Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Central de Informações Turista GLS

O líder do partido do prefeito Gilberto Kassab (DEM) na Câmara Municipal de São Paulo, reagiu ontem contra a criação da primeira central de informações turísticas para o público GLS do País. A CITGLS foi inaugurada nessa segunda-feira, 17/05, na sede do Casarão Brasil. Apolinário disse em plenário, com transmissão ao vivo pela TV Câmara, que o governo municipal transformou os gays em "uma categoria especial de pessoas". A fala do vereador não me surpreende, depois que o mesmo alterou a lei do silencio para beneficiar igrejas evangélicas, criou um projeto de lei que visa instituir o Dia do Orgulho Hétero e apresentou um projeto que pretende tirar a Parada Gay da Av. Paulista, não me espanto com absolutamente nada que venha desse vereador.

O parlamentar diz que o casarão no número 1.057 da Frei Caneca, o endereço que a Prefeitura pretende transformar no principal ponto de referência da cidade para se obter sugestões sobre bares, lojas e restaurantes especializados no público gay, também deveria informar os outros setores da sociedade. Ele diz que “não deveria ter um espaço exclusivo para gays. Tinha de ser para todos, para qualquer atividade, seja umbandista, evangélico, gay ou lésbica” argumentou Apolinário, que é líder da bancada evangélica. "Respeito os seres humanos que são gays. Agora, a Prefeitura destinar meia página do Diário Oficial, se glorificando por estar montando um espaço para dar endereço onde os gays podem se divertir, e não para os outros, é o que eu questiono”.

Apolinário também critica o decreto do prefeito que autoriza os órgãos públicos tratarem as transexuais pelo seu nome social e completa dizendo que ‘do jeito que as coisas estão indo, logo alguém vai apresentar um projeto transformando São Paulo na capital gay do País“. Com o plenário praticamente lotado, com 47 dos 55 vereadores, não houve fala de contraponto ou a favor do vereador. José Apólice Neto (PSDB), líder do governo na Câmara, entende que a criação da CIT GLS é uma iniciativa da sociedade que contou com o apoio e respeito do governo e completa dizendo que ‘o prefeito quis mostrar respeito e colocou uma empresa, a SPTuris, para intermediar a viabilização da central. Não vejo problema."

O Presidente da organização da Parada Gay, Alexandre Santos vê homofobia na reação do vereador do DEM. "Nós não queremos direitos diferentes de ninguém. Independentemente de partido, o governo municipal tem reconhecido nossas demandas e isso é um aspecto positivo que alguém homofóbico não consegue enxergar", afirmou. A CIT GLS é uma parceria da São Paulo Turismo (SPTuris), do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), da Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual (Cads), da Associação Brasileira de Turismo para Gays Lésbicas e Simpatizantes (Abrat-GLS) e do Casarão Brasil.

No ano passado, a Parada LGBT atraiu milhares de pessoas para a avenida Paulista, sendo cerca de 400 mil de fora da Cidade, o que significou uma movimentação de aproximadamente R$ 189 milhões na economia do Município, de acordo com o Observatório do Turismo da cidade de São Paulo, núcleo de estudos e pesquisas da SPTuris. A CIT GLS está sendo administrada pela Abrat-GLS e pela SPTuris que fornece o material promocional da Cidade e o treinamento aos dois atendentes bilíngües, o horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 10 às 19 horas. Com a implantação da CIT, o turista GLS irá ter mais informações de estabelecimento e eventos e sem sombra de duvidas ultrapassaremos os 189 milhões de reais que são injetados na economia durante a Parada LGBT de São Paulo.

Nenhum comentário: