Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 21 de março de 2011

Barack Obama no Brasil

Sem cometer nenhuma gafe e rompendo a tradição do presidente brasileiro eleito visitar os EUA, o presidente Barack Obama visitou o Brasil nesse final de semana. Desde criança ouço que o Brasil é o país do futuro, se esse futuro chegou, ainda não sei. Existem muitos problemas que estão na ordem do dia e que não podem ser ignorados. De fato temos muito o que nos orgulhar. Temos um sistema financeiro complexo e que nos ajudou muito nas últimas crises mundiais e diante da situação que se encontra o Japão, podemos dormir tranquilos, pois quase toda a nossa energia produzida é limpa.

Num discurso unificador e com a preocupação de ressaltar os valores familiares, Obama se apresentou no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Citou que o imperador Dom Pedro II foi o primeiro chefe de Estado a visitar os EUA. Citou a necessidade da ampliaçãoo do programa de intercambio entre o Brasil e EUA. Falou que sua segunda escolha para a sede dos jogos olimpicos foi o Rio de Janeiro e terminou o seu discurso citando Paulo Coelho: com a força do amor e da sua vontade, nós podemos mudar nosso destino, assim como o destino de muitos outros.

No discurso da presidente Dilma, ela foi direta em sua colocação e defendeu um assento permanente do Brasil no Conselho de Segurança da ONU, Obama desconversou e disse que o Conselho passará por reformas. Não acredito que essa visita trará retornos financeiros para o Brasil, mas ela entrará para a história, pois pela primeira vez um presidente americano vem ao Brasil, visitar um presidente eleito por iniciativa americana.

Não podemos ver os EUA superiores a nos, temos que tratar de igual para igual e é dessa forma que as negociações do Etanol estão se desenrolando. Depois da visita de George W. Bush ao Brasil, a relação entre os dois países se esfriaram, pois o interesse dos americanos está na nossa tecnologia para produção de Etanol a base de cana de açúcar, uma tecnologia superior a deles, que produzem etanol a base de milho. O Brasil tem defendido os nossos interesses e se não for viável para nós, não será a visita inesperada do homem mais poderoso do Mundo que nos fará ceder.

6 comentários:

Marco disse...

Impressão minha, ou este post parece ter algum conteúdo minimamente positivo para a política de Estado do atual Governo federal?

Marcos Freitas disse...

Marco,

Apesar de ser de um partido de oposição, tenho que assumir os acertos do governo Lula/Dilma, ambos tem defendido até o momento nossos interesses quando ao Etanol e espero que mantenha a mesma postura quando ao petróleo. O atual governo não é só criticas, longe disso, criticas tenho muitos, mas também tenho que me render aos elogios quando os acertos acontecem.

FOXX disse...

é, tb me surpreendi como o Marco...

Rodrigo disse...

O Marcos está certo, tem que apoiar antes de tudo o nosso país, partidos e desavenças políticas em segundo plano.
O Brasil nunca teve uma importância tão grande lá fora como nos últimos anos e a tendência é que isso cresça muito mais. O Brasil só não se desenvolve mais rápido por culpa de nós mesmos, pois a maioria da população não valoriza o próprio país e só sabe esperar que o governo resolva tudo. Eu acho que o governo está fazendo um bom trabalho, desde o governo Itamar Franco, passando pelo Fernando Henrique e até mesmo o Lula, que apesar das falhas conseguiu manter a política otimista dos governos anteriores.

Marco disse...

Num ambiente em que via um posicionamento partidário muito forte, fico feliz com essa demonstração de equilíbrio e maturidade política. Está de parabéns pelo post e pela postura. Abs.

Marcos Freitas disse...

Marco,

Não é a questão de um posicionamento partidário forte, eu ainda defendo o meu partido e por saber que ele está inserido no processo político e colaborou muito para o cenário atual, eu tenho essa postura.