Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Relicário – Contos Homoeróticos

RELICÁRIO substantivo masculino
1. Caixa, cofre, lugar próprio para guardar relíquias. [...]
3. Algo precioso, de grande valor.
(Do Dicionário Houaiss da língua portuguesa)

RELICÁRIO SM (relíquia+ário)
1. Recipiente onde se guarda relíquias. [...]
3. Caixa de lembranças ou recordações.
4. Memória; coração.
(Do Moderno dicionário da língua portuguesa – Michaelis)

Recém lançado pelas Edições GLS, o livro Relicário de Felipe Greco, surpreende os leitores mais exigentes e que se mantêm distantes da literatura erótica por conta de uso indiscriminado da linguagem coloquial. A obra é uma coletânea de contos eróticos, alguns publicados na Revista G Magazine (revisados e ampliados para a edição do livro) e outros inéditos. Ao contrário do que estamos habituados acerca dos contos eróticos, o autor, tem intimidade com a sua obra e sabe tratar as palavras, fugindo clichês típicos da literatura erótica, no livro não encontramos o típico “dotadão”, “amante do prazer”, “policial” ou “bombeiro”. Felipe Greco usa das qualidades literárias para descrever a excitação e o prazer, e sempre dando vazão para o leitor viajar em suas narrativas.

Um traço marcante do livro, é a mistura do sagrado com o profano, dando um resultado maravilhoso. O autor mescla temas que não são muito abordados em nossa sociedade por conta de questões religiosas e fundamentalistas. Nossa sociedade não tem a primazia de falar em sexo na sua plenitude, a geração passada não foi educada para esse fim e em conseqüência muitos de nos também não. Abordar temas como família, sexo e religião no mesmo contexto, é tido como imoral por uma massa pudica e retrograda, privando-nos da intimidade do que na verdade é o mais sagrado, construindo muros que nos impedem de chegarmos ao intimo do nosso corpo.

Felipe Greco nasceu em junho de 1967, é gaúcho de Uruguaiana (RS) e desde 1985 reside em São Paulo. Ficcionista e editor, publicou “Caçadores Noturnos” (Desatino, 2001), “O coveiro, uma fábula marginal” (Desatino, 2003) e “Relicário” (Edições GLS, 2009). Em 2006, “Memórias do Asfalto”, sua primeira obra juvenil foi premiada pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Ainda para o público jovem, adaptou para HQ o clássico “Dom Casmurro”, de Machado de Assis (Via Lettera, no prelo). Para crianças, escreveu “As aventuras de Lilica” (Via Lettera, no prelo). No cinema, assinou o argumento e o roteiro do curta-metragem “Caçadores Noturno”, inspirado no universo underground de suas duas obras de estréia na prosa.

Dados Técnicos:


Nome do Livro: Relicário
Autor: Felipe Greco
Número de páginas: 104
Formato: 12.5 x 17.5 cm
ISBN: 9788586755538
Edições GLS
Preço: R$ 27,90

2 comentários:

Felipe Greco disse...

Caro Marcos,
Muito obrigado por suas palavras generosas e, principalmente, por ter lido atentamente meu livro. De fato vc "absorveu" a ideia deste "Relicário". Antes de ser um ficcionista comandando pensamentos, é apenas um contador de histórias oferecendo elementos mínimos para que o leitor crie/monte sua própria história.
Claro que havia limites; não é possível mudar um velho paradigma (belos, dotadões, sexo pelo sexo etc.) de uma hora para outra. Quase cheguei a desistir ao receber os primeiros comentários negativos. Mas acho que conseguimos, no mínimo, apresentar um livro pioneiro e digno. Por isso, agradeço mais uma vez sua iniciativa... Esta divulgação é MUITO IMPORTANTE, já que a considerada "grande mídia" insiste em ignorar obras que abordem o amor entre iguais.
Forte abraço!
Felipe Greco

J. M. disse...

Nossa, já estou louco para ler. Vou providenciar urgentemente! Adoro suas dicas de leitura (quando já não li) rs. Abração.