Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Um Passo na Luta dos Direitos Humanos no Brasil

Milito no movimento LGBT há quase 10 anos. Nossas reinvindicações não são nem um pouco ambiciosas e também não tem a pretensão de censurar e impedir que religiosos deixem de professar sua fé. Nossa luta é em favor da vida, em favor do direitos que nos são negados, mas garantidos pela constituição. Lutamos pelo direito de ir e vir sem receber uma lâmpada na cara, lutamos por esperar um taxi sem ser surpreendido por grupos homofobicos, lutamos pela vida.

Hoje o movimento LGBT comemora uma grande vitória, somos o quarto país da américa do sul que passa a reconhecer a união afetiva de pessoas do mesmo sexo como entidade familiar. E porque não reconhecer? Minha irmã mora com a sua namorada há mais de 5 anos, elas tem uma vida comum, vão ao supermercado, fazem seus planejamentos financeiros, tem seus planos e sonhos como qualquer outro ser humano. O que difere elas de uma família estabelecida nos moldes da heteronormatividade?

Vencemos apenas a barreira legal. Sim, agora juridicamente somos aceitos, mas ainda temos uma árdua batalha social. Temos que vencer o preconceito e fundamentalismo que está enraizado na nossa nação. Questões como as que foram discutidas ontem e hoje no Supremo Tribunal Federal, não deveriam fazer parte da pauta da nossa Corte maior, entendo tais direitos como naturais.

Duas pessoas que se amam e estão de comum acordo firmado para construir uma família, de forma alguma deveria ser motivo de julgamentos de setores conversadores da nossa sociedade. O reconhecimento da união homoafetiva pelo Supremo Tribunal Federal, não abre a mente da sociedade para a aceitação, essa luta ainda continuaremos a travar.

Por outro lado, essa decisão deveria ter vindo do legislativo desse país, pelas mãos de Deputados e Senadores que são legitimamente eleitos pelo povo a fim de criar políticas públicas e inclusivas para todos os cidadãos, já que a nossa constituição garante que todos são iguais perante a lei. Tenho vergonha do legislativo desse país e espero que os senhores Deputados e Senadores tenham aprendido as lições de direitos humanos que foram proferidas pelos Ministros do STF na tarde de ontem e hoje .

O dia 05 de maio ficará para sempre marcado na militância LGBT no Brasil. O dia que fomos libertados das amarras sociais que impediam duas pessoas do mesmo sexo que se amam, de terem um relacionamento em sua plenitude. A partir da decisão de hoje, o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo será permitido e as uniões homoafetivas passam a ser tratadas como um novo tipo de família.

O julgamento foi aprovado por unanimidade, não esperava por isso, imaginava que teríamos fortes emoções, que nos contorceríamos no sofá, que suaríamos de desespero, mas tudo foi muito tranquilo, o Supremo Tribunal Federal desse país está no século XXI, diferente de outros setores sociais que ainda vivem em épocas medievais. Parabéns STF, parabéns senhores ministros, que se inclinaram para as necessidades dos cidadãos homossexuais desse país.

9 comentários:

Pode me chamar assim... disse...

Eu tinha certeza que vc já teria algo postado no seu blog! Aliás, sempre muito bom!
Me parece que ainda não foi aprovado o casamento civil, propriamente dito, mas sim a união estável. O que já é uma ótima conquista! :)

Bia Sousa disse...

Por mais incrível que pareça, acho que esse é um probema, um tabu religioso, pq pelo que vemos por aí, a grande maioria dos "separatistas" (literalmente!) tem um fundo de motivação religiosa. Aprenderam, por hereditariedade mesmo, a ogerizar oque é diferente de sua fé. É difícil mudar. E é mais difícil ainda ter que encarar seus valores e redefiní-los, especialmente quando não se sabe bem de onde vem aquilo... Vai demorar, ainda, mas a sociedade será melhor nesse e em outros sentidos. Essa decisão, para minha vida, não quer dizer nada, mas compreendo o acontecimento como um marco que abre jurisprudência para muitos outros direitos, além de proteger um pouquinho mais os gays que são atacados de inúmeras maneiras pela parcela ignorante da sociedade. Esses precisam entender que é necessário aceitar o que não é como eles e agradecer ao Criador que existem diferenças no mundo... Vou redigir algo no blog lá q eu sou meio prolixa prum comentário.rs...

