Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Morte em Vida

Há alguns meses atrás li um artigo do João Silvério Trevisan que comparava a dor da separação com a “Morte e Vida”, na época eu estava separado do Douglas, e compreendi muito bem o que o artigo estava relatando, viver datas que antigamente eram vividas ao lado de uma pessoa amada, é muito dolorido, mas a “Morte em Vida” não acontece apenas com a separação afetiva, acontece com a morte de um ente querido, com o ruptura de uma amizade importante ou com a frustração de um sonho, hoje em dia são muitos que vivem a situação de “Morte em Vida”.

Sempre defendi a tese de que morremos quando decidimos morrer, a vida são os nossos atos, a nossa atividade diante das circunstâncias que nos norteiam, quando nos colocamos diante dessas circunstâncias com passividade, começamos a morrer em vida, muitas pessoas morrem em vida de forma muito precoce, isso ocorre porque as pessoas têm objetivos de vida muito vagos, como ter a falsa ilusão que o sucesso é o acumulo de dinheiro, e quando isso não ocorre, todos os objetivos pessoais do individuo morrem com a frustração, a pessoa não se lembra que existem desafios familiares, acadêmicos e sociais, que muitas das vezes são pilares para o sucesso financeiro, só conseguiremos nos dedicar de corpo e alma na nossa vida profissional, quando temos uma base, um respaldo nas demais áreas da nossa vida.

Outra forma de “Morte em Vida” que eu considero gravíssima, é a questão de saúde, vemos muitas pessoas doarem as suas vidas em nome de outras vidas, de pessoas de se tornam totalmente dependente uma das outras por conta de limitações que o estado de saúde, muitas vezes em estado vegetativo que lhes são impostos, isso é triste, semana passado fui ao médico com a minha irmã, e na recepção do hospital tinha um cara que deveria ter entre 25 a 30 anos, um cara muito bonito, com ele estava uma senhora que parecia ser sua mãe, o cara tinha problemas mentais, sabemos a dificuldade de criar uma pessoa nesse estado, muitas das vezes a pessoa que fica a cargo da criação e cuidado de uma pessoa que exige tantos cuidados especiais, tem que viver exclusivamente para isso, considero isso uma “Morte em Vida”, pois isso gera muitas limitações na vida como um todo, nada poderá ser feito devido ao quadro de saúde do ente querido, admiro pessoas assim, pois elas doam suas vidas em nome de outras vidas queridas, sem duvidas, essas mães são heroínas, são vencedoras, por abrirem mão de suas vidas em nome da vida de seus filhos.

Na maioria dos casos a “Morte em Vida” nada mais é do que um quadro depressivo, pessoas que se sentem assim tem que procurarem ajuda médica, reconhecer o estado é o principal passo para a recuperação da vida, muitas pessoas quando saem desse quadro surpreende a muitos, se tornam extremamente produtivas, pois saem com aquela vontade de recuperar tudo aquilo que foi perdido, o tempo, os amigos e os relacionamentos que foram sacrificados por conta desses estágios de depressão, conversar com amigos é de extrema importância nessa situação, porém muitas das vezes isso é dificultado pela negação de própria pessoa, assumir estamos mortos em vida é algo difícil, é assumir que éramos, fracassamos, mas é o primeiro grande passo para o sucesso.

14 comentários:

Beta disse...

o texto esta otimo, muito bem escrito... mas eu discordo quando vc diz que morremos quando decidimos morrer... nem sempre eh assim. muitas vezes nao conseguimos ter controle sobre as coisas.

beijos

AVESSOS disse...

adorei seu texto seu blog é muito bom abracos

AVESSOS disse...

ah e que voce e seu love completem nao mais 5 anos e sim uma eternidade

Bruno disse...

Acho tão legal quando algúém fala de assuntos sérios de vez em quando! A gente tem que ter momentos pra falar besteira e momentos pra falr sério!
Parabéns pela iniciativa!
Quanto a morte em vida, acho que realmente, quando você decide que ja morreu, por mai que você ainda respire, você já morreu. Eu ressuscitei algumas vezes e estou bem!
Abraço!

Blog do Jean disse...

