Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Milk – A Voz da Igualdade

Na quarta-feira de cinzas, assisti ao filme “Milk – A Voz da Igualdade” de Gus Van Sant, com o extraordinário Sean Penn no papel de Harvey Milk. São poucos os filmes que emocionam o Douglas e eu, mas no filme de Sean Penn fica difícil conter as lagrimas em meio a tanta homofobia e injustiça que existiu e ainda existe em nossa sociedade. Eu já sou um pouco frio para filmes, porém não posso deixar de assumir que fui tocado por Milk.

O filme conta a história de um gay cansado de se esconder de si próprio, Harvey abandona o seu bem remunerado emprego em Wall Street e decide "sair do armário", mudando-se para o distrito Castro em São Francisco com o seu amante de longa data, Scott Smith. Na comunidade colorida de Castro, pequenas vitórias conduzem a outras maiores e Harvey ao falar abertamente para uma maioria silenciosa, acaba por ser o primeiro politico assumidamente homossexual a ganhar umas eleições. Quando Harvey Milk foi assassinado em 1978, o mundo perdeu um dos seus líderes mais visionários e uma voz que se elevou corajosamente pela igualdade de direitos.

No Movimento Gay Brasileiro faltam muitos Milks. Pessoas que estão realmente apaixonados pela causa, pelo social, militantes que se importam com a vida que quem os rodeia. Creio que a história de Milk servirá de inspiração para muitos militantes ao redor do Mundo, e pode ser que surge uma nova leva de militantes realmente comprometidos.

13 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Não assisti ainda mas, pelas criticas parece ser muito bom. A sua visão sobre o filme bem esplanadora.

Bjinhos ú&e ;**********

PS: Mudei o link do meu blogue, clica no meu nome. Apareça!

Serginho Tavares disse...

quero muito ver esse filme!

Raí Pereira disse...

Excelente filme Marcos. Eu assisti e tive as mesmas impressões que você, faltam pessoas dispostas a fazer o que Milk e toda aquela população de gays e lésbicas fizeram. Eu até lamento que muitos hoje nem se dêem conta de quanto foi preciso para termos o mínimo de respeito que temos hoje. Algo que me tocou além do filme foi o fato de que no final da sessão ali no HSBC, aplaudiram e muito! E olha que a platéia era a mais diversificada possível. Ponto para Sean Penn e Gus Van Sant!

Rodrigo disse...

Ainda não assisti o filme, mas todo mundo está elogiando, tenho que assistir o quanto antes.

tommie carioca disse...

É preciso coragem e desapego de vaidades para fazer algo parecido com o que ele fez. Adormece um Milk dentro de nós.

Arsênico disse...

Ah... mataram ele?...

***

Enlouquecido pra ver!!!

O VIADO E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Marcos,
querido,
Penso que não estamos defasados em "MILKS" por aqui, não...
Olha, o que Trevisan construiu, por exemplo... Ou o Mott ou Míriam Martinho...
Lutaram pra cacete e deram sempre a cara à tapa. É essa a proposta. O problema, no Movimento Homossexual Brasileiro não é a falta de lutadores e lutadoras, mas sim o partidarismo, que roubou a originalidade da nossa História e reinvidicação e jogou dentros do MHB elementos estranhos ao Movimento.
Mas que temos lutadores/as, pode crer que temos.
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

John Rômulo disse...

Meu coração está aos pulos prara ver esse filme! vou baixar o mais rapido possivel!
Eu acredito que maior do que o preconceito em votar em gays,no Brasil existe um grande desfalque de gays com talento para a politica realemente engajados em uma causa seria.
Por isso ficamos presos na "farça" da parada gay como único meio para se conquistar os tão desejados direitos.
Votar no Clódovil foi uma piada.Léo Aquila então nem se fala!Não duvido das boa intenções deles,mas eles não são politicos.


meu blog: www.johnrmulo.blogspot.com

Diógenes de Souza disse...

Ainda não assisti, pois nem há previsão do Cinemark pô-lo em cartaz nas salas daqui de Aju. Já até combinei com os amigos - heteros ou não - de vermos juntos.

Alexandre Lucas disse...

Um tapa na cara dos californianos.

J. M. disse...

Creio que você deve muitos, o tempo inteiro, mas te indiquei para receber o Selo Dardos. Passa em meu blog e vê a indicação. Foi para mostrar o quanto gosto de ler o que você escreve e o quanto ele é importante para a Blogosfera. Abração.

http://www.devanneios.blogspot.com/

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Rapaz,

Gostei do post, inclusive do anterior, sobretudo pelo enfoque - ainda que "en passent" - pela sua trajetória (a sua e a de seu namorado) até solidificarem o sentimento com as experiências vivenciadas um ao lado do outro.

Quando leio tais relatos, emociono-me por uma razão: ainda existem corações que ousam investir um no outro, como campo fértil!

