Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Viva la Vida: A Iminência de um Sentimento

Procuro rever toda a história, recapitulando memorias de anos atrás, logo no inicio, quando a vida era cheia de sonhos e todas as motivações eram sustentadas por esperanças. Me pego em lembranças remotas, com promessas de felicidade e algumas com planos alternativos, que dizia: se nada der certo, seremos amigos, você é como um irmão para mim. Eu pensava ser o cara mais sortudo do mundo, sou taurino e uma amizade verdadeira me despi por inteiro. Não existe nada que valorizo mais do que uma amizade verdadeira.

Certa vez, estávamos deitados no banco do carro, esperando o tempo passar. Eu rompi o silêncio ao dizer: às vezes sinto que não ficaremos juntos. Ele disse que também sentia o mesmo e achava tudo isso muito triste e naquele momento reafirmamos votos de amizade. Meses depois, terminamos e continuamos amigos, saindo de baladas e curtindo a vida. O tempo passou e decidimos voltar, foi um fracasso total. Compramos apartamento e carro, misturamos dinheiro numa relação que ambos anteriormente não acreditava num futuro promissor, ambos erraram e hoje estamos pagando caro por isso, pagamos com o enterro de uma amizade.

Não sei quanto a ele, mas eu estou de luto, não pelo fato de ter perdido um namorado, relacionamentos vai e vem, mas pelo fato de ter perdido um amigo. Não acredito que fomos ruins um ao outro, fomos bons demais, tão bons ao ponto de um relacionamento afetivo ser pequeno para comportar o tamanho da troca afetiva que tínhamos em questão, éramos amigos, irmãos. Hoje, encontro-me engasgado com tal situação, indignado por termos colocado a perder uma amizade, que por muitos era admirada.

Sa musique - ele dizia quando tocava "viva la vida" ou "i gotta a felling" na balada. Não sinto saudades de intimidade como sexo, beijos e pegação, sinto saudades de momentos como esse, de quando ele me ligava questionando o porque eu não havia ligado pra ele e da mutua motivação de ambos na tentava de um tirar o outro de casa para ir a balada. O namorado, de fato, tinha perdido a muito tempo, estávamos juntos por conta de uma amizade, apenas não assumíamos tal posição, até pelo fato de não a enxergarmos.

Lembro-me que encontrei um amigo na balada, meu amigo me perguntou dele. Eu disse que havíamos brigados. Meu amigo deu risada e disse: vocês são fogos, um não vive sem o outro e vivem brigando. Meu amigo me disse que semanas atrás também havia encontrado ele na balada e ele ficou a noite inteira falando sobre mim, dizendo coisas que falávamos e fazíamos quando íamos na balada. Depois, me dei conta, que fiz a mesmo coisa com o meu amigo e fiquei a balada inteira falando dele. Na verdade, naquela noite, gostaria que ele estivesse ali, da mesmo forma que na outra noite, em que ele estava sozinho, acredito que ele gostaria que eu estivesse lá.

Não sei se a situação que nos metemos cabe desculpas, perdões e reparos. Na forma mais popular de se referir a questão: a merda está feita. Espero que ambos sejam felizes, que eu de fato encontre alguém que mude o rumo da minha vida e que ele encontre de fato quem mude o rumo da vida dele. Não sei se lamento o que aconteceu ou se fico no silêncio, pois acredito que tudo que passamos, contribui para a formação de quem somos. Talvez precisávamos passar por isso, sacrificar uma amizade em nome de algo que estamos nos transformando, ou talvez fomos burros ao extremos e acabamos com algo que era importante para ambos, seja lá o que for, espero que um dia a dor fica ao menos suportável.

5 comentários:

FOXX disse...

não gosto de te ver assim, vc sabe. queria poder ajudar, mas meus conselhos nunca são ouvidos né?

Marcos Freitas disse...

Foxx,

Pelo contrário, sempre te escutei, mas eu estou bem e tudo o que expressei é prova que aceito toda a situação, apenas não compreendo o porque tem que ser assim.

Glaukitos disse...

Melhoras pra ti e força. Sei bem como é perder uma amizade porque o amor não deu certo e tudo se misturou...

abraço.

Bia Sousa disse...

A PIOR COISA: perder o amigo/a no relacionamento amoroso q não deu certo. ODEIO ESSA PARTE, + parece ser o preço de tentar. E nessa a gente pensa: Antes tentar que ser inerte... Às vezes é meio triste mesmo... mas sobrevivemos, sempre...

Romero Disney disse...

Infelizmente é a vida. Recentemente perdi um amigo da mesma forma, mas porque ele foi muito sacana comigo... e como vc mesmo disse em outra postagem, também estou mais seletivo em meus rolos e minhas amizades porque a gente idealiza uma pessoa e com o tempo percebemos que não é nada do que vc pansava ser... Mas bola pra frente. Entrego tudo a Deus. Abraço!