasileiros, com lançamento previsto para junho, também pelas Edições GLS. Fruto de ampla pesquisa sobre a cobertura dada pela TV à questão da homossexualidade, a obra revela como as emissoras ainda se pautam pelo preconceito e pela falta de informação. Ao mergulhar nesse universo, Ribeiro analisa a programação das emissoras e mostra a dificuldade e os equívocos que ocorrem quando precisam lidar com as diferenças sexuais na telinha.

No livro Entre mulheres, Edith apresenta uma coletânea de relatos de lésbicas de diversas idades e ocupações que expõem, sem pudores, as descobertas, as angústias, os sucessos e as derrotas colecionados durante a luta por reconhecimento e respeito. Já na obra Terapia Afirmativa, Klécios Borges apresenta a terapia afirmativa como uma nova abordagem psicológica, que surge como contraponto às visões tradicionais que consideram a homossexualidade uma forma patológica ou imatura de expressão afetiva/sexual. Olhares de Claudia Wonder é uma compilação que apresenta o multifacetado e fino olhar da atriz, cantora, militante, colunista e diva trans-cult. Claudia revela a sofisticada diversidade criativa e criadora de uma leitura de mundo sui generis e inédita no mercado editorial brasileiro.

Serviço:

Evento Literário “Como Assim”
Data: 22 de maio
Horário: a partir das 14 horas
Local: Casarão Brasil
Endereço: Rua Frei Caneca 1057 – Consolação -São Paulo - SP
Informações: (11)3171-3739
www.casaraobrasil.org.br

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Clube SoGo - A vida é um Cabaret!

Neste sábado (15), o projeto Profana, do clube SoGo, entra no ritmo da Virada Cultural e apresenta a edição “A vida é um Cabaret!”, que recria o clima sensual misto de requinte e deboche das famosas boates surgidas na França, no século XIX. Além da decoração especial, a noite conta com pocket show da cantora e atriz Priscila Montini, especialista em musicais e teatro de revista. A pista ferve ao som dos DJs residentes Mauro Borges e Edu Pietro, que recebem o convidado Fabiano Marin; o fetiche fica por conta dos gogoboys à moda navy e a hostess Ledah Briacho comemora seu aniversário no camarote VIP.

Nos últimos anos do século XIX, Paris já estabelecida como a principal fonte cultural da Europa, vivia o auge da Belle Époque com a explosão da Art Nouveau. Nesse cenário, nascia uma nova forma de entretenimento, que unia música, dança e teatro burlesco, numa mistura de sátiras políticas com alto teor de erótico: os cabarés; frequentados pela alta burguesia e responsáveis pela ascensão social de nomes como Coco Chanel e Édith Piaf. Após o fim da 1ª Guerra Mundial, o gênero se espalhou pelo mundo, ganhando ares de manifesto na Alemanha e incorporando o estilo pin-up nos EUA. Aqui no Brasil, foi a grande fonte de inspiração para o Teatro de Revista, berço das famosas vedetes imortalizadas pela diva Carmen Miranda.

Esse é o universo explorado pela festa Profana deste sábado, que além de muito house tribal, pop, 90s e 00’s nas pick-ups, apresenta o glamour e a sensualidade de uma era histórica, com a performance de Priscila Montini, artista pesquisadora do gênero cabaré e idealizadora do espetáculo “Cabaret Juke Box”, sucesso há 4 anos nos palcos de Curitiba.

O projeto Profana é idealizado pelo produtor cultural Brunno Almeida e ocorre todos os sábados, a partir das 23h, no clube SoGo (Alameda Franca, nº 1368 - esquina com a Rua Bela Cintra). Entrada R$20,00 e R$15,00 (com flyer ou nome na lista).

Serviço:

Profana especial “A vida é um Cabaret!”
Sábado, 15 de maio, a partir das 23h
SoGo (Alameda Franca, nº 1368 - esquina com a Rua Bela Cintra, próximo ao metrô Consolação)
(11) 3061-1759 / 3088-5737
R$ 30,00 e R$ 20,00 (com apresentação de flyer ou nome na lista)
www.sogo.com.br

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Poetica Diversidade Paulistana

O ser humano, desde sempre, buscou formas de registrar para a eternidade a sua própria história. Por muito tempo esse instinto de preservação da vida, até mesmo com uma certa dose de vaidade, foi documentado em diferentes técnicas. Talvez tenha começado com as primitivas inscrições rupestres, passando pêlos hieróglifos, desenho e a pintora realista, até chegar a programas como o photoshop de nossos dias.