Bem, mas falando sobre Milk, eis aí uma excelente oportunidade para reflexão acerca do que podemos realizar quando o coração arde por um ideal. Sei que há muitos "Milks anônimos" entre nós, batalhando em suas áreas, mas ainda falta-nos luzeiros com maior visibilidade social. Creio que é uma questão de tempo. Apenas isso.

Sou otimista, sei que chegará...

Abraço!

...

Jadilson disse...

Olá meu amigo querido!!!

Assisti e adorei esse belíssimo filme que considerei inspirador. Sean Pen está impecável em sua atuação e até ganhou o Oscar como melhor ator pela brilhante interpretação do militante/político gay Harvey Milk. Enquanto do lado de fora da cerimônia do Oscar fanáticos religiosos protestavam contra a sua atuação no filme, Sean Pen fez um belo discurso em favor dos LGBTs e pelo não a “Proposition 8” que proibiu o casamento gay no estado da Califórnia. A “Proposition 8” perguntava ao eleitor californiano se o casamento gay deveria ser banido da constituição e o sim acabou vencendo e o casamento gay passou a ser proibido naquele estado. Depois do discurso de Sean – que obteve enorme visibilidade por causa da grande audiência que o Oscar possui – legisladores da Califórnia aprovaram duas resoluções contrárias a “Proposition 8” e já estão discutindo a inconstitucionalidade da “Proposition 8”. Por isso, Sean Pen merece nossos parabéns não só pela belíssima interpretação do militante/político gay Harvey Milk como também pelo discurso em favor dos LGBTs. Gus Van Sant também merece o nosso aplauso por resolver contar a interessante história desse militante tão importante para os LGBTs não só dos Estados Unidos, mas também para tantos outros mundo afora. Realmente a história de Harvey Milk é inspiradora.

Concordo com vc quando diz “No Movimento Gay Brasileiro faltam muitos Milks”. Realmente são poucas as pessoas que são apaixonadas pela causa LGBT. Muitas das pessoas que poderiam nos inspirar sucumbiram ao sucesso e a visibilidade de suas figuras e a causa LGBT acabou ficando num segundo plano. Alguns militantes fantasiam de não partidaristas para criticar os outros que eles chamam de partidaristas. Existe uma idéia reinante entre alguns militantes que se um militante gay faz parte de um partido e assume isso ele não merece crédito. Se esse gay militante conseguir ocupar algum cargo no governo já é taxado de “vendido” pelos militantes que posam de não partidários. Sinceramente não acredito em apartidarismos. Aristóteles já dizia “ o homem é um animal político”. Nessa briga de egos quem sai perdendo é a causa LGBT. Afinal, é somente através do engajamento na política que poderemos fazer com que nossas reivindicações entrem para a agenda de discussões e possam se tornar políticas públicas em nosso favor. Por isso, precisamos eleger aliados verdadeiramente comprometidos com nossa causa e construir alianças para defender as nossas reivindicações junto ao Estado. Aqui em Minas a situação política está tão triste que dois militantes foram até processados por um advogado membro do Centro de Referência LGBT que alegou ter sido caluniado por eles. Se a militância não tiver mais liberdade para cobrar explicações e transparência dos seus representantes no governo em relação às políticas públicas destinadas aos LGBTs, sob o risco de poder ser processado por aqueles que deviam defendê-los, então onde vamos parar? Então, mais uma vez eu repito: precisamos de mais “Milks” para nos inspirar.

Gostaria então de aproveitar esse espaço para parabenizar a “atitude Milk” do Grupo Arco-íris e da ABGLT pelo lançamento da campanha “Não Homofobia” a qual tenho dedicado todas as minhas forças para divulgar em comunidades de relacionamento, na internet em geral e pessoalmente. Gostaria de contar com a sua preciosa colaboração para nos ajudar na divulgação dessa campanha tão importante para todos os LGBTs. Precisamos conseguir o máximo de assinaturas para conseguirmos que o PLC 122/2006 seja aprovado. Assim como participei de outras lutas como o abaixo-assinado que a Glória Perez fez para colher 1 milhão de assinaturas que conseguiu transformar o homicídio qualificado em crime hediondo, também estou engajado nessa campanha que ajudará a criminalizar a homofobia. Penso que a participação de cada um de nós é fundamental para fortalecer a nossa luta e conquistarmos a nossa verdadeira cidadania . O site para votar na campanha “Não homofobia” é www.naohomofobia.com.br/home/index.php

Conto com sua preciosa colaboração.

Grande abraço meu amigo!!! Como já te disse vc se transformou num amigo “Permanente do Meu Mundo”!!!

E-mail criado pelo nosso grupo para a divulgação da campanha “Não Homofobia”

divulgacaonaohomofobia@gmail.com