Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 10 de abril de 2012

Entre o Amor e o Ódio

Impressionante como velhos clichês, que muitas das vezes achamos que são meras frases de efeito usadas estrategicamente em momentos inoportunos, acaba fazendo tanto sentido em nossas vidas. Já tem um bom tempo que resolvi ser mais seletivo em minhas amizades e cortar definitivamente todas as pessoas que não faziam bem a minha vida.

Há alguns anos, eu era cheio de “amigos”. Vivia sempre rodeado pessoas que no fundo não gostavam de mim, mas sim do que eu tinha ou poderia proporcionar. Amizades plásticas, que tem o único intuito de se aproveitar do que você tem ou pode fazer. Eu ficava mal com isso e partia para um corrida sem fim em fazer com que todos gostassem de mim de verdade. A única coisa que conseguia, era me despersonificar.

As pessoas sempre te amaram e te odiaram pelo mesmo motivo – disse a um amigo que me ligou chateado por conta de supervalorizar pessoas que, na verdade, não dão a mínima para ele. Aprendi a duras lições que esse tipo de comportamento só nos coloca cada vez mais para baixo e camuflam o verdade sentido do que temos de mais precioso, o nosso amor.

Hoje tenho poucos, mas posso dizer que tenho bons amigos. Não tenho mais ninguém ao meu lado, estrategicamente posicionado para tirar qualquer tipo de proveito da minha amizade. Um dia acordei e resolvi ser eu mesmo, não me importante se estava alegrando a gregos ou troianos.

2 comentários:

Leo Carioca disse...

Bom, espero que eu não seja um desses que você quer ver pelas costas.rsrs
Mas eu sempre tive esse posicionamento que você diz, de deletar ´amizades` que me faziam mal.
Lembra dos velhos tempos do YR? Já faz alguns meses que eu não faço nenhuma pergunta nem resposta lá, mas ali eu sempre bloqueava quem eu via que era amizade falsa. E aquilo era simplesmente um reflexo do que eu faço no dia a dia. Embora na vida real a gente não possa bloquear ninguém apertando uma tecla, isso não impede que a gente se afaste de quem é amizade falsa, né?

Marcos Freitas disse...

Não mesmo Leo, você é super querido. Faz muito tempo que não entro no YR, mas acredito que tudo na internet podemos chamar de uma tiragem amostral da sociedade.