Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 13 de junho de 2009

Recepção ao Príncipe Indiano

Ontem fui um dia super bacana. Fui com o Douglas e alguns amigos no coquetel de abertura da exposição “Por um Mundo Eclético”, com a presença do Príncipe Indiano Manvendra Singh Gohil. Alguns órgãos da imprensa estavam presentes e apesar do príncipe aparentar estar um pouco perdido com o choque cultural entra Brasil-Índia, ele aparentou ser muito simpático.

A escola de samba Arco-Íris fez uma apresentação com a sua bateria. Uma travesti, provavelmente a rainha da bateria pegou o príncipe para sambar, ele arriscou uns passinhos, mas não passou dos “micos” que vemos os estrangeiros pagarem. O Douglas Drummond, presidente do Casarão Brasil, mostrou que tem samba no pé. Eu fiquei quietinho, pois quanto o assunto é samba, eu sou praticamente um estrangeiro, pagaria tanto mico quanto o príncipe, ou mais, pois eu sou brasileiro, e por esse motivo, muito esperam que eu tenha ginga no pé. No Canadá, diziam que o Douglas (mon petit ami) era um falso brasileiro, pois ele não gosta de samba, futebol, carnaval, churrasco e caipirinha.

Tiramos muitas fotos do evento e vi que muito convidados estavam tirando fotos com o príncipe, também quis tirar. Brinquei com uma amiga: Como você tem mais intimidade com o príncipe, peça para ele tirar uma foto comigo. Pedi isso, pois não sabia como abordá-lo, sei lá. Então ela virou-se para o príncipe e disse apontando para mim (em português): Príncipe, uma foto, uma foto. Achei muito engraçado, pois ele não entendeu absolutamente nada do que ela estava falando.

A organização do evento cometeu uma gafe do tamanho do Mundo, no coquetel foi servido carpaccio. Acho que ninguém se atentou que a vaca é um animal sagrada na índia, um deus para os indianos. Quando eu vi aquela bandeja, confesso que fiquei animado, pois, adoro carpaccio, porém, o grande nome da festa deve ter se retorcido. Saindo da exposição, o príncipe se dirigiu para o Piaf Bar e Bistrô e novamente a gafe se repetiu, o restaurante é francês e com um menu recheado com pratos de carne bovina. Espero que não levem o príncipe para uma roda de samba regada de muita cerveja e um bom churrasco. Só espero que ele não tenha comido nenhum carpaccio por engano, caso contrário, ele terá que entrar no Rio Ganges, onde eles cremam os mortos - muitas das vezes a madeira queima antes do corpo e o rio repleto de restos mortais -, lavam roupas e tomam banho para se purificarem. Creio que o príncipe se lembrara para sempre do Brasil, pois até o seu deus foi sacrificado para recebê-lo.

5 comentários:

J. disse...

Olá, tudo bem? Um amigo meu me falou do seu blog e fiquei bem curioso pra ler. Parabens pelo espaço. Adorei os textos e as informaçoes.. Grande abraço xD

HSLO disse...

Aff...Gostaria de conhecer esse indiano.

Abraços

HMG disse...

Ei Marcos.

Depois passa lá no RFT e me conta a lá na parada.

Abraço

Débora disse...

Olá Marcos,agora mesmo acabei de ver o principe em cima de um caminhão de som,da parada gay,descendo a consolação,ele estava com uma cara bem feliz,até tirei foto dele,qdo me contaram essa história de principe eu não acreditei muito não ,por isso entrei no google pra achar algo sobre ele,e aqui estou eu.Agora sobre a gafe da carne heim,queria ver a cara dele,rsrsrs.

Profª Sandra disse...

Vc sabe se o principe eh vegetariano?
Pois nem todos indianos sao vegetarianos. Na verdade, a proporcao de vegetarianos vem caindo rapidamente devido a globalizacao e a grande quantidade de indianos que morando fora da India.