Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Porque não Voto em Dilma Rousseff

Para quem não sabe porque o nome de uma das Ruas no Ibirapuera se chama Sargento Mário Kozel Filho. Todos devem saber e lembrar.

Mário Kosel Filho nasceu em 6 de julho de 1949, em São Paulo. Era filho de Mário Kosel e Therezinha Vera Kosel. Fazia parte do Grupo Juventude, Amor, Fraternidade, fundado pelo padre Silveira, da Paróquia Nossa Senhora da Aparecida, no bairro de Indianópolis, do qual faziam parte mais de 30 jovens. O símbolo do grupo, uma rosa e um violão foram idealizados por Mário Kosel, que era carinhosamente chamado de Kuka.

Kosel, fazia parte da 5ª Companhia de Fuzileiros do 2º Batalhão, no 4º Regimento de Infantaria Raposo Tavares, em Quitaúna teve a vida brutalmente ceifada, na madrugada de 26 de junho de 1968, em um atentado terrorista vil e covarde, posto em prática por grupos radicais de esquerda, formados por muitas das pessoas que estão no poder hoje.

Dilma Rousseff era uma das 2 mulheres que estavam dentro do carro que jogou a bomba em cima de Kosel, que morreu sem a menor chance de defesa, pois estava de costas verificando se havia feridos dentro do outro carro que colidiu com um poste, após os tiros de advertência do soldado Rufino.

Talvez o corpo despedaçado de Kosel assombre a mente de Dilma Rousseff, talvez não, mas cabe aos brasileiros usarem a consciência e não colocarem o país nas mãos dessa mulher, pois quem participou do assassinato de um verdadeiro servidor da pátria, JAMAIS pode se tornar presidente do Brasil.

6 comentários:

FOXX disse...

e vc simplesmente apaga todo o contexto político de luta contra a ditadura militar que a ação aconteceu? como se fosse um crime comum ou um crime de ódio? mesmo? vc apaga que foi por causa dessa luta armada que o sistema ditatorial no Brasil começou a ser abalado? que foi por causa desses homens e mulheres que foram ANISTIADOS e, portanto, não podem ser mais acusados de nada que a censura, liberdade e democracia voltaram ao Estado brasileiro? vc realmente esquece da história com essa facilidade?

S.A.M disse...

É uma questão complicada, até porque na então situação ele servia a ditadura. E infelizmente ninguém que tenha servido a ditadura no meu conceito de vista - opnião particular - pode ser considerado "herói".

A propósito Marcos, onde voce leu que a Dilma estava nessa situação? Ela foi do VPN mas não me recordo desse tipo de registros.

Enfim, é só uma arguimentação com bas "no que eu sei de história".

Beijao!

S.A.M disse...

Alias, não leva a mal meu comentário não viu!
beijo

Dois Perdidos disse...

Por essas e muitas outras ela jamais terá meu voto, nem o da minha família.

Marcos Freitas disse...

Foxx,

Não me esqueço dessa história, aliás, estou ciente que o Brasil viveu uma violenta ditatura militar, mas me lembro de homens e mulheres que lutaram bravamente contra a ditatura, que assume a sua história e que nessa luta não precisou sujar as suas mãos de sangue, muitos desses homens e mulheres estão hoje no PSDB.

Marcos Freitas disse...

Sam,

Como você mesmo disse, a Dilma pertencia ao grupo e é amplamente divulgado no mídia, até mesmo numa matéria da revista veja, imprensa que o PT tenta calar, que a Dilma era uma das mulheres que estavam no carro. Dilma participava do grupo e não acredito que ela ia lá apenas para fazer cafezinho, mas sim para executar tais ações.

Quero ter um presidente que lutou na ditadura e que honrou os seus semelhantes e não pessoas q lutaram e usaram da sua luta uma desculpa para o crime organizado.