Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Do Começo ao Fim

Do mesmo diretor de "Um Copo de Cólera" e "As Três Marias", o filme “Do Começo ao Fim” promete gerar muita polemica nas salas dos cinemas. O filme conta a história dos meios irmãos Francisco e Thomás e de sua família: Julieta, Alexandre e Pedro. Com uma narrativa particular o filme conta a história de um amor incondicional como uma possibilidade, como um contraponto para um mundo cheio de violência, medo e intolerância. Thomás, filho de Julieta e Alexandre, nasce com os olhos fechados e assim permace durante várias semanas. Julieta não se preocupa e diz que quando o filho estiver pronto, que quando ele quiser, ele abrirá os olhos. Foi assim, nos primeiros dias de vida que Thomás aprendeu o que era livre arbítrio. Um dia, sem mais nem menos, Thomás abre os olhos e olha direto para Francisco, seu irmão de 6 anos.

Julieta é uma linda mulher e uma mãe amorosa. É médica de um hospital e trabalha no setor de emergência. É casada pela segunda vez com Alexandre, pai de Thomás. Pedro, seu primeiro marido e pai de Francisco mora na Argentina. Durante a infância, os irmãos são muito próximos, talvez próximos demais, segundo Pedro, que passa uma temporada com eles em Buenos Aires. Na fase adulta, Francisco e Thomas se tornam amantes e vivem uma extraordinária história de amor.

Apesar das cenas dos irmãos trocando carinhos no banho e na cama, Abranches, diretor do filme, faz questão dizer que não fez um "filme gay", e nem saberia dizer se os personagens que criou são necessariamente homossexuais. "Pode ser uma relação que acontece só entre os dois", desconversa. "Quis apenas tratar de dois assuntos que me interessam bastante, que são as relações amorosas e a família".

O fato de Francisco e Thomás serem meio-irmãos não foi uma forma de aliviar a história. "Não tinha nem o que aliviar ali", diz o diretor, que também assina o roteiro. "Quando jovem fui um ávido leitor de Eça de Queiroz e reli 'Os Maias' várias vezes, talvez na esperança de que alguma vez os protagonistas fossem ter um final feliz", diz. "No meu filme, queria uma história de amor entre irmãos que não tivesse que acabar em sangue, como sempre acontece", diz Abranches, que não vê problemas numa relação como a retratada no filme: "estou esperando alguém me dizer por que não poderia acontecer".

Uma das características do filme que mais deve causar desconforto, segundo o diretor, é o fato de a relação de Francisco e Thomás ser tratada como algo perfeitamente normal. "Quero poder levantar uma discussão sobre esses dois tabus, mas sem focar neles; em nenhum momento no filme isso [a viabilidade do romance] é posto em discussão". Ele também acredita que a relação incestuosa retratada não é mais polêmica do que o fato de serem dois homens. "Já li comentários indignados por causa do incesto, mas tenho certeza de que o que incomoda mais é a relação entre dois rapazes. A homossexualidade é mais tabu que o incesto entre irmãos", acredita o diretor.

"Do Começo ao Fim" está em fase de finalização e deve ficar pronto em três meses, e ainda não tem data de estreia definida. Com cenas rodadas no Rio de Janeiro e em Buenos Aires, o orçamento deve chegar a R$ 2 milhões, valor considerado baixo por Abranches. Se o tema polêmico do filme pode ter compremetido a captação de recursos, a distribuição está garantida, conta o diretor. E depois das primeiras discussões e debates, as expectativas são otimistas.

14 comentários:

t.e.a.g.o. disse...

ja vi o trailer to loko pra ver o filme...

Késia Moura disse...

Deu vontade de ver =D
Vc viu Divã??

Fabiano (LicoSp) disse...

este filme vai dar o que falar... e espero que seja apresentado na grande rede... e nao somente em cines alternativos.

É isso ae.
bjs do Lico

Ricardo Aguieiras disse...

