Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Divã

Na vida, existem situações irreversíveis. Todo fato consumado há possibilidade de perdão, amenização e na melhor das hipóteses o esquecimento, mas o agravante é que um ato praticado e/ou uma palavra auferida, jamais poderá ser apagada ou esquecida.

Nesse final de semana, assisti ao filme “Divã”, filme de José Alvarenga Jr., protagonizado pela maravilhosa Lilian Cabral. O filme conta a história de Mercedes, uma mulher de 40 anos que vive às voltas com as alegrias e desafios da sociedade contemporânea. Casada e mãe de dois filhos, Mercedes decide, mesmo sem saber bem o porquê, procurar um psicanalista. E, assim, o que antes era apenas uma curiosidade, se transforma em uma experiência devastadora, que provoca uma série de mudanças em sua vida cotidiana. No divã, Mercedes questiona o seu casamento, a realização profissional e seu poder de sedução. A melhor amiga Mônica, a companheira de todos os momentos, vê de perto a transformação de Mercedes e participa de suas novas experiências e descobertas, apesar de nem sempre concordar com suas escolhas. As revelações de Mercedes para o analista, assim como as conversas com a melhor amiga, dão novo rumo à vida de Mercedes que a princípio parecia boa, estável, mas sem grandes emoções. É só o princípio de uma grande transformação.

Se a vida de Mercedes ficou melhor? Não sei, creio que essa é uma interpretação muito pessoal. A vida é feita de escolhas e para cada uma delas há de se pagar um preço. Mercedes fez suas escolhas e elas foram irreversíveis, porém, ela pagou por tais escolhas. Em alguns aspectos sua vida melhorou, e muito, em outros ela teve suas desvantagens. O mais importante é que ela mudou, mostrou-se viva e deu outra dinâmica para a vida. No filme ela diz ao seu psicanalista: “Doutor, tenho medo de ser feliz a vida inteira”. Realmente, ser feliz a vida inteira deve ser um tédio insuportável, uma vida calma, tranqüila e feliz sempre não existe, pois quando ela se faz real, quando pendemos para um lado e não voltamos para o outro, não temos embasamento para avaliarmos o que é felicidade e a tristeza.

Na minha vida, também existiram situações que a mudaram de rumo e sei que muitas situações ainda estão por vir. Hoje estava conversando com a minha irmã confessei que o fato de eu trabalhar na empresa do meu pai, estragou o meu relacionamento com ele. Foi uma simples decisão, que não tem mais volta. Posso ir para o mercado de trabalho, procurar outra ocupação, mas o desgaste no relacionamento familiar estará para sempre em algum conto do meu coração. É complicado ficar a maior parte do tempo com a família, isso desgasta e os finais de semana perdem a magia e o entusiasmo que muitas famílias sentem em volta de uma mesa de almoço aos domingos. Nessa situação, me vejo como a Mercedes, mas sem o Gianecchini e o Cauã Reymond, tenho necessidades de mudanças e elas terão que partir de mim. Creio que assim como no filme, o primeiro passo é deitar-me no divã.

Concurso Cultural – Vida Modelo

Quer ganhar de presente o livro “Vida Modelo” de John Casablancas? O Blog Passageiro do Mundo em parceria com a editora Agir lhe dá esse presente. Para isso, basta responder a pergunta abaixo nos comentários do post “Vida Modelo”. A melhor resposta recebera um exemplar do livro em qualquer lugar do Brasil.

Para você, qual o maior segredo para ser uma top model?

As respostas serão aceitas até a meia-noite do dia 29 de abril. A melhor resposta será divulgada no dia 01 de maio, abaixo da resposta é necessário deixar um endereço de email para contato.

3 comentários:

Voyeur disse...

ainda nao assisti ao filme... mas nao devo tardar em faze-lo!
adora a lilian e acho q esse filme, por mais simples que seja, tem algo a mais do que a grande maioria...
concordo q uma vida feliz deve ser um tedio. o bom da vida, por mais contraditoria que parecça, é um pouco de sofrimento! "so consegue enxergar a alegria aquele que ja passou pela tristeza!"

abraços
http://thevoyeurman.blogspot.com

Mister Man disse...

Oi, amigo querido.
Passei para te lembrar que a "Campanha Homens de Bem - 2009" encerra amanhã a coleta de donativos.
Desde já quero registrar que sou muito grato a você por ter encampado comigo esta ideia e ter me ajuda a desenvolvê-la. Tudo o que conseguimos só foi possível porque você se empenhou a realizou juntamente conosco.
Este é o segundo ano da Campanha Homens de Bem, que mesmo antes de se encerrar já é um projeto exitoso. Quero, portanto, parabenizar você por tudo que fez e agradecer em meu nome, em nome dos outros participantes e em nome daqueles que serão beneficiados.
Não esqueça que amanhã à noite teremos no Mister Man Club a prestação final de contas e que os dias seguintes serão de apresentação da carta-recibo da instituição, do documento de transferência dos recursos e de tudo mais relacionado à efetiva doação dos recursos. É muito importante que você participe conosco também desta parte.
Um grande e fraterno abraço,
Mister Man

t.e.a.g.o. disse...

estou louco pra ver esse filme...
não vejo as horas de chegar na minha cidade...