Pesquisar este blog

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Seamisai

O ideal depois do término de um relacionamento seria: “Agora aperte as minhas mãos, sim. Para que reste um recordar-se, amanhã”, porém as relações se findam, e o recordar-se cabe, mas ele vem com o peso do sofrimento, com a dor da rejeição. Semana passada escrevi o post “Intolerância + Falta de Diálogo = Relacionamento Desfeito”, essa história mexeu muito comigo, e eu que pensava que não era “tão” sentimental como fui antes.

Os meninos realmente se separam, o Mateus* foi viajar fez a sua viagem com o paquera da internet, fez tudo o que tinha que ser feito, e depois voltou para São Paulo. Voltou vendo que tinha deixado algo de importante por aqui, porém, o seu ex-companheiro, o Felipe*, viu que algo que não tinha a mínima importância para ele, tinha acabado de chegar de viagem. Dura realidade... O Mateus fez de tudo para reatar a relação, mas a meu ver o retorno de tal situação é muito difícil, pois existem feridas expostas que ainda não foram tratadas, feridas que muitas das vezes jamais se cicatrizarão.


Se tens as malas prontas, não finjas
Tudo acabou...

Não vejo como uma relação que chegou a esse ponto ser reatada, quando os fatores se misturam com orgulho ferido tudo acaba ficando mais difícil, mais penoso. Houve tentativas de reaproximação por parte do Mateus, mas o seu ex-companheiro não quis reaproximação, e caiu na noite gay de São Paulo, retribuiu a ação do seu ex com a mesma moeda e não o condeno por isso, foi o Felipe que ficou na casa que eram dos dois, enquanto o seu companheiro foi para a praia com outro, traindo as juras de amor feitas no decorrer do relacionamento. Quando nos sentimos traídos, tomamos atitudes que jamais imaginávamos que um dia seriam tomadas.

Porquê já não se vê o teu sorriso ao amanhecer
Porquê já não sou mais teu bem-querer

Terminar uma relação faz parte da vida, é natural. Tudo tem um fim, apesar de acreditar em amor sem fim, notem: Fiquei 6 meses separado do Douglas, e não deixei de amá-lo. Mesmo quando estava com outra pessoa eu o amava. Acredito que o amor se transforma e não que ele finda. Sempre existirá um carinho especial, nem que o mesmo esteja guardado num cantinho bem escondido do coração, nem que esse amor esteja escondido atrás de uma mascara de amargura gerada com o fim da relação. Nesse caso não adianta o apertar das mãos, pois o recordar-se será apenas de momentos sombrios que deveriam ser esquecidos para sempre.

Seamisai quando tutto finisce
Seamisai come un brivido triste

Presenciei momentos agradabilíssimos desse casal. Fomos a Sogo, eles não paravam de se beijar, era uma paixão tão viva, tão quente... Na mesma época eles foram para primeira vez num motel, todo mundo no meu carro, foi um dia engraçado, passamos num drive thru de uma farmácia para comprar lubrificantes, o Mateus ficou perguntando a diferença entre os produtos. O Douglas ficou morrendo de vergonha, o Felipe e eu ficamos rachando o bico (momentos como esse têm que ficar no recordar-se), depois fomos todos para o motel, na cabine de recepção foi engraçado, pedi dois quartos, aí a recepcionista viu que tinha outro casal no banco de trás e achou graça... Uma pena que essa historia teve um final tão estúpido e grotesco, algo que poderia ser evitado com diálogo e compreensão.



*Nomes fictícios para proteção da imagem dos mesmos.

15 comentários:

Blog do Jean disse...

Infelizmente isso ocorre, vemos relacionamentos sendo criados em cima da areia, vem a agua do mar e leva tudo embora... são constantes estes tipos de situações, qualquer problema que surge entre o casal, encontra-se a solução colocando o fim na relação.
Assim ninguém consegue ser feliz (rs).

Leandro G. disse...

Nossa, quando promete cumpre hein...
Bem que vc falou que iria além.
Quanto a essa história, eu acho que com o tempo a cicatriz vai ser curada, e penso no reatar deles. Será?

E quanto a você, quando nos encontramos, percebi que ainda amava o Douglas. Achei isso muito forte sabia. E foi por isso que preferi me afastar naquela época. Mas é passado!
O importante é que vocês estão bem, e isso me conforta.
Costumo ter um sétimo sentido(risos). Vejo as coisas de longe.
Mas é bem o que você disse, bastaria apenas um bom diálogo para que resolvessem o problema à época.

