Pesquisar este blog

terça-feira, 21 de outubro de 2008

O Adeus a Eloá

São muitos os que estão criticando a ação da menina Nayara ao ter voltado para o cativeiro junto com a sua amiga Eloá. Na verdade, eu também acho que foi uma imprudência, e os policias que estavam acompanhado-a, tinham a obrigação de impedi-la, mas deixando esses questionamentos de lado, só nos resta uma prova de uma amizade sincera e verdadeira, um amor incondicional entre amigas, pois num Mundo de tantas individualidades, é difícil achar quem coloque sua própria vida em risco em nome de um amor, de uma amizade... Nayara provou ser uma verdadeira amiga, e creio que após sua saída do hospital, ela se dará conta da grande perda que ela teve, sentirá a dor que o calor do momento nos impede de sentir.

Quando ao seqüestrador, tenho pena dele, não tenho duvidas quanto aos sentimentos dele para com a sua ex-namorada, temos que ressaltar que o amor é o ódio caminham lado a lado, infelizmente o rapaz deixou o seu sentimento ir para um extremo que foge do conto de fadas, e ele pagará caro, muito caro por isso, pois será punido pela justiça, pela sociedade e por sua própria consciência.

A força que a família encontrou para superar a morte da menina é algo invejável, não quero nem pensar como agiria estando na pele da mãe, pai ou irmãos, é uma situação muito triste, a morte me dá medo. O ato de doar os órgãos é nobre, e se apegar a isso é uma forma suave de superar a dor, achei muito bonito quando o irmão dela disse que “a sua irmã se multiplicou”, algo nobre em meio a tanto violência e descaso, apesar deles eximir a policia de culpa, a meu ver, a polícia deixou muito a desejar, mas tem uma culpa compartilhada com o restante da sociedade.

Um fato que temos que colocar em pauta, é a respeito dos “limites da imprensa”, é um absurdo o negociador ficar 2 horas tentando ligar para o único telefone que o seqüestrador tinha, e nesse meio tempo, a imprensa (lê-se imprensa como: RedeTV, Record e Rede Globo) estava buscando entrevistas exclusivas, tendo como o seu único objetivo a alavancagem na sua audência, desrepeitando a família e deixando uma situação de risco, ainda mais perigosa. Um psiquiatra em entrevista a rádio Band News disse que o seqüestrador se sentiu poderoso em meio a todo esse alvoroço, e isso pode sim ter interferido no desfecho do caso. O grande absurdo da questão, é a forma primaria que a imprensa se defende, toda a sociedade tem ciência que não é papel de um jornalista ligar para um seqüestrador que tem uma arma apontada para uma vitima, jornalistas não são treinados para serem negociadores, segundo especialistas da área, essas TVs poderiam ter as suas concessões cassadas, e porquê não terão? Os motivos são óbvios... Não devemos compactuar com isso, chega de jornalismo sensacionalista, jornalismo que mata e fere, se a justiça não tomam as medidas cabíveis, a sociedade é quem tem deve tomar, e para isso, só a um jeito para isso: Desligando-se de tais canais e dando audiência para redes que realmente estão realmente comprometidas com a ética que a mídia tanto defendem.


Concurso Cultural – Quem é Capitu?

Quer conferir o que esses grandes autores brasileiros escreveram sobre Capitu? O Blog Passageiro do Mundo em parceria com a Editora Nova Fronteira lhe da esse presente, basta responder a pergunta abaixo nos comentários do post “Quem é Capitu?”, as três melhores respostas receberão um exemplar do livro em qualquer lugar do Brasil.

Em sua opinião, quem é Capitu?

Serão aceitas respostas até a meia noite do dia 26 de outubro, as três melhores respostas serão divulgadas no dia 30 de outubro, abaixo da resposta é necessário deixar um endereço de email para contato.

Para maiores informações sobre o livro, acesse o site "Quem é Capitu?".

11 comentários:

Serginho Tavares disse...

ah amigo foram tantos erros... nem sei mais o que dizer com relação a essa tragédia.
errou a imprensa.
errou a policia.
não acho que a amiga de quinze anos errou ao voltar, ela so tem quinze anos e como pôr uma responsabilidade dessas nas costas de uma menina? ela achou que ia ajudar... ela foi amiga até o fim...

MARCUS disse...