Mas, sem dúvida, está na descoberta da fotografia, no século XX, o grande marco referencial da imagem da vida. Atribui-se ao francês Joseph-Nicéphore Niepce a invenção da fotografia, embora outros pesquisadores também sejam mencionados pela mesma descoberta. Niepce, pelo menos, fez a primeira foto que se conhece como tal. Importante saber — para derrubar equivocadas teses discriminando a fotografia como forma de arte — que os primeiros fotógrafos eram respeitados artistas plásticos. Inclusive o próprio Niepce.

Nessa direção — e na permanente luta para quebrar paradigmas e vencer precon­ceitos — que o Casarão Brasil, com a curadoria de Robert Richard, apresenta , nessa sexta-feira dia 14 de maio a partir das 19 horas, uma exposição com dois fotógrafos de muito talento e sensibilidade. Dois artistas na acepção da palavra, Bruno Carvalho e Miguei de Frias, que nos trazem imagens de São Paulo. O primeiro, olhando a alma da cidade; o segundo, mostrando seu rosto. Ambos, revelando a diversidade na qual vivem os que habitam uma das metrópoles mais complexas do planeta.

Das grandes diferenças paulistanas, desse existir caleidoscópico que nos impõe a realidade, da visão multicolor de cada paisagem, das distintas culturas dos que habitem os espaços públicos e privados, do amor e do ódio surge nesses inspirados trabalhos de Bruno e Miguel, uma imensa e responsável consciência. Cada vez mais é preciso refletir muito para entender e amar São Paulo. E de maneira desarmada.

São Paulo não tem dono, entretanto é de todos nós que nessas fotos captadas muito mais com o coração do que com a mente, sabemos nos identificar nas formas, cores, volumes e, principalmente, nas luzes, Ali estarnos todos escondidos— sozinhos ou em multidão, nascendo ou morrendo, chorando ou rindo, ateus ou crentes, alucinados ou sóbrios. Mas, acima de tudo apaixonados, sob um invisível arco-íris de cristal.

Fotografar, para Bruno e Miguel, não se resume apenas em registrar imagens. Há, no trabalho de ambos, a determinada procura da qualidade, mas com a certeza de que a técnica jamais esconderá a emoção. Observem a suavidade e a força que se encontram, em perfeito equilíbrio, nas suas fotografias.

Serviço:

Exposição: “POÉTICA DIVERSIDADE PAULISTANA
Fotógrafos: Bruno Carvalho e Miguei de Frias
Curador: Robert Richard
Abertura da exposição: 14 de Maio de 2010 – sexta- feira – aberta ao publico.
Horário: das 19 horas às 22 horas
Data: 14 a 30 de junho de 2010.
Horário para visitação: de segunda a sexta das 10 às 18 horas
Entrada: Gratuita
Local: Associação GLS Casarão Brasil
Rua Frei Caneca, 1057

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Sexo Verbal

Depois de realizar temporadas em São Paulo, Campinas e Guarulhos desde 2008, o espetáculo Sexo Verbal (prêmio CIDADANIA EM RESPEITO A DIVERSIDADE 2009) reestréia dia 07 de Maio de 2010, às 21h, no Casarão do Belvedere, em São Paulo. A peça tem textos de Caio Fernando Abreu, Paula Taitelbaum, Tati Bernardi, Rodrigo Levino, Marcelino Freire, HIlda Hilst e direção de Aurea Karpor.

O Espetáculo

Sexo Verbal é um espetáculo que se passa num casarão, é uma festa feita para o amor, para o sexo libertário. Uma ex-prostituta é a anfitriã. Atores e público são os convidados. O espetáculo volta-se para o universo da sexualidade humana, em que muito se fala, muito se faz, muito se vende, pouco se escancara. Mesmo em nichos propriamente sexualizados como sex-shops ou casas de show, tudo é muito escondido, reservado, como numa salinha no canto da locadora de filmes do bairro.. Esse é o ambiente do espetáculo, do Núcleo Cênico ProjetoBaZar.

