Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Apartir de hoje não subtraio e nem divido, apenas somo e multiplico...

Pior que sofrer de amor é saber que você sofre de amor sozinho... Creio que a pior parte do termino de uma relação é o primeiro ano, pois passaram datas que você estava acompanhado a lembrança do que ocorreu no a um ano atrás vem a tona, quando terminei o meu relacionamento eu propus uma amizade, no inicio era uma esperança de volta, hoje sei que isso está fora de cogitação, mas não voltei atrás no quesito amizade, não imagina que faria isso, sempre fui tão frágil, mas hoje eu sustendo a hipótese da amizade, é uma pena o nosso querer não ser poder.




Numa relação não pode haver dependentes, somente titulares, o meu grande erro vou depender demais sentimentalmente de uma pessoa, muitas das vezes me colocando em segundo plano, nunca indo ao encontro de mãos vazias, sempre procurando agradar, mesmo que esse agrado significasse a minha anulação, nesse ponto eu me subtrai, me dividi, me rebaixei e me humilhei, e quando cheguei no fundo o poço vi que estava numa condição subumana, implorando por carinho e atenção, muitas das vezes implorando por um beijo, não existe nada mais humilhante que isso, mas nesse caso a culpa é de ambos por não detectarem o que estava errado, ou de até detectar e não se unirem para solucionar, nesse caso a compreensão e o perdão é fundamental.

Amar não dói, o que dói a insignificância na qual somos expostos, isso dói e confesso: É a pior dor que eu já senti, é duro você se sentir jogado, estraçalhado, caído na rua com os direitos violados, não existe nada pior que isso, dói você cogitar que amou sozinho, que carregou uma relação nas costas sem uma preocupação maior de quem estava ao seu lado, dói e te garanto que a dor é horrível, antes de amar novamente terei que me curar de tantas feridas expostas deixadas pelo amor anterior.

Reitero que amar não dói, o que dói é a insignificância que somos submetidos...

4 comentários:

Zug disse...

Oi, Amigo...
puxa..quanta verdade!
Esse tal amor é bom..mas o que fazem com ele...e o que fazem com a gente...não é mole não!
E como é difícil reagir quando há desequilíbrio na balança de "quem dá mais?" na relação...
Não sei dizer se o pior é o durante ou o depois...limpar as feridas, esperar cicatrizar...e...continuar!

A Tributarista disse...

Sei que é difícil agora, mas essa experiência, hoje muito dura, pode acreditar - está contribuindo prá tua real felicidade.

Isso a gente só consegue ver depois que passa. Não é consolo agora. Mas, ainda um dia, vc vai me dizer: Vc tinha razão, minha amiga!

Desejo um futuro maravilhoso pra' ti, ao lado de quem te mereça!

Bjus
Atri

Paloma disse...

Sabe, parece que vivemos a mesma vida. Parece que escreve pra mim.

Você sim, é uma grande pessoa. Sabe exteriorizar a dor que sente, e transformá-la em algo tão bonito como estas palavras... Está de parabéns.

No final, você vai ver que soube aproveitar cada segundinho da sua dor. Eu queria ser assim também.

Bjnhs.

Paloma

Noninho disse...

Lindo demais.Não consigo fazer nem um comentário...só chorar...