Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O Efeito Tiririca nas Eleições do Brasil

No Brasil, é utilizado o sistema de Representação Proporcional Partidária, ou seja, nos votamos e na contagem dos votos tudo pode mudar. Podemos tirar como exemplo o Enéas do Prona que com sua expressiva aceitação nas urnas conseguiu levar mais consigo mais quatro colegionarios.  Na hora da votar, escolhemos nossos candidatos, mas na contabilização, o voto é por partido, no sistema de lista aberta.

Todos os partidos tem os candidatos que puxam votos, mas nesse ano a apelação quanto a isso está absurda: Tiririca, Mulher Pêra, Maguila, entre outros, é muita apelação, é transformar o horário político, que deveria ser um espaço para a promoção de debates de propostas, numa verdadeira "Zorra Total".

É inadmissivel o eleitor dar o seu voto para um candidato que assume que não sabe exercer o papel de um parlamentar, é chamar a sociedade de burra e levando em consideração o sistema eleitora vigente no país, votando em Tiririca, não elegeremos apenas um palhaço, mas tantos outros mais que o coeficiente eleitoral do Tiririca permitir, me explico:

Estimam que o Tiririca terá algo em torno de 900 mil votos (acredito que ele terá bem mais, algo em torno de 1 milhão), um numero bem abaixo que o Dr. Enéas, do extindo Prona, que teve em 2002 mais de 1,5 milhão de votos. Em São Paulo iremos eleger 70 Deputados Federais. Para calcularmos o coeficiente eleitoral para eleger um deputado federal, devemos dividir o numero de votos validos, pelo numero de vagas, em São Paulo o resultado é aproximadamente 290 mil votos, ou seja, se o palhaço Tiririca tiver algo em torno de 900 mil votos, ele elegerá consigo mais 3 candidatos do seu partido (900/290 = 3), entre eles, Valdemar da Costa Neto, o grande articulador do Mensalão do PT.

Há muitas criticas acerca do sistema de contabilização de votos, eu concordo com o sistema atual, pois quando se vota num candidato, também se vota numa ideologia, e essa ideologia é do partido, ou pelo menos deveria ser, caso contrario o candidato está no partido errado, abraçando ideologias que não lhe pertence. O grande agravante nesse cenário é que muitos que irão votar no Tirirca, não votarão em sua ideologia, mas sim por protesto, colocando no Legislativo, um poder derepresentatividade, pessoas que a sociedade não gostaria de te-la representando.

Minha critica não é ao sistema, e sim a falta de seletividade do povo, votar num candidato porque não existe um outro é inadmissível, temos que lembrar que além daquele voto protesto que está sendo auferido para tal candidato, também estamos votando em outros candidatos que mal conhecemos, essas são as surpresas que obtemos depois da contagem de votos. Temos que pensar antes de votar, para não colocarmos num poder de representatividade palhaços que não nos representam, transformando o Congresso num verdadeiro circo.

Nenhum comentário: