Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

68 Meses

Hoje o meu relacionamento com o Douglas completa 5 anos e 8 meses. Vi o Douglas pela primeira vez no dia 18 de maio de 2003, na época frequentava a igreja Acalanto, uma igreja inclusiva gay. Já o tinha visto desde o inicio da reunião, cheguei um pouco atrasado, e fiquei em pé, estava encostado na parede, bem na direção dele. No momento que ele me viu, eu não sei o que estava acontecendo na igreja, ele olhou para trás porque alguém falou algo engraçado e todos riram, não me lembro o que, aliás, não importa. Para mim, naquele dia não houve reunião, pois fiquei o tempo todo olhando para ele, e depois que ele me viu, ele também ficava me olhando, e quando os olhares se cruzavam, nos disfarçávamos com vergonha e depois olhávamos de novo.

Nesse dia eu o cumprimentei, mas não trocamos nenhuma palavra além do cordial. Na época eu tinha uma moto, no caminho o encontrei indo para o metrô. Parei, ofereci uma carona e ele não aceitou, depois ele me confessou que ficou pedindo a Deus para me guardar, ele tinha medo da moto, e enquanto ele não me viu livre dela, não sossegou. No outro domingo fui para a igreja de metrô, pois queria voltar com ele, e no caminho teríamos oportunidade para conversarmos, ele foi. Não me lembro ao certo o que falávamos naquele dia, acho que algum papo bobo de quem está com a vergonha de um adolescente em meio à descoberta do amor. Nessa mesma semana teria uma festa na casa de um membro da igreja, eu perguntei se ele iria, ele não deu certeza, mas disse que faria um esforço, eu não estava muito a fim de ir, mas fui, estava com a intenção de encontrá-lo. Para a minha decepção, ele não foi.

Na festa conversei com o meu amigo André, perguntei se ele conhecia o Douglas, ele disse que sim, que conversaram quando ele se apresentou como visitante na igreja. Uma amiga nossa, a Mara, também disse que havia conversado com ele, e que achou ele uma gracinha, eu disse que também havia achado. O André ficou de me ajudar a me aproximar dele, e nos convidou para irmos ao teatro, nos aceitamos, precisávamos de uma oportunidade para nos aproximarmos, pois éramos tímidos.

A peça era numa sexta-feira, dia 06/06/03 no teatro Ruth Escobar. Marcamos de nos encontrarmos no metrô. No dia eu tive uma série de contratempos e eu cheguei bem atrasado. Se na época conhecesse a música “Por Onde Andei” do Nando Reis, sairia da catraca cantando: Desculpe estou um pouco atrasado, mas espero que ainda de tempo... Até hoje o Douglas comenta desse nosso primeiro encontro que eu o deixei esperando mais de uma hora... Enfim, passou.

No teatro, quando o Douglas não estava por perto eu perguntei para o André: E ai, o que você acha? Ele me respondeu: Ta no papo. Eu fiquei feliz, estava extremamente apaixonado. No final de peça, que por sinal foi uma das piores que já assistimos, fomos para o Franz Café da Haddock Lobo, a todo o momento queria falar com ele o que estava sentindo, que queria namorá-lo e amá-lo, mas não tinha coragem. Estava ficando tarde, e resolvemos ir embora, pois eu não estava com a minha moto.

Quando chegamos à plataforma do Metrô Consolação, ele me perguntou: A Mara comentou alguma coisa com você? Eu respondi: Não, o quê? Fazendo cara de desentendido, ele ficou roxo e então disse: Eu estou gostando de você (achei lindo). Eu olhei para ele e disse: Eu também enquanto tirava do bolso um presente que havia comprado para a ocasião. Era uma miniatura de bonequinho de um contador, pois sabia que ele era formado em Ciência Contábeis, ele disse que não tinha nada para ocasião, mas não me importava com isso, o que eu mais queria eu já tinha, o coração dele. Deixamos o metrô passar, ele olhou para mim e me disse: Queria lhe dar um abraço, fazer alguma coisa, aqui não dá para fazer nada... Uma pena. Depois disso nos vemos no domingo, fomos ao Shopping Hienópolis para almoçar, depois o convidei para ir no Vermont Centro (bar gay que se localiza na região da república), e lá aconteceu no nosso primeiro beijo.

Estávamos numa mesa que ficava na calçada da Rua Viera de Carvalho, ele ficou preocupado, e perguntou: Pode beijar aqui? Eu disse que sim e continue beijando colocando as minhas mãos em suas pernas, percebi que ele estava deslocado, então parei e ficamos conversando. Nosso amor não tinha pressa, pois sabíamos da magia que estávamos envolvidos era muito forte, e que aquele singelo beijo era apenas o começo de um grande amor que já dura 5 anos e 8 meses.

Leia Também:

19 comentários:

felipemaia disse...

Nooossa, que lindo o encontro de vcs!!
A relação como um todo!

Parabens! É dificil ser assim!

____

Adoooooro a Vieira de Carvalho!!!
Sempre que vou a sampa fico hospedado na Champs elysee!!
:D

O VIADO E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Lindo , Marcos! Muito lindo e fico feliz de ter um amigo tão sensivel.
Beijos,
Ricardo
agueiras2002@yahoo.com.br

Serginho Tavares disse...

o amor de vocês é muito lindo
parabéns
abração

VIADAGEM E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Marcos,
Esta é, para refletir muito, talvez a mais bela canção de amor e arrependimento que existe, no mundo. Simone deu a ela, nos anos '70, uma interpretação belíssima. Leia com atenção e não se arrependa do que fez ou faz, só do que não fez...
Jura Secreta


Composição: Sueli Costa e Abel Silva

Só uma coisa me entristece
O beijo de amor que não roubei
A jura secreta que não fiz
A briga de amor que não causei
Nada do que posso me alucina
Tanto quanto o que não fiz
Nada que eu quero me suprime
De que por não saber ainda não quis

Só uma palavra me devora
Aquela que meu coração não diz
Só o que me cega
O que me faz infeliz
É o brilho do olhar
Que não sofri.

Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

Gustavo Miranda botadentro@ymail.com disse...

Menino... que coisa mais linda! Felicidades!
=)

Arsênico disse...

*xorando!

Parabéns... e felicidades!

...um Beijo!

***

Anônimo disse...

Muito lindo o seu amor, eu estou com o meu namorado há 2 anos e 5 meses, e compartilho do sentimento que você descreve... parabéns

Arthur Marìn i Casez disse...

Adorei! Muito linda a história de vocês. Obrigado por partilhar.

Arthur

Fabiano (LicoSp) disse...

Opah... Parabens pra vcs...
é maravilhoso comemorar niver de namoro... e + legal ainda é relembrar como c conheceram... memórias q não devem ser apagadas jamais

felicidades.

Luis disse...

Tudo bem Marcos?

Aqui vai uma sugestão para um futuro artigo no blog. Nos últimos anos temos visto nas novelas da Globo e em outros programas a presença de casais gays, ambos os sexos, e isso foi considerado um grande avanço para um país conservador e homofóbico como o Brasil. Mesmo considerando que não havia troca de carinho e até um beijo (Júnior e Zeca/América) foi censurado, o que motivou protestos até no exterior. Contudo, particularmente no caso da Globo, tenho observado alguns casos polêmicos. O personagem Patrick de Zorra Total surgiu como motivo de chacota para todos e era claramente gay desde o início. Recentemente arranjaram-lhe uma namorada. Na novela A Favorita o personagem Orlandinho, que se descobriu gay e mostrava-se interessado no personagem Halley, chegou a ter sua homossexualidade revertida ao casar com a personagem Maria do Céu. Seria interessante analisar o que pretende a emissora com casos como esse. No caso do personagem Patrick, parece-me que o surgimento de uma namorada foi pensado para torná-lo mais aceitável. No caso do Orlandinho, mostra-se uma situação em que parece simples e fácil a reversão da homossexualidade apenas pelo contato com o sexo oposto. Apenas nesses casos que citei não estaria também uma forma de homofobia? Você já tinha se tocado pra esse assunto? Não me lembro de ter visto um artigo em seu blog sobre o assunto. Contudo, seria interessante que você analisasse tudo isso, até mesmo consultando alguém da área de teledramaturgia. Quando eu ver artigo sobre isso, postarei um link no The Blogger para divulgação. Um abraço!

Contato: luishipolitotheblogger@gmail.com

GiL disse...

Muito linda a sua história com o Douglas...

Sophie disse...

Nossa que história! Adorei...
E parabéns pela data! Muito tempo hein... e que dure mais e mais.
=*

J. M. disse...

Adoraria fugir dos clichês e do que já foi dito aqui sobre a sua história linda com o Douglas. Mas não dá, porque ela simplesmente é o sonho de alguns gays que por aqui passam, lendo o que você escreve. O sonho do amor romântico, simples, verdadeiro, e acima de tudo, duradouro. Esse é o meu sonho. Mas fico sensibilizado de ver que no mundo de hoje, ainda há amor como o seu. Muito lindo. Abraço.

Diógenes de Souza disse...

Que história interessante! Mas tem um cheiro enooorme de saudade. Imagino o quanto. Mas 5 anos e oito meses é um tempo enorme. Muitos casamentos nem duram isso.

Mais felicidade pra vocês.
Que momentos tão especiais quanto o primeiro encontro sejam recorrentes na vida dos dois.

Abraço.

John Rômulo disse...

Aim eu adoro essas histórias! que coisa mais esse amor de vc's ! parabéns!
Vocês são a prova de que sim realmente o amor gay é duradouro sim !
parabéns mais uma fez !
fiquei emocionado !

bjus


www.johnrmulo.blogspot.com

kinho disse...

OI MEU XARÁ

MININO QUE LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.
É POR ISSO QUE NÃO POSSO FICAR LONGE DE VOCÊS, VOCÊ E DOUG, QUE SÃO LINDISSIMOS JÁ VI A FOTINHA KKKKK LINDOS MESMO VOCêS TEM UM BRILHO NO OLHAR UMA COOISA TIPO UM QUE DE SER UM DO OUTRO NA SUA TOTALIDADE, BOM MARQUITO ADORO VOCÊ E DESEJO SEMPRE MUITAS FELICIDADES A VOCÊ E A DOUG QUE ESTA RELAÇÃO SE PERPETUE POR MUITO TEMPOOOOOOOOOOO.

BEIJOS
KINHO

kinho disse...

AH ADOREI O NEW LAYOUT FICOU DOS SONHOS PARABENS

Rodrigo disse...

Parabéns pelo namoro, 68 meses hoje em dia é uma eternidade.
Agora, vc nunca coloca fotos de voces dois juntos, é problema com a fotogenia, ah porque eu também odeio fotos, minhas é claro!!!

Marcos Freitas disse...

Rodrigo,

Não coloco fotos minhas e do Douglas, mas para manter privacidade. Mas no post "Dia de Amor" que eu recomendei a leitura, tem uma foto nossa.

Beijos