Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 20 de novembro de 2010

A Homofobia Representa a Regressão Social do Brasil

A violência urbana chegou num ponto crítico e as políticas públicas preventivas são fracas e não conseguem estabelecer comunicação com os jovens, prova disso são os casos de violência generalizada por todo o Brasil. No Rio de Janeiro, um sargento que deveria estar servindo a população, se sente acima da lei e atira num jovem com motivações homofóbicas e em São Paulo, pit boys, que não aceitam a sexualidade alheia se sentem no direito de agredir homossexuais.

Tanto os 5 jovens da Av. Paulista como o sargento do Rio de Janeiro, estão repetindo um comportamento condicionado e aprendido por setores fundamentalistas, encabeçados por políticos e religiosos. Sempre pensei em “Qual é a atitude de um homofóbico ao assistir um programa do Silas Malafaia?” Esse pastor se sente no direito de chamar gays de aberrações, imundos e imorais. Políticos como Magno Malta, Marcelo Crivela e Carlos Apolinário fazem de sua atuação política um clamor ao ódio, estabelecendo um discurso retrogrado e que os gays são inimigos da família e da moral social.

As eleições de 2010 foi uma derrota massacrante para o movimento LGBT. A pauta eleitoral que deveria priorizar assuntos de interesse de toda a sociedade, se restringiu apenas aos discursos decorrentes ao aborto e casamento gay. É inadmissível que um país tão importante no cenário internacional deixe de lado assuntos como política externa, reforma tributária, geração de empregos e divisão de renda, para falar apenas em assuntos de interesse da igreja. A pauta eleitoral, comprometeu a laicidade do Estado e ficou mais que provado que estamos vivendo numa teocracia tímida e disfarçada.

Em Estados teocráticos, onde a liberdade individual não é respeitada,  quem vai contra o valores religiosos são mantidos a margem da sociedade e é isso que acontece com a comunidade gay no Brasil. Em oito anos de governo Lula, pouco foi feito para a situação dos LGBTs e com os mais de 80% de popularidade do presidente, em nenhum momento o executivo do nosso país se posicionou publicamente como favorável a aprovação do PLC 122/06 e do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

Temos que reagir antes que todos os direitos humanos inerentes aos “grupos de minorias” sejam tirados por completo das discussões políticas. Em São Paulo e Rio de Janeiro temos leis de combate a homofobia, mas os acontecimentos sociais mostram que tais mecanismos se mostram insuficientes, a aprovação do PLC 122 promoveria uma discussão nacional em torno dos direitos dos LGBTs e a importância de respeitar a diversidade sexual.

Amanhã, acontecerão duas manifestações importantes. Em São Paulo, militantes LGBTs se manifestarão num ato de repúdio à violência homofóbica na Av. Paulista. No Rio de Janeiro, manifestantes que apoiam a causa LGBT organizam a “Caminhada da Paz”, um ato contra a homofobia promovida pelo sargento-marginal Ivanildo Ulisses Gervásio e pela aprovação do PLC 122/06. A articulação de todo o movimento LGBT para o sucesso dessas ações é de extrema importância, para mostrar aos nossos governantes que não estamos satisfeitos com a margem da sociedade e que precisamos de políticas públicas que nos defendam e validam a nossa cidadania.

Serviço:

Caminhada pela Paz – Rio de Janeiro
Domingo - 21 de novembro - concentração às14hoo
Av. Vieira Souto (esquina com a Rua Farme de Amoedo) - Praia de Ipanema

Ato em Repúdio à Violência na Av. Paulista – São Paulo
Domingo – 21 de novembro – concentração às 15h00
Av. Paulista, nº 1578 - Bela Vista (em frente o vão livre do Masp)

4 comentários:

FOXX disse...

acho q só mudando pra argentina... só assim q dá...

HSLO disse...

Fico muito triste com essa regressão que ocorre em nosso país.


abraços
de luz e paz

ManDrag disse...

Subscrevo toda a linha de pensamento e todo o texto.
É uma luta dura, mas é necessário não baixar os braços e continuar denunciando e reformando consciências.

Salutas!

A Flor do Sul - Perah Hadarom disse...

A mim muito decepciona ver nosso país a regredir para uma possível nova idade média. Seria trágico.

Se ainda morasse em São Paulo, certamente que iria à manifestação. Parabéns aos que se engajam e defendem a democracia.

Muito consciente o teu blogue, nota 10. Vim por sugestão do Paulo Braccini e não me errependi.

PS.: sugestão de texto. Modéstia à parte, acho que está no mínimo razoável. Confere:

http://aflordosul.blogspot.com/2010/07/laicidade.html