Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Nosso Lar

Em meio a agitação dos últimos dias de campanha política, assisti com o Evandro o filme "Nosso Lar" de Chico Xavier. O filme conta a história de André Luiz, que ao se despertar no Mundo Espiritual, se depara com criaturas assustadoras e sombrias vivendo, juntamente com ele, neste lugar escuro, definido como Umbral. Além disso, ele também se assusta por perceber que apesar de ter "morrido" ele ainda sente suas necessidades fisiologias, como fome, sede, frio e outras sensações materiais.

Após um longo período de sofrimento ele é recolhido dessa zona de sofrimento e purgação de falhas do passado por espíritos do bem e é levado para a Colonia Espiritual Nosso Lar, de onde surge o nome do filme. A partir desse momento ele começa a conhecer melhor a vida no além-túmulo e a aprender lições e adquirir conhecimentos que mudarão completamente o seu modo de enxergar a vida.

Tendo então tomado consciência de que está desencarnado (morto), sente imensa vontade de voltar à Terra para visitar e rever parentes próximos de quem guarda imensa saudade. André volta a ao Mundo Material e se decepciona ao ver que todos os seus entes queridos tocaram suas vidas sem grandes afetações por conta da sua morte.

Fiquei extremamente tocado com o filme e refletindo sobre reencarnação e o que de verdade existe após a morte. Certa vez minha mãe relatou que teve um sonho com os meus avós, nesse sonho eles aparentavam mais jovens, estavam de branco, num lugar com natureza farta e muito felizes, me lembrei desse fato quando estavam assistindo o filme e pensando na possibilidade de meus avós terem transmitido uma mensagem de uma "Colonia Espiritual" na qual eles aguardam ou aguardavam a reencarnação.

Outro fato que veio a tona, foi na ocasião da morte de um tio -avô. Minha mãe sonhou que minha avó estava na calçada, de outro lado da rua da minha casa. Minha mãe gritou: Mãe, vem cá. Minha avó disse: Não posso, vim apenas buscar o seu tio. Minutos depois o meu pai atende o meu tio em casa, dizendo que tinha uma noticia triste, meu pai se antecipou e disse que já o que havia ocorrido, pois escutou minha mãe conversando enquanto dormia.

O excesso de serenidade contido em "Nosso Lar" foi algo que me deixou extremamente incomodado. A cidade, extremamente organizada, chega a ser enfadonha, o meu corpo material não suportaria viver num lugar como aquele, com sistemas 100% previsíveis e toda a população inclinada para a bondade e o bem-estar coletivo. Faltou um pouco de ação, acredito que no "Nosso Lar" existem muitas dificuldades e sofrimentos, mas o filme se inclinou para a serenidade.

Nenhum comentário: