Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Duplo Preconceito

A luta contra o preconceito racial, assim como a luta contra a homofobia são históricas. No Brasil, muito tempo antes da Abolição da Escravatura, já existiam grupos de resistência negra. Hoje, dia 20/11, comemoramos o Dia da Consciência Negra, aniversário de morte de Zumbi dos Palmares, o maior líder de resistência negra, pertencia ao Quilombo dos Palmares e foi morto em 1695, pela sociedade escravocrata, onde o negro era uma mera mercadoria e não havia nenhuma perspectiva de um cidadão negro ser livre.

Não podemos comparar o preconceito do cidadão gay com o preconceito do cidadão negro. As causas para o preconceito contra o negro são denunciadas pela cor de sua pele, pelos seus traços faciais avantajados, e pela sua cultura importada para a sociedade branca por navios negreiros. Já o cidadão gay sofre preconceito por conta de uma orientação sexual diferente do que a sociedade fundamentalista estabelece como padrão, mas, ao contrário do negro, o gay não tem a sua orientação sexual estampada em seu rosto, denunciada pela sua pele. O gay tem a opção de contar sobre a sua orientação sexual ou não, mas é obvio que existem casos de gays que não precisam se pronunciar a respeito, os seus atos, o seu jeito de se vestir, falar e andar dispensa gaydar.

Algo que é extremamente repugnante, é a soma dos preconceitos. Não podemos fechar os olhos para o preconceito duplo vivido pelo negro gay, cidadão que enfrenta preconceitos por parte de muitos dos seus irmãos negros, pelo fato dele ser gay, esquecendo-se dos históricos da luta negra e de como dói no coração ser discriminado, seja lá qual for o motivo. A luta negra tem que ser solidária com a luta gay. Por outro lado, esse mesmo negro gay chega a sofrer preconceito por parte de muitos da comunidade homossexual, esquecendo-se do histórico da nossa luta, que começou em Stonewall. O Movimento LGBT também que ser solidario à luta contra o rascismo. Somos igualmente agredidos por uma sociedade fundamentalista e hipócrita, e somente a união dos grupos de resisteência, conseguirá combater todo e qualquer preconceito velado em nossa sociedade.





9 comentários:

Serginho Tavares disse...

me lembrei daquela música "black is beautiful"
bem eu acho que negro e gay ta fudido porque negro já sofre preconceito e ainda mais gay se fudeu mesmo
mas aqui no brasil tem negro? tem branco? as raças se misturaram tanto que perderam a identidade...
e ainda assim ninguém aqui quer ser negro! ninguém!

HSLO disse...

O preconceito por parte dos negros gays no Brasil e no mundo é grandioso. Tenho muitos amigos gays e que são negros, que sofrem discriminação.
Hoje, é um dia de refletir sobre tudo isso e cada vez mais, mudar nossas atitudes.

Abração...amigo

Christi Xavier disse...

Sabe que hj eu ouvi muitas pessoas questionando o fato de ser feriado, negro ter um dia pra lembrarem que são negros, isso é pior que racismo, comentavam...

Pra alguns, valia á pena responder, que hj é dia da consciência negra, que é exatamente um dia pra se lembrar que direitos humanos existem e que devem ser respeitados, como os abusos humanos que foram feitos contra a raça negra, assim como feitas com os judeus, e como são feitas a longos desses anos com a classe homossexual, os extermínios de ontem, hj e a consciência nos fazem melhores pra que não venhamos a fazer amanhã novamente.

Belas fotos, parabéns pelo seu post, com um resumo significativo do que se representa o dia de hj, e que ainda, é tão recente e nem todos entendem como deveria.

Grande beijo
Christi.

Gui Sillva disse...

o Brasil é o país do preconceito!
gay, nordestino, preto, mulher...infelizmente.

VIADAGEM E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Só será possível ingressar o negro nesta sociedade que ele mesmo construiu, mas que lhe nega espaço, com ações afirmativas. Não dá para falar assim, seria obtuso: "Tá!, agora somos iguais", para alguém que NUNCA teve as mesmas oportunidades que um branco. Por isso eu apóio a política de cotas, são necessárias até o dia em que, realmente, as oportunidades sejam iguais.
Evidentemente, o gay negro sofre duplo preconceito. Bem como a lesbica negra, o triplo, por ser mulher. Se forem pobres, mais um irá se somar e se o gay negro for afeminado e a lésbica negra for machona, mais e mais preconceitos...
Esse é o mundo em que vivemos. Sem afeto, sem revoltas e acomodado. Aceitamos os inúmeros preconceitos por que nos parecem naturais. Não reagimos. Só pensamos em lutar contra a homofobia, por que é onde o calo nos aperta... quanto ao resto...
E assim, vamos vivendo, morrendo, deixando isso de herança para gerações futuras, em vez de fazer algo. Claro, o inimigo é grande demais. E muito poderoso. Isso imobiliza. Mas não se reagirmos, não!
Beijos,
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

Willians disse...

Preconceitos? Sou gay, sou negro, filho de pai negro e mãe branca, aliás, minha avó por parte de mãe era loira de olhos claros, meu avô translúcido de tão branco, mas o avô dele era negro, as misturas no Brasil já vem de longe, e minha mãe não é branca como os seus irmãos, aliás, como ninguém na família.
Quando digo aos negros que sou negro, eles dizem que não, que tenho cor de mula, de onde vem a palavra mulato, para os brancos negros mesmo. Não é pra sofrer crise de identidade racial?
Vimos diás atrás a eleição do primeiro presidente negro norte-americano, (o que ainda não tivemos por aqui), e a mídia diz que ele é meio negro, os brancos querem dizer que o lado branco dele é quem herdou a capacidade para assumir o cargo mais desejável do mundo livre. Quanta discrepância!
Ser gay então, e negro, só quem o é sabe, temo que ouvir... Um negrão viado não dá!

Mas dá sim, da pra ser tudo o que se desejar, sendo negro, branco, ou de qualquer outra cor. Raças? Somo cães acaso, não existe diferença na genética humanas, somos todos iguais, temos tantas possibilidades como qualquer outro. O que de fato tem nos faltado? Não dá pra fechar os olhos e ver nas empresas que existem muito mais brancos do que negros trabalhando. Menos capacitados, certamente não somos, falta-nos oportunidade e igualdade.

t.e.a.g.o. disse...

ah.. tipo...
outro dia estava ocnversando com os meus amigos...
eles disseram que o preconceito homofibico e mais pesado do que o preconceito racial, isso pela lei, a pena de um e mais pesada que a outra..

Adoa disse...

Agora junta o facto de ser mulher...

Uma mulher tem de lutar muto mais para ser levada a sério... Uma lésbica tem de lutar também porque pensam os homens que ela precisa de um homem, que nao sabe o que é ser mulher... como se fosse ainda uma crianca... comose uma mulher precisa-se de um homem para ser mulher...

Agora junta-lhe o facto de ser negra...

Já agora junta-lhe o facto de culturalmente, socialmente, etc... uma mulher ter de lutarcontraos seuspróprios preconceitos de que tem de ser uma boa dona de casa, tem de ser submissa, tem de ser mae, tem de concordar com os homens, tem de estar em casa com os filhos, tem de cuidar da mae, do pai, dos irmaos... mais tarde da sogra, do sogro...

Junta-lhe o facto de ter de receber menos por um trabalho igual e nao ter a oportunidade igual de subir na carreira...

Consegues imaginar?

Tenta imaginar: uma mulher... lésbica...que quer ser livre... e também é negra...

Anônimo disse...

Quantas fotos homoeróticas com mulheres negras é possível achar na internet?