Eu confesso que já passei momentos dificeis em minha vida, momentos de tristezas, angustias e fiquei muito deprimido. Mas quem tem fé em Deus vence... eu venci muitas fases ruins, e estou ótimo!
Sobre o post anterior, vc heim! sempre me colocando na berlinda (rs).

MARCUS disse...

JÁ SENTI O GOSTO DE SER UM "MORTO-VIVO", DE ESTAR LEVANDO UMA VIDA QUE PARECIA DESTINADA A UMA IMUTABILIDADE TRISTE, UM BECO SEM SAÍDA. HOUVE MOMENTO EM QUE PARECIA QUE MINHA VIDA IRIA SE CONGELAR DAQUELA FORMA TRISTE PARA SEMPRE E NADA NUNCA MUDARIA. BEM, EU ESTAVA COM DEPRESSÃO E FUI PROCURAR AJUDA DE ALGUÉM HABILITADO A ISSO. ESSA SENSAÇÃO É PÉSSIMA. MAS, AO MESMO TEMPO, SEMPRE HOUVE DENTRO DE MIM UMA REVOLTA CONTRA A SITUAÇÃO DE MORTE EM VIDA, QUE GERAVA ANSIEDADE. EU ESTAVA DEPRIMIDO E COM ANSIEDADE. CLARO, A ANSIEDADE COMO SE APRESENTAVA ERA ALGO NEGATIVO, ME ATRAPALHAVA, MAS É A REPRESENTAÇÃO DE QUE UMA PULSÃO DE VIDA EXISTIA EM MIM E NÃO SE CONFORMAVA COM O MARASMO. PELO QUE ME DISERAM, ESSA PULSÃO DE VIDA É MUITO FORTE DENTRO DE MIM, E TAMBÉM PERCEBI ISSO. AGORA TRABALHO MAIS COM ESSE DESEJO DE VIVER, DE SEMPRE MELHORAR, DE FORMA ADULTA E MAIS PÉ NO CHÃO. HÁ MOMENTOS EM QUE TUDO PARECE QUE VAI VOLTAR A SER UM TÉDIO, MAS RAPIDAMENTE PERCEBO QUE TENHO MUITO PRA VIVER.

sp disse...

Entrei no teu blogue apenas para deixar um abraço peludo e agradecer a visita e prometer que voltarei mais vezes.

sidnei disse...

Com um olhar mais ampliado 'morrer em vida' acontece sempre que fazemos uma escolha... afinal de contas, a alternativa que NÃO ESCOLHEMOS leva para o túmulo uma possibilidade que não vivemos...
Bom, desculpe a divagação...
Te achei nas caixas de cometários de algumas pessoas que eu leio, por isso parei aqui. E gostei do que li!

Naked Brazilian disse...

Talvez todos ja morremos alguma vez em vida ou conhecemos alguém q tenha morrido em vida e muitos se mantém assim por comodismo. É triste..acho uma das piores situações...q traz doenças perversas q por sua vez dissemina esta morte a qm esta próximo e não preparado.
Se me permite,repassarei o texto p alguns q morto-vivos q conheço.

Abraços
Ah!! se o namorado permitir uma homenagem a vc estará a caminho em meu blog.

Mariposo-L disse...

É para evitar isso que meu modo de vida é assim : não deu certo parte para outra, aproveita apenas a experiência :)

Fá Frazão disse...

Li seu texto e fiquei de cara.
Cara lava e alma tb.
Somos egoístas ao ponto de achar que apenas "nós" morremos em vida. "Felizmente" não estamos sós. As vezes morremos, as vezes nos matam.
Tenho tido "espasmos" e vejo que estou viva. Seu texto só reforçou isso pra mim nessa manhã :)

Bjuzz
Fá Frazão

DO disse...

Parabens pelo texto e pela abordagem.
Conheço alguns casos assim,como os que vc citou.
Confesso que,eu mesmo,já me senti assim ,algumas vezes. Não é facil não.

Grande abraço!

Goiano disse...

fico muito mais triste com a morte do sonho
as coisas se acabam.. simplesmente isso

momento tiete: adoro qdo uma celebridade dos blogs vem dar o ar da graca
uhauhauha

bjos

BinhoSampa disse...

Admiro essas pessoas que doa a sua vida em função da outra...mas sempre me pergunto...o que ela fez para merecer isso?!!? Não sei...

Abs:-)