Não vi ainda, mas deve ser lindo esse filme, por que importante ele já é. Sempre acreditei que o amor - e seu irmão, o erotismo - não tem limites ou regras e pode acontecer de todas as formas possíveis. Tudo o que vivemos é cultural, ou seja é uma construção. Portanto, o que pode chocar, hoje e aqui, depende do país, época e etc.
O mundo encaretou . E questionar tabus é mais uma grande qualidade desse filme. Hoje todos e todas querem parecerem o mais normais possível, sempre dentro do padrão social aceitável.
Lembro que, ainda nos anos '70, o grande cineasta Luis Malle fez um filme onde existia uma relação de amor e sexo entre uma mãe e um filho, o filme foi proibido, mas chegou a ser exibido, ela tudo extremamente poético , como todo amor o é.
Sucesso ao filme!
Beijos,
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

Rodrigo disse...

Também não vejo a hora de ver esse filme, o assunto é super polêmico, mas é uma coisa que acontece.

Lucas Freitas disse...

O Abranches disse que não queria fazer um filme com temática gay, mas fez. É complicado para as pessoas, incluindo eu, ver uma relação de seres humanos e não colocar o gênero.
Essa fala do Abranches de que não quis tornar um filme com temática gay, deixou o enredo, a história muito mais linda, romântica. Pois se trata da relação amorosa de dois homens que sentem o desejo pelo sexo oposto apenas no corpo um do outro.

Pelo que entendi da fala do Abranches, eles não são gays, são apaixonados. Ousado ele.

Diógenes de Souza disse...

Adorei a iniciativa da história e o trailer. Se bem que eu acho que não cehgará por aqui, a não ser em um circuito mais restrito como o Cine Cult. Não entendo o porquê do diretor rejeitar o rótulo de "filme gay", afinal de contas, a relação homossexual incestuosa é o destaque do longa - pelo menos é o que absorvemos até então - e o fator que está gerando a polêmica; o que está atraindo a curiosidade. Não seria um medo de espantar os espectadores?

Marcos Freitas disse...

Késia,

Vi sim, achei o filme fantástico. Estou com orgulho do cinema nacional. Fiz um comentário sobre o divã. Acesse: http://passageirodomundo.blogspot.com/2009/04/diva.html

Paulo Braccini disse...

realmente promete ser um marco no cinema nacional. discutir de forma lírica e sensível tabus arraigados nesta sociedade arcaica e preconceituosa. parabéns pelo post.

Paulo Braccini disse...

Agasalho para a Alma
Um meme para vc e seu blog. é só pegar sem regras. apenas um reconhecimento pessoal pelo seu trabalho.

http://paulobraccini-filosofo.blogspot.com

espero q goste. grande abraço.

Leo Carioca disse...

Muito interessante!
Fiquei curioso pra ver!

Patrícia Pereira disse...

Olá, Marcos. Como vai?

Faço mestrado em Comunicação na UERJ e meu tema de pesquisa são os blogs pessoais. Gostaria de saber se posso incluir o seu blog em meu grupo de análise. Eu precisaria usar trechos dos posts publicados em janeiro, fevereiro e março e também conversar com você, por telefone ou MSN, para saber mais sobre o blog. Não é preciso se identificar, caso não queira, ok?
Aguardo uma resposta. Espero que seja positiva...[rs]
Ah, encontrei o blog entre os finalistas do concurso Best Blogs Brazil.

Um abraço,
Patrícia Pereira

Marcos Freitas disse...

Patrícia,

Sim, pode incluir o meu blog no seu trabalho, será uma honra para mim. No seu cadastro do Google não tem o seu email, me adicionado no MSN marcosfreitas81@hotmail.com, por lá conversamos melhor.

Abraços

Marcos Freitas

" O PIMENTA ! " disse...

Tô loko já pra ver esse filme, masi que "divã", que ainda não vi ! Mas acho que to mais curioso pelos comentários e reações durenate e depois do filme !!! Adoro temas que jogam na cara da sociedade o que a hipocrisia tenta esconder !!!
mega abraço querido