Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 23 de março de 2011

O Brasil Vendido por Algumas Bananas

Do século passado até os de hoje, muita coisa mudou no Brasil. Deixamos de ser um grande fazendão, lutamos contra a ditadura e vencemos, colocamos o Brasil no eixo da economia internacional, passamos de devedores para credores e conseguimos vencer a inflação, nosso maior monstro. Para muitos de nossos avós, tudo isso é muita informação e ainda há aqueles que lamentam o fim da ditadura.

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e a Copa do Mundo são dois grandes momentos para mostrar ao Mundo “quem é o Brasil” e “para que viemos”. Ainda precisamos de infra-estrutura, caso contrário só venderemos a imagem que o Brasil continua sendo o país do futuro. Temos que mostrar para o Brasil o futuro do já começou, que não somos mais um país intimidado pelas grandes potências internacionais e  que somos a 7ª economia do Mundo e temos interesses a defender.

Em 1950, Walt Disney nos presenteou com o desenho “Aquarela do Brasil”, foi a primeira aparição do personagem Zé Carioca. Na animação,  Zé Carioca convida Donald para tentar aprender uns passos de samba nas ruas do Rio de Janeiro, ao som da música “Aquarela do Brasil”, de Ari Barroso.


A obra faz parte da atuação de Disney como agente especial da boa vizinhança, a polí­tica externa implantada pelo governo americano a partir do iní­cio dos anos 1930, que consistiu no esforço de desenvolver estratégias destinadas a estreitar os laços comerciais, polí­ticos e culturais dos Estados Unidos com a América Latina, especialmente com a Argentina, Brasil e México. Para desenvolver o curta, os desenhistas da Disney, incluindo o próprio Walt Disney, viajaram até o Rio de Janeiro.

Mais de 60 anos separam a animação de Walt Disney da animação de Carlos Saldanha, que estreitará nos cinemas de todo o Brasil no próximo dia 8 de abril. A diferença mais gritante de ambas é que a primeira trata-se de um curta-metragem e a segunda de um longa, também podemos evidenciar a introdução da tecnologia para a segunda, de resto, todos os símbolos destacados são os mesmo. Em 60 anos, de acordo com ambas as animações, o Rio de Janeiro não mudou em absolutamente nada.


Somos o país da natureza predominante, das belas praias, mulheres e carnaval. É assim que somos vistos. Ainda bem que não colocaram macacos assaltando turistas no centro do Rio de Janeiro, ou esse é um episódio dos Simpsons, que causou uma crise diplomática entre o Brasil e os EUA na época do governo FHC. Somos muito mais que essas animações mostram e a nossa economia não é fomentada pelos símbolos que somos erroneamente vendidos para o mercado internacional.

Em 2014 e 2016 o Mundo se inclinará para o Rio de Janeiro, temos a oportunidade de mudar os nossos símbolos e mostrar que além de samba, praias e carnaval, também temos um país emergente, com uma economia em constante crescimento e que tem muito mais a oferecer ao Mundo. Ano após anos, milhares de turistas vem ao Brasil a procura de sexo. Temos que nos posicionar e dizer que somos grandes o bastante para viver sem isso. Em 60 anos, muita coisa mudou, mas lá fora, somos vistos da mesma forma e se não nos posicionarmos, daqui 50 anos continuaremos sendo vistos como uma República das Bananas.

2 comentários:

Leo Carioca disse...

Bom, se você tá falando em termos de Estados Unidos, aí é uma luta meio vã. Porque faz parte da própria mentaloidade norte-americana achar que só eles e a Europa é que são civilizados e o resto do Mundo é constituído por repúblicas de bananas.
O problema dos Estados Unidos, cara, não é com o Brasil, mas sim com o Planeta Terra TODO! Eles se veem como superiores a todos os outros países do Mundo, e não especificamente ao Brasil. Então, nem adianta esperar que eles nos vejam de outra forma.
Mas em relação a outros países, eu tenho percebido que tem havido uma mudança de visão, sim, em relação a nós.
Em tempos recentes, eu nunca vi um japonês ridicularizando o Brasil, um italiano ridicularizando o Brasil, um mexicano ridicularizando o Brasil... Não estou dizendo que não aconteça, mas eu não vejo povos de outros países fazendo pouco do Brasil.
Como eu disse acima, esse é um problema mais dos Estados Unidos.

Cristina disse...

O brasil vaio continuar sendo visto do jeito q é por mto tempo, uma vez q QUASE ninguem valoriza o que é daqui, e GRANDE parte da população, principalmente a que nem fala ingles, e muito mal o portugues ainda pensa ser verdade o "sonho americano"... eles valorizam o q tem e nos enfiam goela a baixo, enquanto o brasil tem cultura pobre e nao é valorizada mto menos divulgada! O q precisamos na verdade é fechar os olhos para o q é de fora e aceitar q a cultura do brasil é diferente e valoriza-la na sua diferença, caso contrario o que foi e continua sendo será ainda por mto tempo...