Uhu...Laura Pausini...

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-
Seamisai quando tutto finisce
Seamisai come un brivido triste
Come in un film dalle scene già viste
Che se ne va, oh no!
Sai sempre quando una storia si è chiusa
E non si può più inventare una scusa
Se ami prendi le mie mani
Perché prima di domani
Finirà

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-
Se você ama sabe quando tudo acaba
Se você ama sabe como um triste gemido
Como em um filme que você já viu as cenas
E se vai...
Sabe bem quando uma história é encerrada
E não se pode mais inventar uma desculpa
Se você ama, segure as minhas mãos
Porque antes de amanhã
Acabará...
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

Paulo disse...

Certas atitudes impensadas não tem volta. Quando certas palavras são ditas, certos atos são cometidos, só resta mesmo o arrependimento depois.

Já passei por isso... Quando percebi o que tinha feito, o estrago já estava lá, não havia como apagar. Acabou doendo mais em mim mesmo, mas serviu para aprender também.

E depois que tudo acontece, a volta nunca é a mesma coisa. Fica aquele sentimento ferido, a desconfiança. A volta geralmente é passageira, nunca dura muito também.


abração!

RICARDO AGUIEIRAS disse...

Ummmmmmm, mas quem disse que seres humanos são compreensivos? Quem disse que seres humanos dialogam? O ideal seria que sim, mas é raro. Até que ponto vai o nosso medo?
A psicanálise diz que - atualmente - somos imagens e só nos relacionamos com imagens. Vimemos todos e todas na mais confortável e cômoda mentira e representações sociais. Ser verdadeiro, autêntico e falar o que sente virou fora de moda, demodé. Portanto, os dois tristes personagens dessa triste história só poderiam ter o fim que tiveram e o fim que procuraram, não souberam revolucionar suas vidas nem reinventá-las, nem mesmo perante o amor. O pior é que muitos não se dão conta disso e só se arrependem na hora da morte: viveram realmente muito pouco...
Beijos,
Ricardo

Elenilson Nascimento disse...

Bicho, vc tem q ler esse texto de Lya Luft: http://veja.abril.com.br/060808/p_022.shtml

Rubens Oliveira disse...

Como disse, certa vez, Pablo Neruda:

"Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,
são eternos como é a natureza."

HAIRYBEARS disse...

FIM DE NAMORO SEMPRE TEM STRESS






HAIRYBEARS
http://hairybears.blogspot.com/

MARCUS disse...

SÓ MESMO O CASAL SABE AS VERDADEIRAS RAZÕES PARA O FIM DO RELACIONAMENTO, QUASE SEMPRE TEM MAIS COISA ENVOLVIDA DO QUE SE FICA SABENDO. E NEM SEMPRE É POSSÍVEL OU RECOMENDÁVEL QUE HAJA APERTO DE MÃOS NO FINAL. SEM STRESS COM ISSO, ÀS VEZES É ÓTIMO MANDAR O OUTRO PRA PQP.

FOXX disse...

é
é uma pena ver pessoas q eram tão bonitas juntas
separadas

corta o coração

BinhoSampa disse...

Sou daqueles que continuo amigo dos meus ex e das minhas ex, porque o diálogo é sempre importante e isso ajuda... não acho justo...ficar um bom tempo com a pessoa...compartilhar bons momentos..e depois de uma hora para outra vira inimigo....é claro que existem casos e casos...eu passei por esse ultimo que confesso que aperto de mão? aff!!! nem pensar, as vezes os estragos são grandes e nesse caso fica dificil.
Acredito que quando acaba... acaba...se voltar...vai ter uma lacuna...

Abs:-)

Leandro G. disse...

Voto confirmado! hehehe

Antonio disse...

Belas palavras de um relacionamento que pode acontecer com qualquer casal.

Danilo disse...

Oi, tudo bem?, adorei suas palavras, me adc no msn, vamos nos conhecer?

Paulo Esgalha disse...

Parabéns pelo Texto! Super real! Continue sempre escrevendo assim... a realidade as vezes destrói pessoas, mas ao memso tempo, contróem relações!!! FANTÁSTICO!

Alex Migotti disse...

Parabens pelo post ... simplesmente fantástico .... e q atire a primeira pedra quem nunca passou por isso