FOXX disse...

que bom que tivemos, finalmente, uma vitória não é? e unânime!

Marcos Freitas disse...

Exatamente Alisson, a união estável é diferente do casamento, o casamento contempla mais direitos, mas não é uma realiade muito diferente.

S.A.M disse...

Acompanhamos quase juntos isso! rs

Que bom que foi um final unanime e incontestável.

Mas a luta não acabou!

Anônimo disse...

Essa é uma grande vitória para os LGBT de todo o Brasil, principalmente por ter sido a votação por unanimidade, embora com muitas ressalvas. Mas é preciso a aprovação da lei que criminaliza a homofobia (PLC 122). Quanto mais visibilidade os gays tem, mas atraem o ódio dos fundamentalistas e homofóbicos de toda natureza, principalmente nas regiões mais interioranas e atrasadas desse país. É importante que se crie um arcabouço jurídico que proteja os LGBT da mesma forma como existe os que protegem idosos, mulheres e menores de idade!!!

Leo Carioca disse...

Não posso deixar de enfatizar e concordar com o que a Bia disse, porque nos lembra aquele problema óbvio: 90% dos comentários homofóbicos têm algum fundamento religioso (geralmente algum fundamento evangélico).
Então, embora algumas pessoas façam força pra fazer parecer que homofobia não tem nada a ver com religião, não é difícil encontrar alguns milhões de provas de que tem.
E depois ainda tem evangélico que não entende por que é que tem tanto gay que não vai com a cara deles!
(claro que eu usei os evangélicos aqui como exemplo porque são os que atacam as pessoas homossexuais de forma mais agressiva: não estou inocentando as outras religiões que também são homofóbicas)

Anônimo disse...

Como disse em comentário anterior, quanto mais visibidade tem os LGBT, mais ódio eles atraem dos fundamentalistas de toda natureza. Leiam este artigo publicado hoje no Terra Magazine:
http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5119471-EI6594,00-Panfleto+de+Bolsonaro+expoe+fotos+e+ataca+lideres+gays.html

Anônimo disse...

Está existindo na mídia brasileira uma grande polêmica sobre a decisão do STF sobre a união civil homossexual. Dizem que a sociedade brasileira é conservadora e a maioria não aprovaria tal decisão e mostram resultados de enquetes feitas em sites de grande repercussão com a maioria contrária à decisão do tribunal. O Supremo é o mais alto tribunal deste país e é composto por 11 ministros de ilibado conhecimento jurídico indicado pela Presidência da República. A decisão sobre esse assunto foi unânime, o que causou surpresa em muitos, pois temos nesse tribunal magistrados de ideologias profundamente diferentes e até mesmo antagônicas, como é o caso do Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa, que chegaram a debater em público em episódio de ampla repercussão em todo o país. O STF julga de acordo com a Constituição e não de acordo com as idéias e opiniões da sociedade. A sociedade brasileira é conservadora, reacionária, homofóbica, dentre muitos outros adjetivos negativos e que em nada a engrandecem frente às sociedades mais avançadas do mundo. Basta acompanhar os relatórios da Anistia Internacional sobre a tortura e o extermínio no Brasil todos os anos que envergonham a todos nós. A nossa formação é profundamente homofóbica. Desde a infância entendemos como grande ofensa ser chamado ou chamar alguém de "viado,boiola" ou "sapatão" e isso continua na vida adulta. Isso não tem mudado até os dias de hoje e devido à visibilidade dos LGBT até se agravou em muitos casos, como a distribuição aberta de panfletos contrária à decisão do Supremo e atacando os homossexuais. Não se pode esperar que uma sociedade com essas características possa representar avanços com relação à tolerância. A Justiça precisa agir em favor dos LGBT sempre que for necessário e defendê-los de todos os seus inimigos. Gostaria muito que esse comentário fosse aprovado para que outros leitores pudessem se manisfestar. Muito Obrigado Marcos!!!