Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Despedida Permanente

Sabe quando você fica sem reação alguma, completamente inerte? Foi exatamente assim que me senti quando ouvi dizer pelo telefone que a mãe dele havia falecido. Estava apreensivo desde ontem, quando ele me ligou e disse que a sua mãe tinha infartado, vi o sofrimento dele, daquele garoto que há vários anos divide comigo os melhores e piores momentos da vida.

Ontem, cheguei em Arujá, peguei o meu carro e fui ao seu encontro, fomos para o hospital. Sua mãe precisava ser transferida para a UTI, só que em Arujá não havia vagas e a papelada para transferi-la para um hospital em Guarulhos já estava em andamento. Muitos membros da família estavam aguardando no saguão do hospital , pois ela estava pedindo para ver todos, principalmente os filhos.

Quando entrei no quarto do hospital, disse num tom de brincadeira:

- A senhora deu um susto nos seus filhos – e ela me respondeu com outro sorriso.

- A cidade do “pé junto” está me chamando– e eu retruquei.

- Tá nada, você vai ver, logo, logo estará bem melhor - também perguntei se ela estava melhor e se sentia alguma dor, ela disse que estava bem e não estava com dores. Apesar da gravidade da situação, imaginava que ela sairia dessa e que aconteceria novamente uma festinha em sua casa, regada de historias e muitas risadas.

Saindo do hospital, lembrei que há anos atrás ela havia me mandado um recado: Avisa para aquele menino nunca mais aparecer aqui. É natural as mães ficarem com raiva do namorado do filho quando descobre que o filho é gay, mas com o tempo fui me aproximando, a ponto de estar com ela nos últimos instantes de sua vida. Ainda não consegui chorar, mas sabe quando sentimos a nossa garganta embargada e os olhos lagrimejantes? Estou assim. Estou triste, da mesma forma que fico quando me despeço permanentemente de um ente querido. Hoje, conversando com a minha mãe, disse como a mãe do Douglas era parecida com ela e ela lembrou que o Douglas também lhe disse isso. A mãe do Douglas era uma verdadeira figura, assim como é a minha mãe.

Tenho certeza que a Dona Cirleide descansa no coração de Deus e que ela fará uma imensa falta para todos aqueles que a rodeava. Vou sentir muita falta das festinhas que ocorriam na casa dela e com ela sempre insistindo para eu comer mais um pedaço de bolo e tomar mais um copo de coca-cola. Não acredito que a morte é mais forte que a vida, acredito em transcendência e sei que a Dona Cirleide permanece viva nos corações de quem a amava. Sentiremos saudades.

4 comentários:

Introspective disse...

Meus sentimentos a você e ao seu namorado. Seu post é um bom exemplo de como as pessoas podem superar preconceitos, perdoar e evoluir.

Diógenes de S. disse...

Meus pêsames. Que vocês superem juntos essa dor!

Paulo Braccini disse...

meus sentimentos para vc e para o Douglas ... a morte se caracteriza pela ausência e não pela perda ... acredite ... ela está bem ...

bjux

;-)

FOXX disse...

que pena amigo
transmita minhas condolências ao douglas!