Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 22 de janeiro de 2012

Hair


Sexta-feira, assisti o musical Hair, que está em cartaz no Teatro Frei Caneca. O espetáculo conta de história de jovens americanos que em plena Guerra do Vietnã  conhecia as dores e as delícias de uma época sui generis: o amor livre, o rock psicodélico, a filosofia oriental, a descoberta de drogas como o LSD e o estilo de vida dos hippies. Por outro lado, assistia ao primeiro conflito internacional televisionado e se indignava com os horrores da segregação racial e sexual. Neste caldeirão de acontecimentos, ‘Hair’ estreava em um pequeno teatro off-Broadway, em 1967. Não precisou de muito tempo para se tornar um fenômeno, migrar para o circuito principal e se propagar em dezenas de montagens ao redor do planeta.

"A paz há de lavar o mundo, o amor vai derramar", diz a versão de "Aquarius", que abre o musical "HAIR". As emoções transmitidas pela magnífica montagem brasileira realmente lavam o público e derramam-se sobre as poltronas do teatro. A missão de paz dos diretores Charles Möeller e Claudio Botelho tem alvo certeiro nos corações dos espectadores de qualquer idade. Hair não é apenas um musical. É a celebração de uma nova era, a negação de todos os formatos dramáticos e musicais até seu surgimento em 1967. Um painel de contracultura viva, pulsando, mostrando novas possibilidades de conteúdo e forma em cena.

A montagem brasileira custou R$ 5,5 milhões, sendo R$ 2 milhões via leis de incentivo fiscal. Ao todo, mais de cem pessoas trabalham no espetáculo. Para as novas gerações, que não assistiram à montagem brasileira de 1969, dirigida por Ademar Guerra, e cuja única referência é o filme "Hair", de Milos Forman, considerado uma traição ao musical, é uma oportunidade de conhecer o espetáculo que marcou uma geração.

Serviço:

Teatro Frei Caneca
Rua Frei Caneca, 569 - Shopping Frei Caneca, 6º andar
Tel: (11) 3472-2226 / 2229-2230
Quintas, às 21h. Sextas, às 21h30. Sábados, às 18h e 21h30. Domingos, às 18h.
Ingressos: R$130 (qui / sex) e R$ 160 (sáb / dom)
Temporada até 29 de abril

3 comentários:

FOXX disse...

5.5 milhões pra produzir uma peça?
=O

Marcos Freitas disse...

Muitas por ai custam bem mais. Musicais sempre são produções muito caras.

Melissa Cristina de Jesus disse...

oi, eles deveriam baixar o preço
adoro hair
é dever deles de baixar o preço do ingresso