Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Quarto Menor Acusado de Homofobia na Av. Paulista se Entrega à Justiça

O quarto menor acusado de agredir gays na Avenida Paulista, no último dia 14 de novembro, em São Paulo, apresentou-se na Fundação Casa (ex-Febem) na tarde desta segunda-feira. Ele tem 16 anos e chegou por volta de 16h30m, acompanhado dos pais e de um advogado. Ele e os outros três menores, que já se apresentaram, ficarão na unidade Brás da Fundação Casa. No dia 9 de dezembro, será realizada uma audiência para decidir se eles serão absolvidos ou considerados culpados da agressão. As agressões foram motivadas por homofobia, segundo testemunhas. Os quatro adolescentes passam a ser considerados menores infratores e poderão cumprir até três anos de internação, como medida socioeducativa.

Jonathan Lauton Domingues, o agressor.
Jonathan Lauton Domingues, 19, que também é acusado das agressões, teve a prisão preventiva pedida pela polícia, mas ainda não se apresentou. Edio Junior, advogado de Jonathan, foi até a delegacia do bairro da Aclimação e disse que seu cliente “tentou apartar a briga”. “Ele é primário de bons antecedentes, esteve presente na delegacia, deu depoimento e, portanto, não pode ser responsabilizado por essa agressão. Não foi ele o autor. O autor está identificado nas imagens, que é de conhecimento notório”, disse o advogado.

A defesa do advogado de Jonathan, contraria o depoimento do segurança da loja que socorreu o estudante Luís Alberto de 23 anos, que disse que Jonathan imobilizou a vitima, enquanto os 4 menores o agrediam. Nas cenas seguintes, podemos ver os cinco jovens correndo e comemorando o ato de violência. Nas imagens de um outra câmera de segurança, mostra os cinco homofóbicos agredindo um gay que esperava um táxi, o que comprova que Jonathan participou das agressões com os quatro menores.


Todos os casos de homofobia que presenciamos nos últimos dias, vem de encontro com a necessidade da aprovação imediata do PLC 122. O Brasil é o país que mais mata homossexuais com motivação de ódio e tal motivação não é criminalizada. Não podemos continuar em meio a tanta violência, sem leis que nos defendam. Temos que exigir os casos de homofobia sejam investigados e punidos e se necessário for, tomamos novamente a Av. Paulista em protesto a fragilidade política que o cidadão gay se encontra no Brasil.

2 comentários:

HSLO disse...

Ótimo. Punição já!
Porém, acredito que o governo precisar inserir no currículo escolar o combate a homofobia. Nossas crianças precisam aprender a respeitar e saber conviver com as diferenças desde a infância. Para isso, precisamos de apoio dos pais, familia, comunidade e principalmente nossos governantes.
No meio educacional, encontro muitos professores homofóbicos...Isso é triste, pois eles são os responsáveis pela formação de nossas crianças, deles dependem o amanhã...o futuro.

abraços
de luz e paz

FOXX disse...

amém! agora esperemos q eles sejam punidos!