O espetáculo estuda o discurso sexual, apoiando-se num saber narrativo que pressupõe palavras, imagens, rituais, fantasias, culto de todas as formas de expressão corporal. Durante o processo de criação do espetáculo, o escritor Marcus Aurelius Pimenta realizou um encontro com o Núcleo Cênico ProjetoBaZar para orientar os estudos e sugerir leituras. Os desejos e frustrações pairam acima de todos os personagens do espetáculo: o pseudo modernismo de uma mulher romântica, a falsa moral e a religião esbarrando nos desejos de um bissexual, o conservadorismo de um homossexual, a inexperiência de um garoto perante uma mulher mais velha, num velho freguês a prostituta procura seu pai. Os desejos e segredos dos personagens são divididos em conversa direta com o público espalhado pela casa, ou ao pé do ouvido de um ou outro espectador, ou em um pensamento que escapa da mente do personagem, ou aos gritos, como num quadro de Munch.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia e Direção: Aurea Karpor
Elenco: Alexandre Acquiste, Aurélio Prates, Aurea Karpor, Hélio Tavares, Mariana Galeno
Iluminação: Alexandre Pestana
Trilha Sonora: Régis Frias
Figurino: Alexandre Acquiste
Fotografia: André Stéfano
Operação de Luz: Sally Rezende
Operação de som: Wilton Rozante
Produção: ProjetoBaZar
Orientação de Literatura: Marcus Aurélius Pimenta

SERVIÇO

De 07 a 28 de MAIO de 2010
Sextas às 21 horas
Local - Casarão do Belvedere - Rua Pedroso, 267 - Bela Vista (próximo ao metrô São Joaquim)
Informações - (11) 3266-5272
Ingressos - 30 reais (15 reais meia entrada)
Lotação - 50 lugares
Duração - 60 minutos
Recomendação - 18 anos

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Intolerante a Homofobia

Ontem, aconteceu um fato extremamente constrangedor na empresa que eu trabalho. Soube que uma funcionária contou para uma recém contratada que sou gay, porém, ela fez uso de termos pejorativos, referindo a mim como “viado” e a minha irmã como “sapatão”. A recém contratada da empresa não disse quem nos expôs de forma tão esdrúxula e para evitar mais confusões, não queria continuar comentando sobre assunto.

Trabalho na empresa dos meus pais, o que deixa a situação ainda mais constrangedora. Quando tomei conhecimento do ocorrido, fui falar com minha mãe e disse que não admitia tal comportamento e queria punição para quem se referiu assim de mim e da minha irmã. Meus pais não queriam alarmar ainda mais esse assunto que os incomoda e pediu para eu esquecer tudo isso, relevar a situação, eu me revoltei e disse que não e que me recusava continuar numa empresa onde não há respeito a minha pessoa, ainda mais se tratando de uma empresa que eu ajudei a construir.

Hoje, não fui trabalhar. Minha mãe me ligou e eu disse que estava decidido, não trabalharia nessas condições e exigia saber quem havia me tratado dessa forma. Depois meu pai me ligou e perguntou se era isso mesmo, se eu não iria mais trabalhar na empresa, repeti a ele o que já havia dito a minha mãe. Meia hora depois minha mãe me ligou e diz qual funcionária foi autora da homofobia, e, que ela seria suspensa por uma semana para refletir sobre as normas de conduta que ela adotou na empresa.

O clima ficou estranho, mas eu fiquei satisfeito, pois percebi que sou completamente intolerante a homofobia no ambiente de trabalho e que em situações extremas, eu prefiro perder o emprego para manter a minha dignidade. No meio de toda essa confusão, varias vezes repeti que “luto na sociedade contra a homofobia e não posso permitir fatos como esse na minha vida”. Senti-me honrado e grato a minha família, que entendeu que o respeito e a dignidade do ser humano estão acima de tudo. Se não agisse de forma tão radical, invalidaria toda a luta que já travei pelos direitos dos LGBTs e não haveria motivo algum para continuar a minha militância.