Pesquisar este blog

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Expressão Literária da Vida

Vejo a vida como uma expressão literária, algo peculiar e muitas das vezes pessoal e intransferível, vejo a minha vida como uma manifestação poética, minha vida não acontece com prazos definidos, ela tem o seu tempo, assim como a poesia, nunca ouvi dizer que um poeta escreveu por produção, existe todo um cenário para que a sua sensibilidade aflore e que nasça a manifestação do seu âmago em forma de poesia, a vida narrada em linhas corridas, às vezes com rima, às vezes somente com sentimentos emitidos.

Muitas pessoas têm a sua vida como uma dissertação, algo com tese, desenvolvimento e conclusão, existem vantagens para quem tem uma vida tão objetiva como esta. Pessoas assim são ótimas para solução de conflitos, são praticas, coerentes e implacáveis, não é o meu caso, em relação aos sentimentos da vida sou um ser humano complexo, passível de interpretação literária, pena que isso é um trabalho difícil para muitas pessoas, muitos preferem uma dissertação, porém não conhecem jamais o doce sabor de uma poesia.

Também vejo pessoas que suas vidas se aproximam muito de um conto, textos curtos, leituras leves e desprendidas de conhecimento prévio para seu entendimento, vejo esse tipo de pessoas sem apego ao passado e futuro, o que importa é apenas o presente, o conto é muito imediatista, são pessoas semi-complexas, pessoas que não precisamos despender muito tempo para entendê-las, amá-las ou odia-las, pessoas que muitos conhecem pela sua objetividade, são populares, semi-complexas, pois são de fácil interpretação, deciframos um conto em pouquíssimo tempo, em linhas corridas nos interamos de uma vida vivida, sem muitos rodeios, porém com sua magia e beleza nas entrelinhas.

Também existem outros tipos de manifestações comportamentais que podemos comparar com obras técnicas, são pessoas que poucos se atrevem a conhecê-las, apenas quem já tem um conhecimento prévio, pois caso contrário seria uma sessão de murros em pontas de facas, cada um tem o seu estilo, a sua e visão analítica que deve ser conhecida, interpretada e questionada, porque todos nos somos passiveis de reedição, nada é uma verdade absoluta, ao longo dos meus 26 anos, não conheci o verdadeiro sentido da vida, o porquê estamos aqui vivendo e morrendo, saindo de um lugar que não conhecemos e indo para outro que muitas das vezes duvidamos, só temos certeza da vida e da morte, temos certeza do que vivemos e que um dia tudo se findara, mas não vejo grandes objetivos nisso, muitas pessoas passam suas vidas inteiras presas dentro de si mesmo, morrem sem terem sentido prazeres na vida, para tais pessoas valeu a pena? Não sei, não sabemos o que está por detrás da vida.

Respeito todas as outras manifestações de vida, mas sempre quero que a minha vida seja como uma poesia, acreditando no amor, falando nas entrelinhas, emocionando multidões e repulsando outras, sempre quero ser uma demonstração primaria de bons sentimentos, de rimas e emoções, sei que tenho sentimentos complexos e muitas das vezes me coloco em situações amargas por conta disso, mas não abro mão dos meus sentimentos, da vida, do ritmo que a vida me dá, confesso que já perdi o ritmo da vida em algumas situações, mas qual foi o poeta que nunca errou uma rima? Mas nunca me omite, sempre me coloquei novamente em posição e voltei a narrar a minha vida em forma de amor e poesia.

5 comentários:

joicehillario disse...

Oi amado que saudades, adorei achar seu blog.
Coloca o meu ai...é www.cafofododesabafo.blogspot.com

Blog do Jean disse...

Olá, blz?

Interessante isso heim! Meio dificil de entender, mas gostei (rs)... e desculpa minha ignorência.
Votei na enquete; Com a força do perdão, bondade, sabedoria e amor.
Não adianta lutarmos com forças sobrenaturais, nossa briga não é com alguém de carne e osso, mas sim com as forças espirituais, sendo assim só com muito amor e sabedoria pra vencermos isso, e com fé em Deus é claro.
Bjs...

Ricardo disse...

Sim, você é um poeta. E, como todos os poetas, é muito difícil decifrá-lo, tarefa para bem poucos. Por isso, não espere muito das pessoas. Saiba que, como um poeta, ao menos os dias não escorregarão entre os seus dedos como um mero sabonete, você conseguirá ir muito além disso...
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

alanyson disse...

Como está o meu amigo?
Poesia, meu caro. Essa palavrinha mágica que coloca colorido em tudo o que fazemos, essa arte que de tão subjetiva, nunca pode ser totalmente decifrada...Gosto de poesia e tentei ver em qual grupo literário se encontra a minha personalidade: eu diria que num conto-poético. Não só poesia, mas não só uma exposição de fatos sequenciais, ou seja: os fatos sequenciais carregados de poesia. Só de poesia para mim não dá, mas só de conto, também não. A outra variável, está fora de cogitação. Ou não.

alanyson disse...

Marcos, retiro tudo o que disse: sou uma poesia fodida. Apesar de achar que isso não seja muito bom, gosto desse gosto que fica na boca.