Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 1 de março de 2009

Da Vida dos Pássaros

Para quem viveu na época do “sexo, amor e drogas” promovida nos anos 60 e 70, o livro “Da Vida dos Pássaros” promete trazer muito saudosismo dessa fase onde havia a possibilidade de viver o amor e o sexo sem se preocupar com os males modernos que encravou o fim de tal era. Sou fruto dos anos 80, nasci em meio à poda sexual, sendo sustentada pela “ira de Deus” sobre um povo que se esqueceu dos seus princípios. Já experimentei sexo, amor e drogas, porém não os três juntos, isso foi privilégio de uma geração atrás que hoje diz que eles sim sabiam viver. Também tenho saudades de um tempo que não vivi. Quem não quer viver a liberdade numa época de tanto moralismo? Mas posso vive-lo por intermédio da maravilhosa obra de Alexandre Ribondi, recém lançada pelas Edições GLS.

Da Vida dos Pássaros conta a história de Alexandre, um brasileiro que parte de Brasília com uma mochila nas costas com o sonho de desbravar a América do Sul de Che Chevara e Simón Bolívar, em Lima, Alexandre tem a sua vida cruzada com a vida de Michael, um norte-americano, filho de um rico empresário do setor petroleiro e com o sonho de viver na América do Sul sendo sustentado pelo tráfico de drogas. Juntos eles descobrem os mistérios da sexualidade, porém em suas vidas surge Pilarsita, que juntamente com Michel disputará o amor de Alexandre, envolvendo-os num triângulo que deixará o coração de Alexandre dividido.

Em meio a uma história de ficção, que nos leva a acreditar ser um trabalho de autobiografia por conta da exatidão dos acontecimentos políticos citados, o autor nos leva a uma história emocionante e surpreendente, um verdadeiro convite aos descrentes no amor repensarem seus posicionamentos. A história de Alexandre e Michel poderia ser a história de qualquer um de nos, pois são duas pessoas com posicionamentos diferentes que dividem as suas vidas e é nesse ponto que nasce o amor mais genuíno que possa existir, o amor da aceitação e do desapego, um amor sem cobranças e livre como a vida dos pássaros que vão morrer no Peru.

Dados Técnicos

Nome do Livro: Da vida dos Pássaros
Autor: Alexandre Ribondi
Número de páginas: 184
Formato: 14 x 21
ISBN: 9788586755507
Edições GLS
Preço: R$ 39,90

7 comentários:

Arsênico disse...

Porque sempre tem que surgir uma mulher entre um relacionamento gay?... fui ver no cinema o filme francês Baby Love... e no meio da trama entre um casal gay... aparece uma raxa que até transa com o protagonista e tudo...

...pelo amor... não será possível um triângulo entre 3 homens?

...umBeijo!

***

VIADAGEM E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

"o amor mais genuíno que possa existir, o amor da aceitação e do desapego, um amor sem cobranças e livre como a vida dos pássaros que vão morrer no Peru."
Esse é o único amor em que eu consigo acreditar. Esse livro é muito bom, pelo visto, fiquei com a maior vontade de ler depois de ler uma resenha tão bem escrita como a sua.
Beijos,
Ricardo
agueiras2002@yahoo.com.br

Klero disse...

agora eu quero ler
=D

Mister Man disse...

Oi, Marcos. Tudo bem, homem?
Quanto tempo, não?
Meu amigo, nós estamos começando a pensar a campanha "Homens de Bem - 2009". Não sei se você conhece a iniciativa, mas no ano passado nós conseguimos arrecadar e doar uma boa quantia em dinheiro para a Casa de Apoio Brenda Lee, em São Paulo.
Seria ótima poder contar com suas sugestões e com seu apoio.
Quando puder, passa lá no Mister Man Club, ok? Aguardo sua opinião.
Um grande e fraterno abraço e muito obrigado por tudo.
Mister Man
P.S. O textinho está meio pasteurizado, mas a falta de tempo não me permite, agora, fazer diferente. Peço desculpas.

John Rômulo disse...

Tbm tem um saudosismos de coisas que não vivenciei.
Não acredito que "Amor,sexo e drogas" seja algum sinal de libertdade.Depende muito do tipo de amor,sexo e bom as drogas sejam elas quais forem sempre vão te aprisionar!

Vou correr pra comprar esse livro.Tomara que esteja disponivel nas melhores e piores livrarias da minha cidade!

parabéns pelo post!


post novinho: www.johnrmulo.blogspot.com

Serginho Tavares disse...

faço minha as palavras do arsênico!

Kleber Balsanelli disse...

Da vida dos pássaros e das nossas.

Ler o livro do “próprio Alexandre” é mergulhar num desejo permanente de existir e transcender. Existir, experimentar, tocar, cheirar, sorver intensamente as pessoas, os lugares, as sensações, os sentimentos e o prazer da vida. Os cheiros das ruas de Lima, o céu da Copacabana dos Andes... Transcender, despir-se, desatar as amarras que nos fazem escravos do padrão apreendido, imposto, aquiescido. E voltar livre ao vínculo que nos faz pleno, feliz. Deitar-se ao fim de uma longa noite de prazer, ao lado de quem se ama.

Naquela subversiva latinoamérica da década de 1970, histórias de dois jovens que se encantam e apaixonam – por sis e pela vida – confiam o relato com as vidas de outras personagens irrealmente construídas das caricaturas mais humanas. Jovens descobrindo-se pelas sensações, inebriados pelo sexo, pelas drogas, pelo afeto e por coexistirem, numa tentativa de viver, de aplacar a própria finitude, de resgatar a si e à América Latina.

Não se sabe o quanto de realidade e fantasia são depositados naquelas linhas. Mas certeza de apaixonar-se pelas pessoas, pelos lugares. Impossível não atrelar su’alma ao relacionamento do próprio Alexandre com seu parceiro americano. Um vai-vem constante de agressão e carinho, um desejo contrastante de aprisionamento e liberdade que se equilibra no afeto, no beijo, no gozo... Improvável não atrelar seu’corpo ao fogo e força do contato do sexo do “próprio” com sua frágil amiga e grande Bandida e ainda Psicóloga e Taróloga de Marselha. Mesmo porque o que vale é o amor verdadeiro e restante são contos de fadas.


Você poderia me dizer o que o liga à América Latina ? Poco a poco sorve-se o sentimento incomum dos Andes. Poco a poco, identifica-se e afasta-se da idéia de identidade da América abaixo do Rio Bravo. De frente para o Pacífico e de costas para o Brasil ... E por que não tomar algumas aulas de charango ? Papas e Chicharon Pela manhã pode ser terrível para a digestão. Mascar folha de coca na Bolívia ajuda ou mesmo haxixe em Santa Fé pode aliviar a jornada.

Não é fácil digerir a realidade. A vida dos pássaros também não é ordinária. O tempo pode corromper como o dinheiro ou mesmo Deus pode desejar apenas amar e não mais julgar. O mesmo beijo que para um querubim no céu para reverenciar o amor, ajeita um trevesseiro sob o quadril e levanta bem as pernas, pois ele gosta assim de entrar ... E o que não dizer da Flor que faz prostitutas jovens a quem acolhe, só pro seu prazer. Ela vai sempre gostar de você.

Sem cerimônia maior o livro termina. Não pede autorização. O fim é seu maior defeito. Envolto em fascinante história, deseja-se que ela não acabe. Na verdade ela não acaba. Recomeça de novo em mochilas e prazer.