Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Onda Crescente de Homofobia

Na última quinta-feira (11), o Chanceler e Reverendo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, uma das maiores e mais influentes Universidades do Brasil, Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes publicou uma carta onde ele, em nome da Universidade se posicionava contra a aprovação da Lei da Homofobia, citando passagens bíblicas e alegando que a cultura brasileira está cada vez mais distante das referências de certo e errado.

Da mesma forma que o Chancelar e Reverendo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, sentiu-se no direito de se manifestar, membros da sociedade civil também se manifestarão contra o ato homofobico, fundamentalista e heterenormativo do Dr. Augustus Nicodemos Gomes Lopes. No dia 24/11, quarta-feira, militantes LGBTs, alunos da Universidade Mackenzie e a sociedade civil se manifestará contra o ato da instituição Mackenzie, que compactua com a ilegalidade promovida pelo Estado Brasileiro.

Enquanto isso, no Rio de Janeiro, após a Parada Gay, um jovem foi baleado no Arpoador, a polícia acredita que o tiro foi disparado por um militar. A agressão teria sido motivada por homofobia - justamente o tema principal de combate da 15° Parada Gay do Rio. Na manhã da próxima quinta-feira (18), o oficial do Exército responsável pelo patrulhamento na área foi intimado a depor na delegacia do Leblon (14°DP) sobre o caso.  O jovem foi internado e recebeu alta do hospital na segunda-feira (15).

Jonathan Lauton Domingues, o agressor.
 Em São Paulo, os quatro menores que estavam detidos na Fundação Casa, foram liberados, o juiz não acredita que a série de agressões promovida pelos jovens na Av. Paulista tenha a motivação de homofobia. Jonathan Lauton Domingues, amigo dos quatro menores e que também participou do ato homofobico, também foi liberado e deverá responder em liberdade aos crimes de formação de quadrilha, agressão corporal gravíssima e roubo. A mãe de um dos menores, que pediu punição para o filho, disse após a liberação que o assunto está encerrado.

Eliezer Domingues Lima, pai de Jonathan Lauton Domingues, disse que o filho tem pavio curto e que: "É um menino muito bonito e foi assediado por homossexuais. Ele pediu para parar, eles não pararam. Aí, virou briga". A justificativa do pai valida a atitude do filho e contraria o depoimentos das vitimas, que estavam parados num ponto de táxi e foram atacados de forma inusitada. Sou gay e gostaria de perguntar ao Sr. Eliezer Domingues Lima se eu tenho o direito de espancar uma mulher hétero, caso seja paquerado na rua.

Não podemos nos calar diante de tantos atos de homofobia, temos que fazer presença na manifestação contra o ato do Chanceler e Revendo da instituição Mackenzie, que dá legitimidade a todos esses atos de homofobia e temos que protestar contra o ato que ocorreu na Av. Paulista, cobrando das autoridades severidade nas apurações e justiça. Não podemos nos contentar com a margem da sociedade, pagamos impostos como todos os cidadãos e atos como esse, de covardia extrema, tem que ser extinto de uma sociedade “civilizada”.


Serviço:

Manifestação contra a Universidade Presbiteriana Mackenzie
Dia 24/11/2010 - Quarta Feira - Concentração às 16h30
Manifestação às 18h00

3 comentários:

FOXX disse...

concordo em tudo!
não há mais nada o q dizer...
talvez uma resposta a mackenzie...
vou elaborar.

Deni Rogê disse...

queria poder estar junto e participar. É uma vergonha o que está sendo promovido.

Tsuyoshi Hatari disse...

É realmente um absurdo o que está acontecendo por ai...
Fico feliz por saber que cada vez mais as pessoas lutam contra isso.
Infelizmente aqui mal se fala sobre o assunto.
Os japoneses costumam respeitar a opção de vida de cada um, mas os brasileiros agem de forma diferente...
Já ouvi vários casos homofóbicos e ninguém faz nada...