Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Depressão: O Mal da Era Moderna

Sabe quando bate aquela “depresãozinha” e da uma vontade de ficar sozinho, sem falar com ninguém? Então, esses momentos são ótimos para reflexões, para reavaliar quem nos somos, queremos ser e o que projetamos para o futuro. São instantes mágicos e o pós-depressão é seguido de muita atitude e renovo. O problema é quando esse instante vira uma constante e essa “depresãozinha” se acentua e torna-se um problema patológico. Nesses casos, a rápida percepção de quem rodeia o individuo, bem como familiares e amigos, é fundamental para o apoio ao mesmo.

O estado de depressão, que de certa forma é até positivo para reflexões, é uma estado natural do ser humano, como indivíduos, temos alterações de humor e ficamos triste, alegres, deprimidos ou apáticos, tudo de acordo com o que estamos vivendo, com a fase de nossas vidas. O individuo deprimido não tem alteração alguma de humor, faça sol ou faça chuva, ele está deprimido e para sair dessa situação ele precisa da ajuda de um profissional.

A depressão é causada por uma falha nos neurotransmissores, que são os agentes químicos que levam a informação de um neurônio para outro. Os neurônios, ao contrário do que se imagina, não estão unidos uns aos outros como as demais células do corpo. Eles possuem um espaço entre eles que precisa ser preenchido por substâncias que tenham a capacidade de transmitir a informação para que ela cheque até o próximo neurônio e assim circular no sistema nervoso e fazer contato com o cérebro.

O desencadeamento da depressão vem por intermédio de não reconhecimento ou pela falta dos papeis sociais. Os papeis sociais nada mais é do que a nossa representatividade no mundo. Na nossa vida, desempenhamos vários papeis sociais, como por exemplo: o papel materno/paterno, os fraternais e os papeis de vida social e profissional. Esses papeis são os nossos guias, dizem quem somos no mundo e quando não os temos, passamos a não ter representatividade alguma. Sempre frisar a importância de um querido, o apreço que temos por familiares e amigos e gratificar quem nos rodeia, pode salvar uma pessoa da depressão.

2 comentários:

André Mans disse...

o problema é o imediatismo que as pessoas procuram.

Fabiano (LicoSp) disse...

Até hoje só tive depressões básicas, mas já convivi com amigos que tentaram se matar, perderam totalmente a noção da realidade.

É infelizmente uma patologia grave que poucos entendem.

abs