Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Homofobia na Mídia

A “RedeTV!” foi condenada pela 2ª Vara Cível de Barueri a indenizar em 80 salários mínimos um casal de lésbicas que participou recentemente do programa “Superpop”, apresentado por Luciana Gimenez. Na ação, a psicóloga Valéria Melki Busin e a servidora pública Renata Junqueira de Almeida alegaram que houve discriminação pela orientação sexual durante exibição do programa.

O casal foi convidado para debater a homossexualidade e o preconceito enfrentado na sociedade. Valeria e Renata alegam que a discussão foi pautada num “show bizarro” e com “clima hostil” à orientação sexual. Quem já teve a oportunidade de assistir algum debate promovido pelo “Superpop” não se surpreende com as declarações das militantes. As discussões são sempre fundamentadas por declarações moralistas e com a péssima intermediação de Luciana Gimenez.

A ação também foi impetrada contra o advogado Celso Vendramini (participante do debate), acusado pelo casal de "trazer informações injuriosas" aos homossexuais em geral. Segundo a psicóloga e a agente pública, opiniões preconceituosas e comentários como "homossexuais deveriam viver entre duas paredes" foram levantados pelo convidado do programa.

A emissora alegou que o programa teve por objetivo "trazer aos telespectadores um melhor esclarecimento ao assunto" e que o casal participou sob livre espontânea vontade. A RedeTV! afirmou ainda que a discussão não fosse premeditada e que as participantes poderiam ter solicitado se ausentar da polêmica. Na ação, o juiz afirmou que houve excessos durante a exibição do programa. Segundo ele, os fatos não se limitaram a livre manifestação de pensamento, mas sim em comentários que violaram a honra e a imagem das convidadas.

Outro caso que chamou a atenção da Militância Gay foi o de Danilo Gentili do CQC, programa exibido na Band. Na madrugada do dia 25/07, o “repórter inexperiente” postou em seu Twitter o comentário: "King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?", a declaração de Gentili saiu do ambiente virtual e foi para na MPF-SP (Ministério Público Federal em São Paulo). O caso foi encaminhado a um procurador, que vai apurar se houve ou não racismo.

Momentos após Gentili escrever sobre o "King Kong", ele tentou se justificar, só que conseguiu ser ainda mais infeliz do que na primeira declaração, ele postou: "Alguém pode me dar uma explicação razoável por que posso chamar gay de veado, gordo de baleia, branco de lagartixa, mas nunca um negro de macaco?" Mais de uma vez, ele tentou se justificar. "Na piada do King Kong, não disse a cor do jogador. Disse que a loira saiu com cara porque é famoso. A cabeça de vocês que têm preconceito." Danilo Gentili é um formador de opinião e tem em seu Twitter mais de 170 mil seguidores.

Não podemos admitir que alguém capaz de interagir com milhares de pessoas use suas ferramentas de comunicação de forma irresponsável, é inadmissível usar a mídia que temos disponíveis para segregar as "classes de minorias". Espero que o Ministério Público ensine para Gentili o porquê não é recomendável chamar Negros de King Kong, Gay de Veados e Gordos de Baleia, ou ele não sabe o que é segregação social?

10 comentários:

Anônimo disse...

Muitos dos famosos são hipocritas, dizem não cultivar preconceitos, e o que mostram com suas ações, é um misto de palavras mal pensadas recheadas de veneno!
Luciana Gimenez, eu já assisti uma vez ao programa vazio e futil, dela.
Muitos começaram a inquisição promovida pela santa Luciana, contra a ausente Bruna surfistinha, nessa hora todas elas são santas, nunca praticaram nenhum ato vergonhoso e se acham no direito de julgar e sujar a imagem dos outros!
É absurdo a atitude dessas pessoas, infelizmente esses são os cegos, cegados pela falsa moral que pensam possuir, é triste a futilidade de alguns!
Parabéns pelo site!


Camila rosa

Serginho Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diego Hatake disse...

No caso das lésbicas, eu processava quem as recomendou de irem ao programa da Luciana Gimenez. Aquilo é um programa ridículo cheio de pessoas idiotas que aham que sua opinião vale ser ouvida.
E sobre o Danilo Gentili, uma pessoa reivindicando o direito de chamar um negro de macaco hoje em dia é um retrocesso lamentável.

FOXX disse...

palmas!
seu texto merece muitas palmas

André Mans disse...

Concordo e discordo
As vezes o politicamente incorreto pode ser bem bacana
Não acho que o Danilo tenha se excedido agora o Superpop deveria ter saido do ar há tempos

Ricardo disse...

Sou da opinião de que todos devem ter o direito de expressar seus pensamentos, mesmo que os pensamentos em questão sejam idiotas. O cara tem direito de achar que "homossexuais devem viver entre duas paredes"(não seria entre quatro paredes?).
Os religiosos, especialmente os evangélicos, querem, em nome da liberdade de expressão, ter o direito de condenar publicamente a homossexualidade. Tudo bem. É o pensamento deles.
Já o meu pensamento é de que uma boa parte dessas igrejas caça-níqueis (desde as igrejas de fundo de quintal, que proliferam nas periferias brasileiras, até as maiores, que compram meios de comunicação para arrebanhar mais fiéis/otários) deveria ser banida por exploração da ignorância alheia (charlatanice). O que me irrita é que quando alguém exprime essa opinião corre o risco de ser acusado de - e processado por - discriminação religiosa. Para onde vai, nesse caso, a liberdade de expressão? Eu também quero.

Leo Carioca disse...

E quando eu chamei a Luciana Gimenez de homofóbica uma vez teve gente que chiou.
Acho pior quando chamam ela de ´´rainha dos gays``, né? Porque tem gay que diz que ela é isso!

Fabiano (LicoSp) disse...

Preconceito e midia é algo muito complicado, mas eu não sei até que ponto podemos apontar os dedos, pois o preconceito esta até em nós mesmos.

Quantos não riem com as piadas de gaucho, judeus, portugueses?

Quantos não riem com as piadas futebolisticas?

Quantos não riem com as piadas das drags, principalmente com os gays e regioes menos favorecidas?

Enquanto encontrarmos humor nestes momentos não podemos apontar os dedos para ninguem.

Agora me pergunto, se as lesbicas acharam ruim os comentários do programa, porque não rebateram na mesma altura? Temos de deixar de termos pena de nós mesmos, d termos medo da nossa sombra, d achar q tudo é uma ofensa.

Eu acho o programa da Luciana péssimo, assim como não gosto do Casseta, não gosto do Panico e muitos outros programas do tipo, mas não posso negar que me divirto com alguns humoristas e algumas piadas que para alguns seriam sem graça.

Diógenes de Souza disse...

Adorei o post. Eu só acho que na cabeça de Danilo gentilli é que falta um pouco de cérebro, né? Pq a Gumenez tem saldo negativo há eras...

Aurea disse...

Estávamos discutindo isso num seminário qdo falávamos de censura. São vários os tipos de censura hoje... se pessoas públicas falam aberrações preconceituosas na tv, outras tantas já o fazem no dia a dia. O que tem que ser modificado é a educação, a base. Somente no dia que essa educação mudar é que teremos um mundo mais justo. Parabéns pelo blog mais uma vez!
Beijo
Aurea