ESSE CASO É MUITO TRISTE. ERA UMA MENINA DE 15 ANOS! CACETE! ENTENDO QUE UM AMOR DOENTIO+PERSONALIDADE FRACA+CIÚMES+PERTURBAÇÃO MENTAL TENHAM FEITO O SEQÜESTRADOR FAZER O QUE FEZ, MAS, SINCERAMENTE, QUERO MAIS É QUE ELE SE F*DA E NÃO SAIA VIVO DA CADEIA. ASSIM COMO O PAI E A MADRASTA DE ISABELLA, DOIS DEMÔNIOS EM FORMA DE GENTE.

Celso Dossi disse...

Capitu era a prostituta de "Laços de Família".

SAM disse...

Eu repudio esses jornalistas de merda, ODEIO programas sensacionalistas!

ODEIO!

Por isso troquei a tv por outras mídias!

Eu comentei um pouco disso, referente a cobretura do choque das policias com o Datena....

Lamentável!

tommie carioca disse...

Acho curioso esse fenômeno das opiniões. Monte de gente cheia de críticas negativas a fazer, apontando erros de estratégia, equivocos de conduta, falhas na moral. Incrivel coincidência, costumam ser os mesmos que jamais topariam ser policiais. Nem precisa ir tão longe: é gente que sequer exige dos governantes melhores condições para a policia, até para poder exigir desses policiais melhor atuação. Mas imagina, quem vai perder tempo fazendo política real? O negócio é sentar `a frente da tv, reclamar bastante, falar das injustiças, apontar todos os dedos, e depois ir ao shopping (vigiado por segurança privada, paga pelo bolso do consumidor) fingir que vive no primeiro mundo. E acha que cidadania é (somente) votar. E reclamar, claro.

VIADAGEM E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Gostei muito da opinião do Tommie Carioca e a do Sam. Acho que a única coisa boa que a gente pode tirar dessa história tão triste, é realmente a bela amizade entre as duas reféns. Li um comentário de que era amor, não um amor sensual, mas amor. Difícil e raro. Raro demais: que amigo daria sua vida por mim e por qual amigo/a eu daria a minha vida? Talvez, por ser bem mais velho, eu daria a minha vida, sim, por um amigo mais jovem, que ainda não viu as alegrias de viver...
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

Gui Sillva disse...

mais uma vez a mídia aproveitandoa desgraça alheia para promover sensacionalismo e ganahr dinheiro...

O Menino que Voa disse...

apesar de nao gostar da revista, a Veja dessa semana diz como a policia errou em diversos aspectos na negociacao com o sequestrador. Que eles deixaram livres os meios de comuniacao e nao cortou energia e agua de onde eles estavam, criando necessidades basicas para o sequestrador. Entre outras coisas, que a propria SWAT disse, sobre a utilizacao de outros meios para coagir o sequestrador. Enfim... mil erros. Da "midia", da policia e, claro, do bando de pessoas que queriam e VIRAM ao vivo na TV. Culminando com o absurdo do televisionamento do sepultamento da menina, ao vivo, em cadeia nacional e a vergonha de ter pessoas que sequer a conheceram invadir a privacidade e a dor da familia num espetaculo funebre, nefasto e insano!

Paulo disse...

Cara, não sei nem o que falar mais sobre isso... pra mim só tem um culpado, a polícia, que não agiu adequadamente desde o início! Isso era caso pra ser encerrado no máximo em 24 horas!! Em qualquer outro lugar do mundo, com policiais mais bem treinados, teria tido um desfecho diferente...

Me revolta isso...


abraço!

TEAGO S. A. disse...

Amor demais prejudica um casal...
E baixaria todo mundo quer ver...
as vezes não da mais para acreditar na TV brasileira, principalmente a aberta.

Thiago Ya'agob disse...

Bom dia, Marcos!

Lendo sua postagem de hoje e correlacionando-a com a atitude de Nayara, pude claramente ser impelido a um trecho das escrituras que diz:

‘Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos’.

Vejo uma atitude sublime em Nayara ao retornar ao apartamento, atitude que com certeza, trará seqüelas não só fisicamente, mas interiormente.

É heróica a atitude dessa menina, e vale ressaltar, que num mundo atual, aonde as pessoas visam o egocentrismo, essa menina abriu mão de sentimentos mesquinhos para estar ao lado da amiga.

Minha oração é que os que ficaram, consigam permanecer no lado bom do amor. Pois como já vimos e aqui fora exemplificado, se este amor não for aperfeiçoado, transformar-se-á em ódio.

Shalom.