Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

O Caçador de Pipas

Entre os livros mais vendidos no Brasil, e com uma adaptação para o cinema, o livro “O Caçador de Pipas” justifica todo esse sucesso. Narrado em primeira pessoa, o livro conta a história de Amir e Hassan, amigos de infância. Ambos criados com a ausência da figura materna, e aparentemente essa é a única semelhança entre eles. Assim como o pai, Hassan é serviçal na casa de Amir, vive num imponente casarão que se destaca entre todas as casas de Cabul.

O autor destaca a todo o momento a importância da religião para o povo afegão. Porém, na casa de Amir seu pai não é tão ortodoxo, tanto que ensina para Amir que o único pecado é roubar, e exemplifica dizendo: Quando você mata um homem, está roubando uma vida, está roubando da esposa o direito de ter um marido. Quando mente, está roubando de alguém o direito de saber a verdade. Quando trapaceia, está roubando o direito à justiça. Anos mais tarde, Amir descobre que esse foi o único pecado que seu pai cometeu consigo.

O Caçador de Pipas ficará para sempre na memória de quem ousou conhecer sua história. Amores e desamores, preconceitos e aceitações, encontros e desencontros, pois assim como Amir, o livro é narrado em um tom confessional, que nos faz acreditar tratar-se de uma autobiografia de Khaled Housseini, o autor. Nascido em 1965, na cidade de Cabul, refugiou-se nos EUA por conta do golpe de Estado ocorrido no Afeganistão.

Khaled Housseini conta uma história que o Mundo ocidental desconhece, que não imaginávamos existir num país tão distante da cultura ocidental e que só é mencionado nos noticiários de guerra contra o terrorismo. O relato do autor é fiel aos acontecimentos políticos, mostra a queda do império, o estabelecimento da república e o golpe do estado com a tomada do governo pelos Talibãs. O livro cita vários lugares do Afeganistão e Paquistão. Na versão “Edição Especial Ilustrada”, contém mapas para localizamos os bairros e a cidades citadas, além das ilustrações que permite que a nossa imaginação faça um melhor e ainda mais profundo mergulho nessa emocionante história de amor e ódio.

Dados Técnicos

Nome do Livro: O caçador de pipas
Autor: Khaled Hosseini
Número de páginas: 368
Formato: 16 x 23
ISBN: 000.85.209.1767-4
Editora Nova Fronteira

14 comentários:

Kazé disse...

Acho o livro essencial.
Mostra conflitos internos em todos nós.
A noção do certo e do errado numa visão nem um pouco ocidental.
Mas que nos remete a lembranças de vergonhas há muito esquecidas.
Ou pelo menos tentadas ao esquecimento.

Philip Rangel disse...

Opaa...e ai...primeira vez por aki...e aprovando o que vejo aki...texto..postagem de auto conteudo...sempre importante ter novas amizades..e ver o conteudo de cada blog...podendo engrandecer e ajudar em nosso dia a dia...

parabens...

Serginho Tavares disse...

o filme é maravilhoso imagino o livro!

Lucas Hot disse...

Li e gostei.Ei,tô com um blog novo ! Gostei muito do seu.Será que podíamos trocar links?Seria uma honra !!!

Felipe Lucchesi disse...

Quero ler mesmo ! Dizem que é muito bom ! O filme já não sei !

Chris disse...

Bom dia Marcos, que postagem linda, tão bem escrita e divulgada, falar desse livro me emociona, porque foi um dos mais marcantes que já li, acho que eu já comecei em lágrimas o lendo, indiquei pra inúmeras pessoas e todas tiveram a mesma satisfação, exatamente como descreveu, podermos ter conhecimento de uma cultura diferente, e de um sofrimento á parte do que temos em nosso país, a guerra e seus efeitos foram tão bem retratados, no livro e também no filme, cada um com sua performance melhor, da leitura ao visual do filme.

ótimo poder ler aqui.

Bjs no coração.
Chris

HSLO disse...

Marcos, amei o post. Por isso, quero pedi sua autorização para posta-lo...claro que será em sua autoria.

Eu ganhei o livro no momento que foi lançado no Brasil. Amei!Foi um dos melhores livros que li até hoje. Eu tenho um carinho muito forte por ele. O filme é bom, mas não se compra com o livro___pois, é mais completo.

Abraços e aguardo resposta quanto a sua autorização.

Rafael Morello disse...

Preciso ler. Confesso que fiquei de má-vontade por causa da onda de literatura sobre aquela região do planeta que invadiu o nosso mercado editorial, se transformando na nova modinha literária. Tenho antipatia por estas coisas "da moda". Mas com este resenha, me animei. Bj

J. Mendes disse...

Marcos, tive a oportunidade de ler o livro quando estava no ápice das vendas, um mega sucesso. Não que ainda não seja, mas...
Enfim, o livro realmente é maravilhoso. Porém, recomendo a você que leia, do mesmo autor, A cidade do Sol, que é tão bom quanto O caçador de pipas.
A cidade do Sol conseguiu me emocionar mais ainda do que O caçador de pipas. Ambos são livros que adoro e espero que o autor lance mais livros o mais rápido possível.
Abração e espero que aceite a dica e me diga depois o que achou.

FOXX disse...

ainda preciso ler

Paulo disse...

To achando que sou um dos poucos que ainda não leu esse livro! Até evitei assistir o filme para não estragar o livro! O pior é que ele está na minha pilha de livros atrasados ao lado da minha cama! Como queria ter tempo livre para colocar toda essa leitura em dia, viu...


abração!

VIADAGEM E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Eu já comentei com você, Marcos, que temia que o livro fosse muito restrito à uma cultura muito distante de nós, de mim. Mas, pelo visto aqui e pelos comentários, vejo que transcede isso e adquire real importância. Parabéns por nos dar mais essa importante indicação.
Beijos,
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

Celso Dossi disse...

É ótemo.
Já leu "A Cidade do Sol"?
É do mesmo autor, incrível também (talvez até mais).

Marcos Freitas disse...

A Cidade do Sol é o próximo, minha irmã já leu, disse que é ótimo.