Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Guia de Etiqueta: Saudações

Ontem, conversando com um amigo, confessei: “eu não cumprimento pessoas em elevadores”. Ele ficou passado com a minha declaração, achou um absurdo o fato de eu entrar num recinto e não saudar os presentes. Não gosto de criar vínculos com pessoas que conviverei por apenas alguns minutos, às vezes segundos. É muito estranho o comportamento das pessoas nos elevadores, uns olham para a cara dos outros e dão risinhos sem graça enquanto os outros comentam sobre a chuva que deu no último feriado prolongado e as possibilidades disso acontecer no próximo feriado.

As regras de etiqueta dizem que ao entrar num elevador devemos saudar as pessoas com um aceno de cabeça acompanhado ou não de um "bom dia". Quem foi saudado retribui a saudação. Eu prefiro não saudar, me apego fácil as pessoas e quero evitar sofrimentos futuros quando chegar o andar de determinada pessoa e tivermos que nos separar para sempre. Ao entrarmos num elevador em silencio e sairmos em silêncio, estamos respeitando a individualidade de cada um, não há como saber se determinada pessoa está no meio de uma reflexão ou se simplesmente ela não acordou bem e não quer dirigir-se a ninguém. Caso seja feito um aceno de cabeça, faça apenas um aceno geral, é estranho se dirigir a cada um dos presentes e acenar individualmente.

Outra situação que considero delicada é o fato de entrarmos atrasado numa sala de aula ou reunião e ao abrir a porta recepcionarmos os presentes com um caloroso e sonoro bom dia, desconcentrando todos os que estão trabalhando e/ou estudando. Chegar atrasado já é indelicado, quando isso acontecer, temos que entrar no ambiente de forma imperceptível, fazendo o mínimo de barulho possível, pois existem pessoas que tem problema de concentração e só o fato de alguém entrar em silencio, tira à atenção muitas pessoas.

Quando chegamos num ambiente onde as pessoas estão divididas em vários grupos, não há necessidade de dar beijinhos e bom dia em todas pessoas de todos os grupos, cumprimente apenas as pessoas que você conhece e as que estão acompanhadas delas e beije apenas as pessoas que você tem intimidade, apesar de moramos no Brasil, um país de calor latino, existem muitas pessoas se sentem retraídas ao serem tocadas.

Não há necessidade de cumprimentarmos as 147 pessoas que encontramos na rua, como no caso do elevador, essas pessoas são frutos de relacionamentos instantâneos, caso seja alguém que você conhece de vista, é educado um aceno com a cabeça e se alguém lhe der bom dia, é educado responder. Quando o bom dia for seguido de um “como vai” ou “você está bem”, contenha-se em dizer “sim, estou bem”, ninguém precisa ficar sabendo dos problemas de pressão arterial da sua mãe, dos roncos do seu marido e do cálculo renal da sua filha.

Na dúvida em como se comportar, é só pensar: “Ai, e se fosse no meu!”. Sempre temos que projetar nossas ações em nos mesmo, só assim saberemos em quais situações somos enfadonhos e como podemos nos policiar para criar uma situação de bem estar social aos que nos rodeiam.

8 comentários:

MaxReinert disse...

Eu sou daqueles que vive abanando a cabeça.... muitas vezes até quando "eu penso" que a pessoa tá olhando pra mim!!!! :O

FOXX disse...

aff
pelo menos bom dia né??

Renato Fierce disse...

Nossa, fiquei depre, eh bem verdade, acho que não sou de saudar as pessoas ao elevador, porque nunca mais as verei... ainda mais que os lugares que eu frequento e tem elevador são hospitais e afins, entao eh capaz de nao ver mesmo... q triste... profundo... Melhor ser educadinho neh.

Marília, a mesma Única e Exclusiva disse...

Eu adoro etiqueta e o bom senso... e concordo que não devemos cumprimentar a todos...

Bjos ú&e

J. M. disse...

Aff...concordo com a questão da sala de aula ou reunião, é o que costumo fazer: entro sem ninguém me ver. Mas nunca analisei essa questão do elevador mas não acho nada demais não. Me apegar a alguém de um andar para outro? Vixe...
Agora abrir sua vida para um estranho, aí também já é demais. E sabemos que tem gente que faz isso mesmo...
Abração...

Mariah disse...

tenho dificuldade em controlar meu excesso de intimidade quando entro nos lugares...além de beijinhos, gosto de abraçar.
se chego numa festa...vou abraçando e beijando um por um...já começo puxando papo...será que isso é coisa de mulher????

Rodrigo disse...

Eu sou do tipo que nunca cumprimenta ninguém, só mesmo se conheço a pessoa. As pessoas devem me achar super antipático, sei lá!!

Leandro K. disse...

Faltou a capa do CD doScirros Sisters para ilustrar o post! =D

Eu não falo nada... sou antipático assumido e não cumprimento ninguém em aglomrações de desconhecidos. Desconhecidos, só quando estou me dirigindo a eles.

E mesmo os conhecidos aprenderam que eu não dou valor pra cumprimentar as pessoas. Acho um saco. Chego e pronto. Em casa, ninguém mais espera que eu fale "oi" quando chego.