Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Apenas um Desabafo

Lidar com o ser humano é muito complicado. Quando estamos lidando com um semelhante, estamos à mercê do desconhecido, não sabemos que se passa na cabeça do individuo, como agradar, ou melhor, porque agradar? Não vejo o porquê ter um cuidado ultra-especial com determinadas pessoas, nos policiarmos para sermos extremamente agradáveis, as pessoas têm que gostar de nos como nos somos, pelo o que nos somos. Tenho excelentes amigos que não me cobram nada mais do que a minha amizade.

Antigamente eu costumava cobrar atenção, até que comecei namorar o Douglas. Ele nunca gostou de excessos de atenção e carinho, pois tudo ao extremo torna-se depreciativo e sufocante. Anos depois descobri que eu era carente ao extremo, mas consegui a cura quando descobri que amor e dedicação não se pede, se conquista. Quando temos de fácil acesso o carinho, e a amizade de alguém, ficamos desvalorizados, pois o nosso bem maior, que a nossa intimidade, fica completamente exposta.

Eu sofro de pânico, e pouquíssimas pessoas sabem disso. Tudo muda depois que se tem uma arma apontada para a sua cabeça seguida de uma promessa de morte. Na empresa sofri dois assaltos, no primeiro fui amarrado, e por diversas vezes o assaltante prometeu me matar. No segundo, também fui amarrado, só que dessa vez o assaltante se invocou com a minha cara, e ficava me observando demais e dizia para todos que não estava gostando de mim, eu também não gostei dele... Enfim, hoje em dia sempre que saio na rua tenho a sensação que serei assaltado. A situação ficou ainda pior depois eu fui perseguido de carro, isso já tem uns quatro anos, até hoje fico observando muito o retrovisor do carro para ver se tem algum carro muito próximo ao meu.

Essas experiências mudaram muito o meu comportamento. Sabemos que o ser humano é capaz de tudo, mas quando nos somos o alvo, a história muda, desde então, comecei a valorizar os cachorros. Neles encontramos amizade pra valer, até hoje tenho saudades da Charlotte, Matozinho, Chispita, Rudilim e July, eles já partiram dessa para uma melhor.


Concurso Cultural – Sexo Verbal

Quer ganhar de presente um par de ingressos para assistir a peça “Sexo Verbal” no Casarão do Belvedere? O Blog Passageiro do Mundo em parceria os produtores do evento lhe dá esse presente. Para isso, basta responder a pergunta abaixo nos comentários do post “Sexo Verbal: Surpresas da Vida e do Viver”. O concurso premiará apenas com os ingressos, as demais despesas, como locomoção, ficam a cargo do contemplado.

Como podemos viver a nossa sexualidade em sua plenitude?

As respostas serão aceitas até a meia-noite do dia 22 de janeiro. A melhor resposta será divulgada no dia 23 de janeiro, abaixo da resposta é necessário deixar um endereço de email para contato.

9 comentários:

Serginho Tavares disse...

querer ser o que não é não da certo a partir do momento que se aceita como se é as pessoas também nos aceitam!

Felipe Lucchesi disse...

Acho que as pessoas sempre pensam que tudo sempre acontece com os outros e esquecem que o efeito é dominó.

Karol disse...

Acho que sempre estamos lhe dando com o desconhecido, não sabemos até quando estaremos nessa Terra e não temos idéia de como vamos deixá-la, temos certeza de nossa morte,apenas isso. Acho que o problema todo está nesse agradar, algumas pessoas têm tanta necessidade de ser aceitas que acabam tomando atitudes com as quais elas mesmas não concordam e isso não é nada saudável,não só abandonam seus ideais e quem realmente são como passam uma imagem oposta aos outros e por consequência jamais vão conseguir verdadeiros amigos, se alguém não gosta de ti por quem você é, é melhor que nem goste.Acredito que o ideal é saber como dizer o que pensamos, passar o que pensamos sem ofender ou desrespeitar os outros, não porque eles possam achar ruin ou algo do gênero, mas porque todos somos seres humanos e devemos respeitar uns aos outros.
Quanto as experiências, por menores e mais insignificantes que aparentem ser ( não estou dizendo que esse doi o caso), elas mudam as pessoas, acho que todo acontecimento tem uma lição, por mais simples que ela seja.

Willians disse...

Eu penso que em todo o relacionamento, seja de amizade, namoro ou até profissional é sadio dizer aquilo que pensamos. Se alguém te incomoda de alguma maneira, e você realmente gosta desse alguém, vale a pena dizer o que está errado, o que é demais, dar a chance para o acerto. Agora, se sente que não vale a pena, se te faz mal, vale a pena afastar-se.

Jan disse...

Foi interessante ler o seu texto, porque havia acabado de assistir o filme "Marley e eu" e chorado horrores.
Os cachorros realmente são os melhores amigos do homem, "quanto mais conheço as pessoas, mais amo o meu cachorro".
adorei o texto
Bjs

JOÃO disse...

A mente humana pode ser muito perversa...
As vezes tenho medo de mim mesmo, rsrs
um abraço

Gustavo Miranda botadentro@ymail.com disse...

=]

Ayslan disse...

Marcos concordo plenamente com vc, eu cheguei a conclusão que os cachorros são sim os melhores amigos, eu ja passei por varios tipos de traição, e pervecidade do ser humano.Lembra da história de Ami e Hassan!Um é goista e o outro puro e fiel, o que vemos meu amigo é que a maldade tem aumentado muito e o amor esfriado demais!!
Parabéns seu blog continua magnifico abraços Guerreiro.

J. M. disse...

Volta e meia me deparo com situações ou frases interessantes em seu blog. Essa foi a da vez: "Antigamente eu costumava cobrar atenção". Nossa, identifiquei-me imediatamente com o que escreveu. Creio que por ser ainda assim. Não tanto dos amigos, mas principalmente dos possíveis envolvimentos amorosos. Dedico a eles toda a minha atenção, todo o meu carinho e de certa forma acabo exigindo que eles me dêem o mesmo na mesma ou maior intensidade. Talvez isso tenha feito muitas pessoas se afastarem de mim... Mas, é vivendo que se aprende.
Obrigado mais uma vez por partilhar de coisas que acabam sendo uma luz para quem está ainda no escuro, como eu. Abração!