Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Os Meus, Os Seus e os Nossos

Não acredito nos relacionamentos que subtraem. Acredito que relações somam, dividem e multiplicam. Vejo pessoas que mudam completamente suas rotinas depois que começam a namorar. Fazem um novo circulo de amizade: o circulo dos amigos em comum, os "nossos" amigos e excluem os demais. Isso é extremamente maléfico, sem contar que é uma falta de respeito a aqueles que antigamente eram doadores da amizade, carinho e atenção.

A singularidade de cada um tem que prevalecer. O casal não pode se personificar em uma pessoa com hábitos, desejos e anseios em comum, antes de qualquer coisa, há de sempre se notar que um casal é composto de duas pessoas com hábitos, desejos e anseios diferentes e se isso não for levado em consideração, o sucesso do relacionamento está fadado ao fracasso.

Os amigos sempre são um porto seguro num momento de depressão. Muitos problemas não cabem serem confidenciados aos amigos em comum, aqueles que fazem parte do grupo dos “nossos”, pois os mesmos irão argumentar que não podem tomar partido, pois são amigos dos dois. Nesses casos temos que recorrer aos amigos do grupo dos “meus”, eles serão imparciais, pois podem até conhecer a pessoa na qual estamos nos relacionamento, mas não tem uma ligação afetiva com o mesmo.

Muitos aprendem essa lição tarde demais, as vezes, na ocasião do término de uma relação e sem amigos para ampará-lo. Sempre os “nossos” procuram ser imparciais. Ninguém quer correr o risco de tomar partido na briga, pois se por um acaso a relação voltar, aquele amigo que tomou partido de uma das partes, provavelmente será excluído na rede de relacionamentos do casal.

Quanto estamos namorando, não temos que sair somente com o nosso namorado, porém, quando saímos com os amigos, principalmente quando não foram do grupo dos "nossos" é de priori avisar ao namorado. O meio gay é muito restrito e sempre haverá alguém de plantão para correr até o nosso namorado e comentar: Olha, vi o seu namorado em tal lugar, sozinho. E nesses casos, a melhor resposta que temos para dar é: Eu sei, ele foi com amigos. Fazendo assim, ficara fácil a manutenção dos grupos de amigos.


10 comentários:

FOXX disse...

taí algo q não tenho nada o que comentar... nunca namorei, vou falar o que sobre os amigos do meu namorado, porém já fui o amigo do namorado, hauahauhauahau... sempre meu papel...

César Silva disse...

Já passei por esta situação duas vezes. Quando as pessoas comentam você não tem como disfarçar a surpresa da notícia!
Aí se pensa, o que está acontecendo?! O que explica isso?

Mesmo com perguntas respondidas, até sendo coerente, não quer dizer que o fato será apagado!
Abraços

O VIADO E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Marcos,
acho que - nos dias atuais - a questão está bem mais séria. Amigos anteriores ao namoro estão sendo esquecidos não apenas por que o sujeito está namorando, mas por que está sempre muito ocupado.
As pessoas estão deixando de lado duas coisas importantes na construção de suas vidas e história: o amor e as amizades. Repare que as pessoas só estão valorizando trabalho e estudos, em detrimento das relações. Enfim, tempos modernos, imediatismo, bens materiais a serem conquistados...
Você fala de você mesmo nesse texto teu ou está se referindo ao "eu coletivo"?....ahahaha... ando traumatizado...
Beijos,
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

HSLO disse...

Foi algo que sempre concordei...Não precisamo mudar nossa forma viver porque estamos namorando.

Abraços

Hugo de Oliveira

J. disse...

Adorei tudo o q disse nessa postagem. Estou sozinho agora, mas quando estava namorando vivíamos mt isso... Aos poucos fomos vendo que cada um tem sua própria vida a parte do relacionamento.. e isso nao é ruim.. Ficamos juntos por 2 anos e meio e os amigos foram importantes em todos os momentos, prinpalmente os "meus" amigos..hehe.. Boa semana Marcos. xD~

J. disse...

Ahh..esqueci de dizer...a primeira foto da sua postagem me fez lembrar do desenhista Joe Phillips.. Eu costumava acompanhar os traços dele mas acabei perdendo o site e lembrei com o desenho q postou.. ^^

Diego Hatake disse...

