Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual

Amanhã, 16 de abril, das 16h às 19h30 no auditório da Secretaria de Participação e Parceria, serão realizadas as eleições para o Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual da cidade de São Paulo, localizado na rua Líbero Badaró, 119. Para votar, é necessário ser municipe da cidade de São Paulo e comprovar tal condição apresentando comprovante de residência ou o titulo de eleitor do municipio de São Paulo. Se candidataram gays, bissexuais, transgêneros, travestis e transexuais que militam na causa LGBT.

Antigamente os conselheiros eram indicados pelo Fórum Paulista LGBT e para tornar a escolha mais democrática e inclusiva, foi adotada a participação de toda a sociedade na escolha. O Conselho tem como principal missão assessorar e acompanhar a implementação de políticas públicas de interesse da comunidade LGBT na cidade. Conta com representantes da sociedade civil desse segmento e representantes de diversas secretarias da prefeitura, como Educação, Saúde, Direitos Humanos, Guarda Civil Metropolitana. A principal missão é assessorar e acompanhar a implementação de políticas públicas de interesse das pessoas LGBTTT no município de São Paulo.

Cada pessoa poderá votar em um único candidato ou candidata que represente sua orientação sexual ou identidade de gênero mediante a apresentação de comprovante de residência e RG. Segue abaixo relação de candidatos:

Lésbicas:
  • Adriana Silva - Militante, empresária e possui um espaço onde comercializa acessórios pensados e desenvolvidos especialmente para o público LGBT.
  • Débora Pereira - Estudante de Serviço Social, Débora é militante há três anos. Atualmente é secretária do Coletivo de Feministas Lésbicas, ativista da ABL (Associação Brasileira de Lésbicas) e da ABLGBT e foi relatora do encontro de travestis da região sul.
  • Fátima Tassinari - Consultora de diversidade sexual e foi uma das responsáveis pelo planejamento estratégico da Associação da Parada do Orgulho LGBT em 2000.
  • Hanna Korich - Sócia da primeira e única editora lésbica da América Latina, a Malagueta. Advogada, especialista em direito homoafetivo.
Gays:
  • Cristiano Valério - Pastor da Igreja da Comunidade Metropolitana de São Paulo e ativista LGBT.
  • Dário Ferreira - Formado no curso de Letras pela Capes - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Memórias do cotidiano e saberes sujeitados. Participou do Conselho no período de 2008/09 como representante dos gays.
  • Douglas Drumond - Presidente do Casarão Brasil, espaço dedicado a abrigar associações e organizações LGBT que desenvolvem projetos socias para a comunidade.
  • Nilton Paiva - Presidente da Associação Brasileira de Turismo para GLS, instituição dedicada ao turismo para o segmento.
  • Ricardo Conte - Sem informações adicionais.
  • Thales Coimbra - Estudante, 19 anos, Thales cursa a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Atualmente preside o Geds (Grupo de Estudos de Diversidade Sexual).
Bissexuais:
  • Alessandro Soares - Sem informações adicionais.
  • André Pomba - Formado em Jornalismo, editor da revista Dynamite, DJ e produtor de eventos. Desde 2000, promove o evento Mix Music, que reúne público e artistas da cena GLS. Sua dedicação e envolvimento com a cultura e a diversidade sexual lhe rendeu diversos prêmios.
  • Beto Sato - Publicitário e jornalista, com especialização em Direitos Humanos e Gestão de Políticas Públicas na Procuradoria Geral do Estado de São Paulo. Integra o Comitê Intersecretarial de Defesa da Diversidade Sexual, da Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual, da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo e foi conselheiro do Conselho de Atenção à Diversidade Sexual da Prefeitura de São Paulo.
Travestis:
  • Alcione Carvalho - Militante ativista, conselheira de saúde do Campos Elíseos. Já atuou como palestrante em diversos encontros e cursos de capacitação voltados para o segmento LGBT.
  • Bianca Cereja - Estudante de Moda. Realiza oficinas de moda para travestis e transexuais, auxiliando em em seu desenvolvimento profissional.
  • Cláudia Wonder - Militante, conhecida nacionalmente pelo público LGBT. Sua visibilidade se deu, não só pela sua ligação com as arte, como também na luta pelos direitos do segmento LGBT. Claudia também escritora, performer e cantora. No cinema já atuou em mais de dez filmes, clipes musicais e peças de teatro.
  • Miriam Queiroz - Presidente da Associação Correndo Atrás Miriam que auxilia o segmento LGBT na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e orienta sobre direitos das travestis e transexuais.
Transexuais:
  • Leonardo Moreira - Sem informações adicionais.
  • Thaís Souza - Assistente social do CRD (Centro de Referência da Diversidade). Como ativista participa de grupos e atividades relacionadas à inclusão de transgêneros.
Transgêneros:
  • Dindry Buck - Formada em Publicidade e Propaganda, Dindry é jornalista, design, maquiadora e atriz. A drag sempre participa e promove atividades do segmento LGBT.
  • Nina Cash - Drag militante que participa ativamente em ações contra o preconceito. Sua presença na cena LGBT está não só ligada a atividade artística como também na luta pelos direitos da população LGBT.
  • Renata Peron - Cantora, ativista e militante do segmento LGBT. Em São Paulo, Renata é conhecida pelas suas atuações em atividades sociais como o Diversidade nas Praças.
  • Salete Campari - Formada em matemática, Salete é uma reconhecida ativista, se candidatou a deputada estadual e vereadora em 2008.Salete é famosa por suas performances como drag queen.
  • Suzi Di Amante - Militante ativista do Instituto Ser Humano de São Paulo. Atualmente é conselheira do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual.

4 comentários:

Guy Franco disse...

Formada a equipe, sobe-se ao Megazorde. O golpe final do arco-íris não tem pra ninguém.

Leo Carioca disse...

Sinceramente, eu ainda nem pensei em quem eu vou votar nas próximas eleições.
Mas certamente eu vou votar CONTRA os candidatos evangélicos de igrejas conservadoras. Tem algumas dezenas de exemplos históricos de que misturar religião com política não dá certo. Então, o meu voto é contra quem faz isso em 1º lugar.
Mas é claro que a gente tem que conhecer os candidatos GLBT também.

Marcos Freitas disse...

Dependendo de quer for eleito, será a descoloração do arco-íris. Temos que tomar cuidado com militantes de gabinete e militantes virtuais, que fazem apenas trabalho de fachada por conta do jogo político. Essa lista de candidatos está repleta de pessoas dessa natureza.

RICARDO AGUIEIRAS disse...

Marcos,
Bom,vou votar no Douglas Drumomd, por que confio nele. Enfim,está tudo muito confuso, mas precisamos acabar com pessoas que apenas usam o movimento LGBT com outros interesses.
Beijos,
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br