Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 12 de setembro de 2009

Iniciativa Profilaxia Pré-Exposição (iPrEx): Tudo que Você Sempre quis Saber, mas não Tinha a Quem Perguntar


O Espaço Entre Homens, da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo discute, NO PRÓXIMO DIA 17/09 (quinta-feira), o tema:
Iniciativa Profilaxia Pré-Exposição (iPrEx): Tudo que Você Sempre quis Saber, mas não Tinha a Quem Perguntar

Apesar do nome complicado, o iPrEx quer responder uma pergunta simples: será que se pessoas não-portadoras do HIV tomarem antirretrovirais, isso evita ou ajuda a evitar que adquiram o vírus, se tiverem contato com ele? Tomar medicamento antes de um possível contato para prevenir a infecção. É isso que é a "profilaxia pré-exposição" da sigla.

No entanto, para responder essa pergunta, a Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) precisa de 200 voluntários soronegativos na Grande São Paulo dispostos a tomar o medicamento, com o devido acompanhamento médico!

(1) Qual medicamento?

O medicamento em teste é o Truvada, um composto de dois elementos (200 mg de emtricitabina e 300 mg de tenofovir). Não se assuste com os nomes complicados. O Truvada é um medicamento seguro, já aprovado para o tratamento do HIV nos EUA e na Europa. Testes realizados com macacos comprovam que uma dose diária de Truvada tomada previamente oferece resistência à infecção de um vírus semelhante ao HIV em 100% dos casos! E outro estudo, feito na África, mostra que o tenofovir não prejudica a saúde de quem o toma.

(2) Quem pode ser voluntário?

Gays e outros homens que fazem sexo com homens (HSHs), travestis e mulheres transexuais (nasceram com órgãos masculinos, mas possuem identidade de gênero feminina) soronegativos.

(3) Por que esse público?

Por um motivo simples. Estudos sobre métodos alternativos ou complementares à camisinha para héteros (homens e mulheres biológicos) já existem aos montes! É o caso dos géis vaginais. Como, para gays, HSHs, travestis e mulheres trans, existem poucas opções disponíveis em estudo, decidiu-se que, no iPrEx, sairíamos na frente.

(4) Ganha alguma coisa?

Além de contribuir com a ciência e com o sonho de um mundo sem Aids, o voluntário recebe compensação com despesa de transporte, aconselhamento e acompanhamento médico, camisinhas e exames de HIV, hepatites B e C e outras DSTs "na faixa". Também haverá encaminhamentos para tratamentos e para vacinação contra a hepatite B.

(5) Os voluntários serão cobaias?

Não. Os estudos clínicos seguem um cronograma rígido, e substâncias só são testadas em seres humanos depois que uma expressiva segurança já foi estabelecida para esse fim em testes de laboratório. Portanto, ninguém vai ser cobaia, não.

O encontro acontece no dia 17/09/2009, quinta-feira, às 19h, na sede da Associação da Parada que fica na Praça da República, 386 - Sala 22 – Centro. São bem vindos gays, homens que fazem sexo com homens (bis, héteros, múltis, pans...), travestis, mulheres transexuais e todo mundo que quiser entender e divulgar o iPrEx.

4 comentários:

FOXX disse...

depois as pessoas falam que a parada gay de são paulo é só uma festa, é uma festa, pra comemorar todas as ações que são feitas durante o ano todo

Satiro disse...

O item (2) é uma fraude, você é GAY e foi recusado segundo suas próprias palavras !!!

Marcos Freitas disse...

Sim, é uma ótimo questionamento para ser levantado, pena que não poderei comparecer. Reconheço a importância do iPrEx, porém, acho que eles deveriam ser mais claros e dizer quer os voluntário tem que ser "gays e outros homens que fazem sexo com homens (HSHs), travestis e mulheres transexuais (nasceram com órgãos masculinos, mas possuem identidade de gênero feminina) soronegativos e que possuam vários parceiros sexuais", tão simples ser direto.

Luck® disse...

Satiro, lá na Associação (Entre Homens), foi explicado que um conjunto de critérios são avaliados. Cumprir um ou outro quesito, pode não ser suficiente.

Eu tive esta impressão antes, mas até soropositivos são parte do estudo, coisa que, à priori, não é interesse desta pesquisa.