Bom eu também nunca namorei, então... XD Mas como amigo de namorados, e analisando o que eu quero numa relação, acho que não deveria ter aquela típica situação de as pessoas esquecerem dos amigos por causa da pessoa amada, ou quando a pessoa amada deixa bem claro que não troca os amigos por nada, nem pelo namorado(a).
Como escrevi no meu blog certa vez, um namorado deve ser um tipo de amigo, um melhor amigo. Colocar privilégios e desvantagens pra um namorado em relação a amigos é um passo pro fracasso, não sei se me entende... Enfim, minha opinião é essa.

Ayslan Matheus Salles disse...

Bom amigo! eu também não tive o previlegio ainda, de ter um love, porém como amigo de namorado, eu posso dizer que os amigos saõ sim deixados de lado quando surge, uma relação afetiva de um amigo. Eu acho que os amigos são muito importante em qualquer relação,não é preciso excluir os amigos só porque estamos namorados. Sem falar que amizades devem ser cultivadas em tempo e fora de tempo. abraços meu querido...

Leo Carioca disse...

Acho que uma das coisas mais tristes que existem é exatamente perder contato com antigos amigos, mesmo que não seja por causa de um namoro.
Bom, também temos que pensar que ´os meus` e ´os seus` nem sempre podem virar ´os nossos`. Existe muita incompatibilidade de relacionamento em alguns casos... Se eu tenho 2 amigos, vou apresentar um ao outro. Mas se eles não se derem, também não vou forçar a barra. Eu sei, por exepriência pessoal, que isso pode até piorar a situação. Uma vez tive um amigo (tenho ainda) que fez amizade com um garoto e cismou que eu tinha que me dar com esse garoto como ele se dava. Mas não tinha condições: o garoto era ´hétero demais` pra estabelecer uma relação comigo: só queria falar das garotas que ele tava a fim, das garotas que ele tava a fim e mais das garotas que ele tava a fim.
Não tínhamos assuntos em comum, né? E como esse meu outro amigo insistiu muito pra eu ter uma amizade com o garoto, acabamos brigando. Mas já passou. Ele entendeu que não dava pra mim.
Então, é preciso lembrar que o amigo de um amigo seu ou o amigo de um namorado seu nem sempre vai ser seu amigo também.
É importante lembrar isso até pra manter as amizades que a gente tem, sem estragar essas relações com cobranças desnecessárias.

Regina disse...

Valorizo muito minhas amizades, gosto de formar novos amigos, mas mantenho perto de mim os mais antigos, que me conhecem a mais tempo , que vivenciaram acontecimentos comigo. Sou amiga de alguns casais/gay e acaba sendo complicado mesmo quando se ama igualmente,quando se interessa pela historia de amor , quando toma parte do dia a dia destes amigos e de repente algo se quebra. Fico um tempo paralizada esperando que um recobre a consciência e assuma seus passos, sejam eles quais forem. Sou sempre pela verdade , mesmo dura, explícita, por que não dá pra brincar de "faz de conta" mais...somos adultos. Sei compreender e ajudar, sei perdoar e lutar lado a lado pra qlq reconciliação possivel , mas sempre estarei do lado da verdade. Sou leal e busco ser coerente com a maneira como vejo a vida, dentro dos valores que escolhi para mim. Quando existe uma amizade verdadeira , o tempo sempre ajuda que todos se recuperem destes tropeços. Então, querido, acho que a pessoa que dá uma escorregada, que desliza em algum ponto, precisa se assumir e encarar a responsabilidade daquele seu momento impensado. É preciso a mesma coragem....entende?
Outra...em algumas cidades do sul do Brasil, existem grupos organizados somente com esse intuito mesmo,de "ficar de olho" nos casais que são vistos separados em noitadas e eventos. E o serviço costuma ser completo ...com emails passados em tempo real para a parte afetada. Sabe que nada tenho contra? Se tu nada deve....não tem nunca o que temer...rsrsrs
Beijos amore